conecte-se conosco


Saúde

Comprovada ineficácia de equipamento de proteção de dentistas

Publicado

Segundo professora, jalecos não conseguem evitar contágio por covid-19

A constatação de que o Brasil apresenta mais de 80 mil profissionais de saúde infectados pelo novo coronavírus e, a maioria, usa nos hospitais jalecos feitos de tecido não tecido (TNT) acendeu o alerta na cirurgiã-dentista e professora titular de Periodontia da Universidade Federal Fluminense (UFF), Eliane dos Santos Barboza.

Por Alana Gandra – Eliane resolveu fazer uma pesquisa para ver se os equipamentos de proteção individual (EPIs) disponíveis no mercado estavam de fato protegendo esses trabalhadores. A professora se juntou a outros dois professores e a alunos de pós-graduação e mestrado para testar a eficácia dos equipamentos de proteção individual (EPIs) de TNT para os dentistas. A conclusão é que não foi comprovada eficácia nos três tipos de gramaturas usados (40 gramas por metro quadrado g/m², 60g/m² e 80g/m²).

Simulação

“Nós simulamos, com manequim, uma pessoa sentada em uma cadeira odontológica e um profissional odontólogo fazendo os procedimentos de aerossol em uma posição de 12 horas. Na posição de 12 horas, a gente fica por detrás do paciente e recebe muito aerossol”. Essa simulação foi feita à média dos cinco profissionais, para dar uma noção de espaço, altura do manequim, tudo dentro dos princípios de ergonomia.

Uma superfície lisa simulou o corpo do profissional. A água foi tingida e Eliane acionou a caneta de alta rotação em posições padronizadas. O aerossol foi usado como se estivesse sendo feito um procedimento odontológico normal durante cinco minutos, “que é um tempo mínimo”. Conforme explicou, para fazer uma raspagem geral na boca de um paciente com ultrassom, que também gera aerossol, leva-se no mínimo, meia hora. Para fazer o procedimento de uma coroa leva-se mais de cinco minutos.

Leia mais:  Brasil adere a aliança para aceleração da vacina contra a covid-19

“Nós fizemos um tempo mínimo de trabalho e chegamos à conclusão que os três grupos de gramatura, tanto na sua forma simples como dobrada, todos passavam aerossol.

TNT impermeável

A pesquisa mostrou que o TNT mais simples passa o aerossol, tanto na forma simples como na dobrada. O que não passou foi o TNT de gramatura 80 dobrado. A questão é se passaria por mais de cinco minutos, porque ele não é impermeável, disse a professora da UFF.

A conclusão é que novas tecnologias têm de ser desenvolvidas ou que se busque usar TNT impermeável.

A professora da UFF explicou que só foi possível se enxergar o aerossol nos jalecos utilizados na primeira etapa da pesquisa devido ao uso dos corantes, que provocaram manchas nos equipamentos feitos com nãotecidos. “Quando a gente cora, visualiza esse aerossol todo, o que não faz com gotículas transparentes da água. Então, você sai dali, tira o seu jaleco e pensa que está protegido. Não está. Passou e foi para sua roupa”. O certo é o dentista usar um ‘scrub’ (uniforme) e trocá-lo a cada paciente. Segundo Eliane, será preciso mudar todos esses procedimentos nas clínicas dentárias e nas clínicas das faculdades. “A periodontia e a implantodontia já tinham um entendimento disso porque trabalham muito com sangue e com aerossol de ultrassom na limpeza de boca. O que ocorre é que agora todos estão em risco, porque na saliva está tudo contaminado e não se sabe se o paciente está com covid e é assintomático. Tem que ter proteção pessoal para fazer o procedimento”.

Leia mais:  Covid-19: Brasil tem 33,5 mil novos casos e 836 mortes em 24 horas

Segurança

Eliane quer orientar os colegas e a comunidade científica mundial sobre o que podem comprar para usar com segurança. Enquanto isso não ocorre, ela recomendou que os profissionais de odontologia usem uma capa plástica por baixo do jaleco descartável. “Aí não passa nada, nenhum microorganismo”.

A primeira parte da pesquisa já foi submetida ao jornal científico Frontier Dental Medicine que, por ser gratuito, vai possibilitar muitos acessos ao trabalho. “A minha preocupação neste momento é que muitas pessoas possam acessar esse trabalho, sabendo o que está acontecendo”.

O ideal é que usem um equipamento que não deixe passar o aerossol contaminado, além da máscara tipo ‘face shield’ (protetor facial feito de acetato). A trama do TNT é muito irregular e deixa passar os microorganismos, insistiu. “Por isso é chamado tecido não tecido”, observou. Se não for possível utilizar um tecido impermeável durante os procedimentos com aerossóis, reforçou que uma roupa de plástico associada a um EPI descartável deve ser usada, seguindo recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS).

A dentista Marisa Alves Costa já se antecipou, segundo informou à Agência Brasil. Ela faz uso constante de jaleco impermeável descartável de gramatura 40, 50 ou 60, no seu consultório odontológico, no Rio de Janeiro.

