conecte-se conosco


MT

Curso formará 58 agentes penitenciários para compor Grupo de Intervenção Rápida

Publicado

Começou nesta sexta-feira (08.11) o 2º Curso de Intervenção Rápida (CIR), que visa capacitar os agentes penitenciários (Agepens) para atuação no Grupo de Intervenção Rápida (GIR-MT). Os 58 participantes serão qualificados para ações de rebeliões, motins, escoltas, entre outras práticas relativas ao grupamento. A abertura foi realizada pela Secretaria Adjunta de Administração Penitenciária (Saap) da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT), no auditório do Comando Geral da Polícia Militar (PM-MT), em Cuiabá.

Além dos 50 agentes penitenciários de Mato Grosso, o curso também teve inscritos dos estados de Goiás (4) e Tocantins (2). Também conta com dois integrantes do Batalhão de Ronda Ostensiva Tática Móvel (Rotam) de Mato Grosso.

O secretário adjunto de Administração Penitenciária, Emanoel Flores, ressaltou a importância das capacitações no serviço público. “Nesses três anos tudo tem sido feito com o apoio de todas as instituições de segurança pública e agora a integração está ainda mais fortalecida. Buscamos sempre a excelência nas capacitações, por meio da Escola Penitenciária, e os resultados têm sido muito positivos”.

Segundo o juiz da Vara de Execuções Penais de Mato Grosso, Geraldo Fidélis, a qualificação é um ato de valorização dos servidores que reflete nos serviços prestados à sociedade. “Precisamos investir no servidor, promover capacitação e valorizar. Tenho certeza que Mato Grosso possui agentes penitenciários capacitados e capazes de fazer a segurança do sistema. Vimos a forma como a operação na PCE (Penitenciária Central do Estado), por exemplo, repercutiu positivamente junto à sociedade, principalmente com relação à redução da criminalidade”.

Leia mais:  Sede do Detran-MT passa por reforma de acessibilidade e sinalização viária

O curso ocorrerá em regime de tempo integral (internato) durante período de 25 dias, com atividades que poderão ocorrer aos sábados, domingos e feriados. O diretor da PCE e criador do GIR, Agno Ramos, frisou que o formato do curso visa preparar os alunos para a garantia da manutenção da ordem e disciplina dentro das unidades. “As atividades, teóricas e práticas, oferecerão capacidade técnica, física e mental para atuação em intervenções rápidas. É preciso trabalhar tanto o aspecto técnico quanto psicológico”.

Dedicação e disciplina

Lotada na Cadeia Pública de Campo Novo do Parecis, Ivanilda Sabino afirmou que espera concluir o curso com êxito para integrar o GIR. “Faço parte da unidade onde o GIR nasceu e meu objetivo é ser qualificada para compor o grupo. Trabalhei como agente em Rondônia e posso dizer que o Sistema Penitenciário de Mato Grosso é bem mais preparado”, avaliou ela, que tem 32 anos de idade.

Agente penitenciário há 15 anos e com 36 de idade, Rodrigo Santos atua na Gerência de Custódia de Cuiabá, e também espera compor o GIR, além do núcleo de operações táticas especializadas da PCE. “A qualificação técnica é muito importante, busco o treinamento constantemente, estou focado no curso e vou me dedicar ao máximo para contribuir com a segurança pública e impedir as práticas criminosas dentro das unidades penais”, assegurou.

Leia mais:  Proposta apresentada pelo Estado segue reforma da previdência nacional

O GIR é o grupamento especializado que tem como missão atuar em intervenções rápidas em recinto carcerário visando à manutenção e restabelecimento da ordem, disciplina e segurança dos estabelecimentos penais de Mato Grosso. A atuação, conforme a Instrução Normativa Nº 05/2018/SEJUDH, de 09 de maio de 2018, ocorre em conjunto com os demais servidores, grupos especializados do Sistema Penitenciário e instituições da Segurança Pública.

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook

MT

Escola de VG aposta em feira cultural com a temática voltada para a Amazônia

Publicado

por

A Escola Estadual Dom Bosco, de Várzea Grande, realizará a sua 1ª Feira Cultural na próxima quarta-feira (20.11). Intitulada “Um Olhar Para a Amazônia”, a mostra terá a participação de 620 alunos, que mostrarão trabalhos relacionados ao desmatamento, culinária, índice populacional, além dos rios da região. Os estudantes apresentarão atividades relativas a mortandade dos animais a destruição da fauna e flora. Na parte cultural, serão abordados o folclore com suas lendas, danças e músicas típicas da Amazônia. 

