conecte-se conosco


MT

Deputado participa de visitas para reativação da ZPE de Cáceres

Publicado


Comitiva composta pelo deputado Dr. Gimenez e secretário de Desenvolvimento Econômico, César Miranda, visita porto de Cáceres e distrito industrial

Foto: ROSE DOMINGUES

Como representante da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, o deputado Dr. Gimenez (PV) participou nesta sexta-feira (14), junto com o secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, César Miranda, de um cronograma de visitas a empreendimentos que vão integrar a Zona de Processamento de Exportações (ZPE) de Cáceres (217 km de Cuiabá).

O anúncio de que as obras da ZPE serão retomadas no próximo dia 20 de fevereiro foi feito pelo governador Mauro Mendes nesta semana em reunião com a bancada estadual. “Estamos muito satisfeitos porque, finalmente, o governo voltou os olhos para a região oeste, que é um importante polo econômico estadual na produção agropecuária e da agricultura familiar”, frisou o parlamentar.

Conforme Dr. Gimenez, a ZPE estava há mais de 30 anos travada e, ao que tudo indica, o governo dará prosseguimento ao projeto que é um sonho antigo da população. “Com a reabertura, vamos escoar nossos produtos (milho, soja) e trazer da Argentina trigo e da Bolívia ureia e sal, é uma via de mão dupla, sem falar no grande potencial turístico da região”.

Ele lembrou ainda que a Câmara Setorial Faixa de Fronteira, da qual ele faz parte, realizará na primeira semana de maio uma simulação de carregamento (barcaça) que sairá do porto de Cáceres até Porto Murtinho (em Mato Grosso do Sul). O objetivo é conhecer toda a estrutura hidroviária e ainda fazer um documentário para explicar à população a importância desse trecho.  O empreendimento que vai contribuir para o escoamento das exportações de Mato Grosso está parado há 30 anos

Leia mais:  Rotam prende suspeito por tráfico de drogas em bairro de Cuiabá

Foto: ROSE DOMINGUES

O secretário César Miranda (Sedec) fez questão da participação do deputado, que é da região, em todas as visitas. Ele explica que a participação das lideranças políticas regionais e locais será importante para dar celeridade às obras. “Temos uma série de providências a serem tomadas para que esse sonho saia do papel e ofereça mais competitividade a Mato Grosso”. 

Em Cáceres, a comitiva visitou no período da manhã o porto hidroviário, um frigorífico no bairro Santo Antônio e o distrito industrial, para tratar das demandas para a instalação da ZPE. Entre as autoridades presentes estavam César Miranda e sua equipe, o prefeito de Cáceres, Francis Maris, o deputado Dr. Gimenez (representando a Assembleia) e empresários do setor.

“Observamos no espaço do porto, por exemplo, que as instalação são muito antigas e precisam de investimentos de melhoria e revitalização, bem como de urbanização, em toda a sua área de entorno. Vale ressaltar que o trecho Cáceres até o Pantanal é o menos navegável da hidrovia, então, precisaremos de investimentos e aguardamos que isso realmente aconteça”, disse o deputado. 

Atualmente, o Estado transporta a maior parte da sua produção pelas rodovias, mas vai ganhar mais competitividade se conseguir aproveitar os mais de 2 mil quilômetros dos portos. “Além disso, a hidrovia se mostra uma opção de baixo custo e com sustentabilidade, em razão da diminuição de emissão de gases poluentes, ou seja, nós teremos um transporte que respeita o meio ambiente e traz emprego e desenvolvimento à nossa região e ao Estado”, finalizou Dr. Gimenez. Dr. Gimenez está animado com o anúncio feito pelo Governo e diz que a região oeste é um polo da agropecuária e agricultura familiar

Leia mais:  Governador apresenta ações ao movimento comunitário: "Terão cada vez mais voz no Governo"

Foto: ROSE DOMINGUES

Sobre a ZPE – O anúncio foi feito na tarde desta quinta-feira (13.02), após reunião que tratou do plano de trabalho para a região, e da qual participaram: secretária-executiva e o coordenador do Conselho Nacional das ZPEs, Thaise Dutra e Leonardo Rabelo de Santana, os secretários Mauro Carvalho (Casa Civil), César Miranda (Sedec) e Celso Banazeski (adjunto de Indústria, Comércio, Minas e Energia); e os deputados estaduais Valmir Moretto e Dr. Gimenez.