Edição: Bruna Saniele

Comentários Facebook

Saúde

Covid-19: Brasil registra 863 óbitos e 32.058 novos casos em 24h

Publicado

por

Segundo Ministério da Saúde, 86,6% dos paciente estão recuperados

 O boletim diário do Ministério da Saúde, divulgado nesta terça-feira (29), revela que o Brasil registrou 4.777.522 casos confirmados do novo coronavírus desde o início da pandemia.

Boletim epidemiológico covid-19

Por Elaine Patricia Cruz – Desse total, 2,9% dos casos resultaram em morte (142.921); 10,5% dos pacientes estão em tratamento (499.513); e 86,6% dos brasileiros que contraíram covid-19 estão recuperados (4.134.088).

Nas últimas 24 horas, foram registrados 863 óbitos e 32.058 novos casos confirmados. Os casos são menores aos domingos e segundas-feiras pelas limitações de alimentação da base de dados pelas equipes das secretarias de saúde. Já às terças-feiras, o número tem sido maior pelo envio dos dados acumulados do fim de semana.

As autoridades de saúde ainda investigam se outras 2.501 mortes foram provocadas por coronavírus.

SP tem melhor terça-feira desde maio

Nas últimas 24 horas, o estado de São Paulo contabilizou 266 mortes e 6.377 casos do novo coronavírus. Com isso, o estado soma, até este momento, 35.391 mortes e 979.519 casos confirmados, desde o início da pandemia.

Leia mais:  Casos semanais de covid-19 voltam a subir no Brasil

Às terças-feiras, por causa de um represamento de dados que ocorre nos finais de semana, o balanço de casos e de mortes costuma ser sempre maior, batendo até recordes. Mas hoje (29) o balanço de mortes foi o menor já registrado para uma terça-feira desde o dia 26 de maio, quando foram registradas 203 mortes. Isso só foi interrompido no dia 8 de setembro, que se seguiu ao feriado prolongado de 7 de setembro, quando o registro foi de 53 mortes. Mas o balanço do dia 8 de setembro pode ter sido prejudicado com o represamento de dados ocorrido por causa do feriado. O dia que o estado de São Paulo mais registrou mortes em um único dia aconteceu em 13 de agosto, quando foram notificados 455 óbitos.

Do total de casos diagnosticados, 847.418 pessoas estão recuperadas, sendo 107.415 após internação.

Há 9.076 pacientes internados em casos suspeitos ou confirmados do novo coronavírus, sendo que 3.954 deles estão em estado grave. A taxa de ocupação de leitos de unidades de terapia intensiva (UTI) é de 44,4% em todo o estado e de 42,9% na Grande São Paulo.

Leia mais:  Brasil acumula 141.406 mortes pelo novo coronavírus

Onde há mais casos de covid-19 no Brasil

*Casos acumulados desde o início da pandemia

Onde há mais mortes por covid-19 no Brasil

São Paulo = 35.391

Rio de Janeiro = 18.388

Ceará = 8.950

Pernambuco = 8.222

Minas Gerais = 7.259

Edição: Liliane Farias

Comentários Facebook
Continue lendo

Saúde

Covid-19: Brasil tem 142 mil óbitos e 4,74 milhões de casos acumulados

Publicado

por

Do total de contaminados, 86% se recuperaram da doença

O boletim diário do Ministério da Saúde, divulgado nesta segunda-feira (28), revela que o Brasil registrou 4.745.464 casos confirmados do novo coronavírus desde o início da pandemia.

Boletim epidemiológico covid-19Boletim epidemiológico covid-19 – Ministério da Saúde

Da ABr – Desse total, 3% dos casos resultaram em morte (142.058); 10,9% dos pacientes estão em tratamento (519.224); e 86,1% dos brasileiros que contraíram covid-19 estão recuperados (4.084.182).

Nas últimas 24 horas, foram registrados 317 óbitos e 13.155 novos casos. Os casos são menores aos domingos e segundas-feiras pelas limitações de alimentação da base de dados pelas equipes das secretarias de saúde. Já às terças-feiras, o número tem sido maior pelo envio dos dados acumulados do fim de semana.

As autoridades de saúde ainda investigam se outras 2.533 mortes foram provocadas por coronavírus.

Acesse aqui o Painel Coronavírus atualizado

ou o Sus Analítico

Onde há mais casos de covid-19 no Brasil

*Casos acumulados desde o início da pandemia

São Paulo = 973.142

Leia mais:  Brasil alcança 86,4% de recuperados da Covid-19

Bahia = 306.629

Minas Gerais = 290.137

Rio de Janeiro = 262.006

Ceará = 239.062

Onde há mais mortes por covid-19 no Brasil

São Paulo = 35.125

Rio de Janeiro = 18.291

Ceará = 8.921

Pernambuco = 8.190

Minas Gerais = 7.240

Edição: Liliane Farias

Comentários Facebook
Continue lendo

Segurança

MT

Brasil

Economia & Finanças

Mais Lidas da Semana





Copyright © 2018 - Agência InfocoWeb - 66 9.99774262