Todas as atividades apresentadas na feira cultural serão construídas pelos alunos e professores. A ideia é que os jovens se sintam protagonistas de seu próprio conhecimento, participando ativamente no processo.

Segundo a diretora Suzan Kelly de Souza Campos de Paula, a ideia nasceu de uma conversa informal, em sala de aula, sobre o desmatamento e as queimadas que vêm atingindo nossas florestas. “Os professores observaram que o assunto estava em foco nas mídias, e devido a esse problema mundialmente discutido a equipe gestora juntamente com os professores e alunos decidiram realizar um projeto”, assinala. No entendimento da diretora, os alunos necessitam saber da grande importância da Amazônia para a humanidade, passando assim a valorizá-la.

Leia mais:  Proposta apresentada pelo Estado segue reforma da previdência nacional

“Sem dúvida o nosso foco com esse projeto é fazer com que o aluno conheça melhor, para valorizar e aprender a preservar um bem que é de toda a humanidade, modificando as relações que o homem estabelece com a natureza e a forma de utilização de seus recursos” falo a professora de história Eliane Maria.

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
Continue lendo

MT

Segunda etapa da vacinação contra sarampo começa nesta segunda-feira (18)

Publicado

por

A segunda etapa da vacinação contra o sarampo começa nesta segunda-feira (18.11) e imunizará, até 30 de novembro, adultos de 20 a 29 anos que não estão com a caderneta de vacinação em dia. Para garantir mais efetividade à campanha, além da dose de rotina, Mato Grosso recebeu 35 mil doses extras como forma de facilitar o acesso da população à imunização.

Ciente de que a vacina tríplice viral é a forma mais segura de prevenir o sarampo, protegendo também contra a rubéola e a caxumba, o secretário estadual de Saúde, Gilberto Figueiredo, reforça o pedido à população mato-grossense para que procurem o posto de saúde mais próximo para vacinar.

“Essa é uma força-tarefa nacional de imunização contra o sarampo. Até o momento, Mato Grosso não tem casos confirmados de sarampo e não queremos que a doença, que chegou a ser erradicada no Brasil, volte a circular no Estado”, disse o secretário.

Conforme dados do Ministério da Saúde, um total de 68.814 mil mato-grossenses, entre 20 e 29 anos, não estão imunizados contra a doença. A proposta da campanha é diminuir esse número. Para isso, o Ministério deve enviar para o Estado, na próxima semana, novas doses da vacina.

Leia mais:  Secretários de Fazenda e de Desenvolvimento Econômico depõem à CPI nesta quinta-feira

A coordenadora de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT), Alessandra Moraes, explica que, diferentemente dos anos anteriores, essa faixa-etária foi selecionada porque apresentou, em outros estados com casos confirmados de sarampo, uma gravidade no acometimento da doença, evoluindo, muita das vezes, para internações.

“Esse grupo precisa ter duas doses da vacina para ser considerado imunizado. É importante buscar uma unidade de saúde e levar o cartão vacinal para que possa ser vacinado. Se não puder comprovar que já recebeu alguma dose da vacinação, a pessoa vai tomar a primeira dose da vacina normalmente e 30 dias depois irá tomar a segunda dose”, informa.

Além da participação espontânea das pessoas, Alessandra destaca a importância de os munícipios estarem ativos na campanha. “É importante também que os municípios não percam a oportunidade de vacinar esse público. Então, é imprescindível ficar atento aos espaços onde os jovens estão e buscar levar as  informações sobre vacinação a esses meios. Essas são estratégias que os municípios podem utilizar para acessar este público”, avalia a coordenadora.

Leia mais:  Homem acusado de violência doméstica é preso com arma e munições em Poconé

Sobre o sarampo

O sarampo é uma doença viral altamente contagiosa, que pode evoluir para complicações graves e óbitos. A doença é transmitida por meio das secreções expelidas pelo doente ao falar, tossir e espirrar. O comportamento endêmico/epidêmico do sarampo varia de um local para outro e depende basicamente da relação entre o grau de imunidade e a suscetibilidade da população, bem como da circulação do vírus na área.

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Segurança

MT

Brasil

Economia & Finanças

Mais Lidas da Semana





Copyright © 2018 - Agência InfocoWeb - 66 9.99774262