conecte-se conosco


GERAL

Auxílio emergencial é creditado para nascidos em dezembro

Publicado

Também recebem hoje beneficiários do Bolsa Família com NIS 4

Cerca de 3,4 milhões de beneficiários do auxílio emergencial, nascidos em dezembro, recebem R$ 1,3 bilhão em suas contas poupança social digital. Desse total, 633,8 mil recebem R$ 415,1 milhões referentes às parcelas do auxílio emergencial. Os demais, 2,8 milhões, serão contemplados com a segunda parcela do Auxílio Emergencial Extensão, somando R$ 919,2 milhões.

 Por Kelly Oliveira – A partir de ontem (20), os valores podem ser movimentados pelo Caixa Tem para pagamento de boletos pelo próprio aplicativo ou nas casas lotéricas, compras na internet e pelas maquininhas de estabelecimentos comerciais.

O benefício criado em abril pelo governo federal foi estendido até 31 de dezembro por meio da Medida Provisória (MP) nº 1000. O Auxílio Emergencial Extensão será pago em até quatro parcelas de R$ 300 cada e, no caso das mães chefes de família monoparental, o valor é de R$ 600.

Saques e transferências para quem recebe o crédito nesta sexta-feira serão liberados a partir do dia 5 de dezembro.

Leia mais:  Nova lei de trânsito entra em vigor nesta segunda-feira

Bolsa Família

A Caixa realiza o pagamento da terceira parcela do Auxílio Emergencial Extensão para os beneficiários do Bolsa Família. Cerca de 1,6 milhão de pessoas com final de NIS 4 recebem R$ 422,6 milhões.

Durante todo o mês de novembro, mais de 16 milhões de pessoas cadastradas no programa, e que foram consideradas elegíveis, vão receber, no total, R$ 4,2 bilhões.

Os pagamentos do Auxílio Emergencial Extensão para beneficiários do Bolsa Família têm os mesmos critérios e datas do Bolsa Família, permitindo a utilização do cartão nos canais de autoatendimento, lotéricas e correspondentes Caixa Aqui ou por crédito na conta Caixa Fácil.

O valor do programa Bolsa Família é complementado pela extensão do auxílio emergencial em até R$ 300 ou em até R$ 600, no caso de mulher provedora de família monoparental. Segundo a Caixa, se o valor do Bolsa Família for igual ou maior que R$ 300 ou R$ 600, o beneficiário receberá o valor do Bolsa Família, prevalecendo sempre o benefício de maior valor.

Leia mais:  Pesquisa usa Google para entender impacto climático sobre as formigas

Edição: Kleber Sampaio

Comentários Facebook

GERAL

Pesquisa usa Google para entender impacto climático sobre as formigas

Publicado


Observar o comportamento das pessoas pode ser um caminho para aprender tanto sobre o ser humano como também sobre os animais. Essa estratégia está por trás de um estudo desenvolvido por pesquisadores da Universidade Federal de Lavras (UFLA). 

Biólogos e engenheiros ambientais investigaram dados das buscas que milhões de indivíduos de 20 países fizeram na internet usando o termo “formigas”. Foram coletadas informações referentes a um período de 13 anos, de janeiro de 2007 a dezembro de 2019. Ao identificarem os períodos de maior volume nas buscas, os pesquisadores perceberam uma influência das alterações climáticas sazonais.

“Temperatura e precipitação são duas variáveis que estão relacionadas com a atividades das formigas. Então, nos meses mais quentes, elas se mostram mais presentes em locais indesejados e o ser humano fica mais incomodado. As pessoas começam a buscar métodos para erradicá-las”, diz Antônio Queiroz, biólogo do Laboratório de Ecologia de Formigas da UFLA que liderou a equipe de seis pesquisadores envolvida no trabalho.

Um artigo com os resultados do estudo foi publicado na última semana no Mymecological News – jornal científico administrado pela Sociedade Austríaca de Entomofaunística (ÖGEF, na sigla em alemão). O periódico é uma referência mundial em mirmecologia, a ciência que se ocupa do estudo específico das formigas.

