conecte-se conosco


MT

Em 2019, mais de 250 mil pessoas solicitaram RGs em Mato Grosso

Publicado


Em 2019, a Diretoria Metropolitana de Identificação Técnica da Politec emitiu 251.826 documentos de identidade em Mato Grosso. Deste total, foram expedidos 242.869 cédulas e 8.889 cartões de identidade.  

No período de janeiro a dezembro, na esfera Criminal, foram registradas 1.429.209 consultas externas aos sistemas de identificação, e mais de 100.689 Certidões de Antecedentes Criminais.

Dentre os onze serviços realizados na área criminal, os mais solicitados na região metropolitana foram os exames de identidade em pessoas mortas (necropapiloscopia), com 832 atendimentos; além de 4.270 coletas de impressões digitais para verificação de autenticidade na audiência de custódia e 26.396 cadastros de identificação criminal de custodiados.

O ano passado foi marcado por mudanças significativas na área da identificação técnica, como a implantação, em abril, do novo modelo de cédula de identidade, e posteriormente, em junho, com o lançamento do cartão de identidade, conforme modelo padrão estabelecido pelo Decreto Federal nº 9.278, de 5 de fevereiro de 2018.

A informatização no atendimento atingiu a cobertura de 65% da demanda por documentos de identidade que passaram a ser realizados pelos kits de captura biométrica, permitindo o envio imediato das informações dos requerentes para a etapa de análise e conferência dos dados, garantindo maior celeridade no processamento e entrega do documento.

Leia mais:  Adesão às recomendações da CGE cresce 15%

“Avaliamos os resultados do ano de 2019 de forma positiva, visto que atingimos o maior número de atendimentos, tanto na esfera civil como na criminal, além de continuarmos com a modernização da identificação no Estado informatizando os atendimentos nos postos de identificação das unidades do Ganha Tempo e dos conveniados com os municípios”, observou o Diretor Metropolitano de Identificação Técnica, Aílton Silva Machado.

O Diretor aponta que as metas alcançadas no ano passado, como a terceirização do processo de impressão que passou a ser realizada por uma indústria especializada em São Paulo, impactaram positivamente em ajustes nos bancos de dados, na otimização do envio de dados biográficos e biométricos e na maior segurança na impressão dos documentos.  “Esperamos, que a partir de fevereiro deste ano possamos equalizar os prazos de entrega do documento de identidade, reduzindo o tempo de espera em todo o Estado”, estima Machado.

Para o ano de 2020, a Diretoria Metropolitana de Identificação Técnica planeja  aumentar o número de postos com atendimento biométrico, retornar com o serviço de  SMS com  o envio de informações do  status da solicitação da carteira de identidade,  disponibilizar ferramenta de validação biométrica e a digitalização do arquivo de prontuários civis.

Leia mais:  Diretores da Politec realizam reuniões estratégicas com servidores e instituições públicas

“Com a ferramenta de validação, a Politec irá dispor de um sistema de leitura biométrica, que por meio da impressão digital e do número do RG e CPF, poderá constatar a identificação da pessoa, com o fornecimento das informações que constam em nosso banco de dados”, explicou.

Atualmente a instituição possui um arquivo físico com mais de três milhões de prontuários civis decorrentes de solicitações de RGs em todo o estado. A partir da digitalização dos processos, a Politec passará a ter um banco de dados biométricos para pesquisa, auditoria e consulta que irá dinamizar o trabalho de análise e confronto realizado pelos papiloscopistas para atestar a identificação dos cidadãos durante o processo de emissão dos documentos.  

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook

MT

Projeto quer implantar transporte coletivo intermunicipal gratuito para jovens de baixa renda

Publicado


Thiago Silva é deputado pelo MDB-MT

Foto: Ronaldo Mazza

Com o objetivo de conceder a gratuidade do transporte coletivo entre municípios para jovens de baixa renda, o deputado Thiago Silva (MDB) apresentou o Projeto de Lei 93/2020 na Assembleia.

Milhares de jovens mato-grossenses estudam ou trabalham em municípios distantes de onde residem, então o projeto vem de encontro com essa situação. Para ter acesso ao benefício, o jovem deve apresentar renda familiar inferior a dois salários mínimos. Segundo o projeto, serão reservadas duas vagas para esses jovens em veículos acima de 20 poltronas e uma vaga para veículos com 10 ou menos lugares.

 “Temos casos de pessoas que moram em Poxoréu e estudam em Rondonópolis e Primavera do Leste, ou moradores de Rosário Oeste que trabalham em Cuiabá, então o projeto quer facilitar a vida da nossa juventude que carece de apoio para conseguir mais oportunidades. Hoje, já temos esta lei para o transporte interestadual e queremos implementar entre as cidades também”, disse o deputado Thiago Silva.

Fonte: ALMT

Comentários Facebook
Leia mais:  Robótica, realidade virtual e planetário integram Circuito Itinerante da Ciência de MT
Continue lendo

MT

Mato Grosso teve 713 casos de hepatites virais em 2019; SES alerta para prevenção e tratamento

Publicado


Dentre as abordagens da campanha do Governo do Estado voltada para a prevenção de doenças sexualmente transmissíveis, está um alerta para casos relacionados às hepatites virais. A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT), por meio do setor de Vigilância em Saúde, registrou 15 casos de hepatite A, 499 casos de hepatite B e 199 casos de hepatite C em Mato Grosso, apenas no ano de 2019.