As Zonas de Processamento de Exportação caracterizam-se como áreas de livre comércio com o exterior, destinadas à instalação de empresas voltadas para a produção de bens a serem comercializados no exterior. Elas são consideradas zonas primárias para efeito de controle aduaneiro. As empresas que se instalam em ZPE têm acesso a tratamentos tributário, cambiais e administrativos específicos. 

Em Mato Grosso, a ZPE dará a possibilidade de abertura para o mercado internacional. De acordo com a legislação vigente, 80% do que as indústrias produzirem no local poderá ser exportado e 20% deverá ficar no mercado interno. (com informações do Governo do Estado)
 

Fonte: ALMT

Comentários Facebook

MT

Mato Grosso teve 713 casos de hepatites virais em 2019; SES alerta para prevenção e tratamento

Publicado


Dentre as abordagens da campanha do Governo do Estado voltada para a prevenção de doenças sexualmente transmissíveis, está um alerta para casos relacionados às hepatites virais. A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT), por meio do setor de Vigilância em Saúde, registrou 15 casos de hepatite A, 499 casos de hepatite B e 199 casos de hepatite C em Mato Grosso, apenas no ano de 2019.

A hepatite é a inflamação do fígado, que pode ser causada por vírus ou pelo uso de alguns remédios, álcool e outras drogas, assim como por doenças autoimunes, metabólicas e genéticas. Os sintomas mais comuns das hepatites A e B são: dor ou desconforto abdominal; dor muscular; fadiga; náusea e vômitos; perda de apetite; febre; urina escura e o amarelamento da pele e olhos.

Em alguns casos, são doenças silenciosas, que nem sempre apresentam sintomas. De acordo com a técnica especializada em hepatites virais da SES, Regina Nascimento, o diagnóstico e o tratamento precoces podem evitar a evolução da doença para cirrose ou câncer de fígado – por isso é tão importante fazer os exames. A confirmação pode ser feita por testes rápidos, que apontam o resultado em uma hora, sendo que também existem exames feitos em laboratório.

A servidora também reforçou que o Sistema Único de Saúde (SUS) oferece tratamento para todos os tipos de hepatites, independentemente do grau de lesão do fígado.

Prevenção

A vacina é uma forma de prevenção contra as hepatites do tipo A e B, entretanto, quem se vacina para o tipo B também estará protegido da hepatite D. A vacina está disponível e é gratuita pelo SUS. Para os demais tipos de vírus, não há vacina e o tratamento é indicado pelo médico.

Leia mais:  Evento reúne cerca de 350 pessoas em Porto Alegre do Norte

A prevenção à hepatite C pode ser feita evitando o contato com sangue contaminado, sexo desprotegido e compartilhamento de objetos cortantes; o tratamento é medicamentoso e há cura em mais de 95% dos casos. As hepatites B e D têm tratamento e podem ser controladas, evitando a evolução para cirrose e câncer. Já a hepatite A é uma doença aguda e o tratamento se baseia em dieta e repouso.

Pelo SUS, a imunização está disponível para crianças de 15 meses a 5 anos incompletos (4 anos, 11 meses e 29 dias) e também no Centro de Referência para Imunobiológicos Especiais (Crie), para pessoas de qualquer idade que tenham: hepatopatias crônicas de qualquer etiologia incluindo os tipos B e C; coagulopatias; diagnosticadas com HIV; portadores de quaisquer doenças imunossupressoras; doenças de depósito; fibrose cística; trissomias; candidatos a transplante de órgãos; doadores de órgãos, cadastrados em programas de transplantes ou com hemoglobinopatias.