Conforme o artigo, no hemisfério norte, onde as mudanças climáticas sazonais são mais intensas, há maior variação nas buscas ao longo do ano com picos nos meses de clima quente. 

Em países com diferenças mais sutis entre as estações, o volume de pesquisas na internet sobre formigas tende a se manter mais constante.

Segundo Queiroz, a pesquisa está em sintonia com outros estudos que já apontaram para uma maior atividade desses insetos nos dias quentes, o que permite levantar a hipótese do declínio populacional decorrente do aquecimento global. Ele pondera, no entanto, que a diminuição do número de formigas é uma questão ainda em estudo. “O impacto do aquecimento global sobre espécies [de formigas] ainda não é um consenso como já é para as abelhas”, explica.

Leia mais:  Uma montanha de recicláveis para chegar ao topo do Everest

No final do mês passado, o Journal of Biogeography, um periódico produzido pela editora norte-americana Wiley-Blackwell, já havia publicado os resultados de outro estudo (link: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/abs/10.1111/jbi.14089) do Laboratório de Ecologia de Formigas da UFLA que trata sobre o assunto. Liderada pelo biólogo Chaim Jose Lasmar, essa pesquisa investigou como as formigas procuram alimentos nos diferentes biomas do Brasil. O clima se mostrou como um elemento crucial nesse processo. O estudo sugere que o aquecimento global resultará em mudanças na vida das formigas e, consequentemente, terá repercussões nos ecossistemas onde elas existem.

Aspectos variados

A ferramenta usada para coletar dados das pesquisas na internet foi o Google Trends. O maior volume de buscas visa encontrar formas de erradicar os insetos. Segundo Queiroz, no Brasil, apenas 13% das buscas foram motivadas por curiosidade sobre as formigas. No entanto, o artigo destaca a influência de variados aspectos naturais, sociais, tecnológicos, culturais e linguísticos. 

Há, por exemplo, maior constância do interesse dos internautas sobre o inseto em países onde há mais gêneros e espécies e onde maiores parcelas da população têm acesso à internet.

Na Colômbia, onde a formiga é usada por populações humanas como fonte de alimento, há pesquisas por receitas. Além disso, em países com idiomas derivados do latim, nota-se um volume perceptível de buscas sobre o significado das formigas nos sonhos.

“A curiosidade gera mais pesquisas em determinados locais. O interesse na biologia dos organismos está em alguma medida ligada à cultura do país”, explica Queiroz.

Leia mais:  Preso no Rio líder de facção acusado de mais de 30 homicídios em MG

O estudo também apontou que, apesar dos padrões nas variações sazonais se manterem, o número total de buscas sobre o inseto vem subindo ao longo dos anos em praticamente todos os países. Os pesquisadores acreditam que esse aumento decorre da crescente inclusão digital.

Divulgação científica

O artigo sugere ainda que os dados sobre o comportamento humano na internet podem ser usados em favor da divulgação de conhecimento científico. “Se sabemos quando as pessoas estão pesquisando sobre formigas com o intuito de erradicá-las, podemos aproveitar esse momento de interesse para divulgar os achados científicos e elucidar sobre a importância desses animais”, diz Queiroz.

O papel das formigas nos ecossistemas, embora seja bastante estudado pelos mirmecólogos, ainda é pouco conhecido pela população em geral. Esses insetos desempenham, por exemplo, funções relevantes na dispersão de sementes, na reciclagem de nutrientes, na recuperação dos solos e no controle de pragas rurais e urbanas.

Queiroz acredita que os meses mais quentes podem ser o momento certo para criar estratégias de disseminação de informações e também de dicas para prevenir uma invasão doméstica.

Como as formigas estão sempre em busca de recursos para suas colônias, o melhor caminho para evitar o incômodo com elas dentro de casa, de acordo com o biólogo, é bastante simples: não deixar comidas expostas.