A hepatite é a inflamação do fígado, que pode ser causada por vírus ou pelo uso de alguns remédios, álcool e outras drogas, assim como por doenças autoimunes, metabólicas e genéticas. Os sintomas mais comuns das hepatites A e B são: dor ou desconforto abdominal; dor muscular; fadiga; náusea e vômitos; perda de apetite; febre; urina escura e o amarelamento da pele e olhos.

Em alguns casos, são doenças silenciosas, que nem sempre apresentam sintomas. De acordo com a técnica especializada em hepatites virais da SES, Regina Nascimento, o diagnóstico e o tratamento precoces podem evitar a evolução da doença para cirrose ou câncer de fígado – por isso é tão importante fazer os exames. A confirmação pode ser feita por testes rápidos, que apontam o resultado em uma hora, sendo que também existem exames feitos em laboratório.

A servidora também reforçou que o Sistema Único de Saúde (SUS) oferece tratamento para todos os tipos de hepatites, independentemente do grau de lesão do fígado.

Prevenção

A vacina é uma forma de prevenção contra as hepatites do tipo A e B, entretanto, quem se vacina para o tipo B também estará protegido da hepatite D. A vacina está disponível e é gratuita pelo SUS. Para os demais tipos de vírus, não há vacina e o tratamento é indicado pelo médico.

Leia mais:  Carnaval 2020: Foliões devem ficar atentos aos gastos extras e qualidade dos produtos

A prevenção à hepatite C pode ser feita evitando o contato com sangue contaminado, sexo desprotegido e compartilhamento de objetos cortantes; o tratamento é medicamentoso e há cura em mais de 95% dos casos. As hepatites B e D têm tratamento e podem ser controladas, evitando a evolução para cirrose e câncer. Já a hepatite A é uma doença aguda e o tratamento se baseia em dieta e repouso.

Pelo SUS, a imunização está disponível para crianças de 15 meses a 5 anos incompletos (4 anos, 11 meses e 29 dias) e também no Centro de Referência para Imunobiológicos Especiais (Crie), para pessoas de qualquer idade que tenham: hepatopatias crônicas de qualquer etiologia incluindo os tipos B e C; coagulopatias; diagnosticadas com HIV; portadores de quaisquer doenças imunossupressoras; doenças de depósito; fibrose cística; trissomias; candidatos a transplante de órgãos; doadores de órgãos, cadastrados em programas de transplantes ou com hemoglobinopatias.

Ainda é importante destacar que, durante a gravidez e o pré-natal, deve ser realizado o exame de hepatite. Caso diagnosticada, a gestante pode ser tratada, se houver indicação, ainda durante a gravidez.

Hepatite A

A hepatite A é uma doença contagiosa, causada pelo vírus A (HAV) e também conhecida como “hepatite infecciosa”. Sua transmissão é fecal-oral, por contato entre indivíduos ou por meio de água ou alimentos contaminados pelo vírus. A melhor forma de evitar a doença é melhorando as condições de saneamento básico e de higiene nas moradias. Os sintomas costumam aparecer de 15 a 50 dias após a infecção.

Leia mais:  Saúde e outras instituições definem primeiras ações de enfrentamento aos acidentes no trânsito

Hepatite B

A hepatite B é uma doença infecciosa, está presente no sangue, no esperma e no leite materno; é considerada uma doença sexualmente transmissível. Entre as causas de transmissão estão: relações sexuais sem camisinha com uma pessoa infectada; entre mãe infectada e filho durante a gestação, parto ou amamentação; transfusão de sangue contaminado; compartilhamento de material para uso de drogas (seringas, agulhas, cachimbos), higiene pessoal (lâminas, escovas de dente, alicates de unha ou outros objetos que furam ou cortam) ou de confecção de tatuagem e colocação de piercings.

Hepatite C

A hepatite C é causada por vírus, está presente no sangue e a transmissão ocorre por: transfusão de sangue; compartilhamento de material para uso de drogas (seringas, agulhas, cachimbos, entre outros), higiene pessoal (lâminas, escovas de dente, alicates de unha ou outros objetos que furam ou cortam) ou para confecção de tatuagem e colocação de piercings; entre mãe infectada e filho durante a gravidez (mais rara); sexo sem camisinha com uma pessoa infectada (mais rara).

Serviço

A vacina de prevenção para as hepatites do tipo A e B pode ser tomada no Centro de Referência para Imunobiológicos Especiais (Crie), que funciona nas instalações do Centro Estadual de Referência em Média e Alta Complexidade (Cermac), localizado na Rua Tenente Thogo da Silva Pereira, 63 – Centro Sul, em Cuiabá, de segunda a sexta-feira, das 7h às 18h.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Segurança

MT

Brasil

Economia & Finanças

Mais Lidas da Semana





Copyright © 2018 - Agência InfocoWeb - 66 9.99774262