Ainda é importante destacar que, durante a gravidez e o pré-natal, deve ser realizado o exame de hepatite. Caso diagnosticada, a gestante pode ser tratada, se houver indicação, ainda durante a gravidez.

Hepatite A

A hepatite A é uma doença contagiosa, causada pelo vírus A (HAV) e também conhecida como “hepatite infecciosa”. Sua transmissão é fecal-oral, por contato entre indivíduos ou por meio de água ou alimentos contaminados pelo vírus. A melhor forma de evitar a doença é melhorando as condições de saneamento básico e de higiene nas moradias. Os sintomas costumam aparecer de 15 a 50 dias após a infecção.

Leia mais:  Emenda garante R$ 480 mil para escolas militares

Hepatite B

A hepatite B é uma doença infecciosa, está presente no sangue, no esperma e no leite materno; é considerada uma doença sexualmente transmissível. Entre as causas de transmissão estão: relações sexuais sem camisinha com uma pessoa infectada; entre mãe infectada e filho durante a gestação, parto ou amamentação; transfusão de sangue contaminado; compartilhamento de material para uso de drogas (seringas, agulhas, cachimbos), higiene pessoal (lâminas, escovas de dente, alicates de unha ou outros objetos que furam ou cortam) ou de confecção de tatuagem e colocação de piercings.

Hepatite C

A hepatite C é causada por vírus, está presente no sangue e a transmissão ocorre por: transfusão de sangue; compartilhamento de material para uso de drogas (seringas, agulhas, cachimbos, entre outros), higiene pessoal (lâminas, escovas de dente, alicates de unha ou outros objetos que furam ou cortam) ou para confecção de tatuagem e colocação de piercings; entre mãe infectada e filho durante a gravidez (mais rara); sexo sem camisinha com uma pessoa infectada (mais rara).

Serviço

A vacina de prevenção para as hepatites do tipo A e B pode ser tomada no Centro de Referência para Imunobiológicos Especiais (Crie), que funciona nas instalações do Centro Estadual de Referência em Média e Alta Complexidade (Cermac), localizado na Rua Tenente Thogo da Silva Pereira, 63 – Centro Sul, em Cuiabá, de segunda a sexta-feira, das 7h às 18h.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

MT

Trabalho de reeducandos em obras de infraestrutura beneficia população de Nobres

Publicado


A mão de obra de 14 reeducandos da Cadeia Pública de Nobres (124 km de Cuiabá) tem sido fundamental para o desenvolvimento da região. Além de ser uma forma de ressocialização, os municípios de Nobres e de Rosário Oeste têm recebido melhorias, como a reforma de batalhões policiais, pavimentação de vias, reformas de pontes, entre outros.

A cada três dias de trabalho, os reeducandos diminuem um dia da pena. O salário recebido no final do mês auxilia no sustento das famílias das pessoas privadas de liberdade. A parceria entre a Fundação Nova Chance (Funac) com a Prefeitura de Nobres possibilita que estas pessoas tenham uma segunda oportunidade de fazer uma nova história, beneficiando a sociedade.

Quem chega na cidade de Nobres, destino muito procurado pelos turistas, logo vê um pórtico desejando boas-vindas. A maioria destas pessoas não imagina que este foi um trabalho auxiliado por reeducandos da cadeia local. A ampliação da avenida da entrada da cidade também recebe mão de obra.

Leia mais:  Produtos certificados: Ipem-MT dá dicas de segurança para o consumidor

Obras de manilhamento, recuperação de pontes municipais e até mesmo serviços de jardinagem deixam a cidade ainda mais bonita. Outro trabalho igualmente fundamental é a reforma do 7º Batalhão da Polícia Militar de Rosário Oeste, que vai gerar economia aos cofres públicos, já que utiliza a mão de obra de reeducandos.

“Todas essas atividades fazem com que nossos recuperandos façam parte do desenvolvimento destes municípios”, destacou o diretor da Cadeia Pública de Nobres, Misael José de Almeida.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Segurança

MT

Brasil

Economia & Finanças

Mais Lidas da Semana





Copyright © 2018 - Agência InfocoWeb - 66 9.99774262