“Os primeiros meses quentes do ano são os ideais para fazermos mais atividades de ciência. Há locais onde as formigas chegam a ser um problema de saúde, o que torna importante disseminar o conhecimento sobre formas de controle. Mas esse não deve ser o único foco. Precisamos mencionar os aspectos positivos, para desmistificar a aversão de muitas pessoas com insetos e formigas”, acrescenta.

Edição: Pedro Ivo de Oliveira

Fonte: EBC Geral

Comentários Facebook
Continue lendo

GERAL

Nova lei de trânsito entra em vigor nesta segunda-feira

Publicado


As alterações promovidas no Código de Trânsito Brasileiro (CTB) entram em vigor a partir desta segunda-feira (12). As mudanças foram sancionadas pelo presidente Jair Bolsonaro em outubro do ano passado, quando ficou definido que a vigência passaria a ocorrer 180 dias após a sanção.

A partir de agora, os motoristas devem ficar atentos aos novos prazos de renovação da Carteira Nacional de Habilitação (CNH), ao número de pontos que podem gerar a suspensão de dirigir e à punição de quem causar uma morte ao conduzir o veículo após ter ingerido bebida alcoólica ou ter usado drogas.

Os exames de aptidão física e mental para renovação da CNH não serão mais realizados a cada cinco anos. Agora, a validade será de dez anos para motoristas com idade inferior a 50 anos; cinco anos para motoristas com idade igual ou superior a 50 anos e inferior a 70 e três anos para motoristas com idade igual ou superior a 70 anos. 

Sobre a pontuação, a lei agora estabelece uma gradação de 20, 30 ou 40 pontos em 12 meses conforme haja infrações gravíssimas ou não. Atualmente, a suspensão ocorre com 20 pontos, independentemente do tipo de infração.

Leia mais:  Uma montanha de recicláveis para chegar ao topo do Everest

Dessa forma, o condutor será suspenso com 20 pontos se tiver cometido duas ou mais infrações gravíssimas; com 30 pontos se tiver uma infração gravíssima; e com 40 pontos se não tiver cometido infração gravíssima no período de 12 meses.

Os condutores que exercem atividades remuneradas terão seu documento suspenso com 40 pontos, independentemente da natureza das infrações. Essa regra atinge motoristas de ônibus ou caminhões, taxistas, motoristas de aplicativo ou moto-taxistas. Se esses condutores participarem de curso preventivo de reciclagem ao atingir 30 pontos, em 12 meses, toda a pontuação será zerada.

As novas regras proíbem que condutores condenados por  homicídio culposo ou lesão corporal sob efeito de álcool ou outro psicoativo tenham pena de prisão convertida em  alternativas.

Cadeirinhas

O uso de cadeirinhas no banco traseiro passa a ser obrigatório para crianças com idade inferior a 10 anos que não tenham atingido 1,45 metro de altura. Pela regra antiga, somente a idade da criança era levada em conta.

Leia mais:  Blitz contra aglomeração fecha bingo e autua festa em São Paulo

Recall

Nos casos de chamamentos pelas montadoras para correção de defeitos em veículos (recall), o automóvel somente será licenciado após a comprovação de que houve atendimento das campanhas de reparo. 

Motociclistas

Para os motociclistas, a nova lei restringe a circulação de crianças na garupa das motos. Antes, a legislação permitia que crianças maiores de sete anos podiam ir na garupa. Agora, a idade mínima para levar uma criança na moto é 10 anos.

Andar com o farol da motocicleta apagado passará a ser considerada infração média, sujeita a multa de R$ 130,16. Antes, isso era considerado como infração gravíssima, sujeita a multa e apreensão da CNH e até suspensão do direito de pilotar. 

Pilotar motocicleta sem viseira ou óculos de proteção ou com a viseira levantada passa  ser uma infração média, com multa de R$ 130,16. Antes, era considerada infração gravíssima andar sem viseira e infração leve pilotar com viseira levantada ou danificada.

Edição: Pedro Ivo de Oliveira

Fonte: EBC Geral

Comentários Facebook
Continue lendo

Segurança

MT

Brasil

Economia & Finanças

Mais Lidas da Semana





Copyright © 2018 - Agência InfocoWeb - 66 9.99774262