conecte-se conosco


Cuiabá

Emanuel Pinheiro participa de posse na AMM e defende fortalecimento do municipalismo

Publicado

O prefeito destacou que trabalho em conjunto é a melhor forma de vencer as dificuldades enfrentadas pelos municípios  

O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro, participou na tarde desta quarta-feira (13), da cerimônia de posse do presidente reeleito da Associação Mato-grossense dos Municípios (AMM), Neurilan Fraga. A cerimônia de posse, seguindo as medidas de biossegurança contra a disseminação da Covid, foi realizada de forma híbrida sendo transmitido pelo canal do YouTube da entidade.

Por BRUNO VICENTE – No ato, o chefe do Executivo cuiabano evidenciou a importância da AMM para o fortalecimento dos municípios e parabenizou o presidente da instituição pela condução desse processo. De acordo com Pinheiro, o perfil municipalista faz parte de sua trajetória política e isso foi ainda mais acentuado durante sua atuação como vereador por Cuiabá, em duas oportunidades, e como deputado estadual, outras quatro vezes.

“Tenho orgulho de ter desenvolvido esse perfil. Durante essa caminhada, sempre prezei pela defesa do municipalismo e dentro desse contexto ressalto a importância da AMM para que isso se desenvolva em Mato Grosso. Por isso, faço questão de saudar o Neurilan, que foi reconduzido com maestria e legitimidade à presidência da nossa casa, a casa do povo cuiabano e a casa de todos os munícipes, que é a AMM”, comentou.

Leia mais:  Secretaria trabalha no fortalecimento do turismo da capital, diz Iracilda Botelho

O prefeito reforçou ainda a necessidade de que os municípios estejam cada vez mais unidos em prol dos benefícios para a população. Segundo ele, os desafios e dificuldades enfrentadas pelos gestores limita a possibilidade de desenvolver um pensamento macro. Nesse sentido, relatou que, por diversas vezes, a tendência é que as prefeituras ajam de forma isolada, sendo que os problemas são semelhantes.

“Em tempos de pandemia, em que há essa necessidade de viver um novo normal, existe também um velho normal que precisamos exercitar mais, que é a união. União por meio de consórcios, das experiências, das articulações políticas com a bancada federal. Precisamos ter essa relação institucional e uma soma de ideias, projetos e responsabilidades. Como a capital podemos auxiliar muito os municípios da baixada e estamos dispostos a fazer isso”, disse.

Para o deputado federal Emanuel Pinheiro Neto, o Emanuelzinho, que também participou do ato, a união também é o principal caminho para conseguir vencer as dificuldades enfrentadas, principalmente nos municípios de pequeno porte. O deputado igualmente parabenizou Neurilan Fraga pela reeleição e se colocou à disposição para continuar ajudando Mato Grosso, em parceria com outros parlamentares da bancada federal.

Leia mais:  Artigo - Posicionamento da vereadora Edna Sampaio sobre o retorno às aulas da educação pública

“Os prefeitos sabem as dificuldades enfrentadas, especialmente nos municípios de pequeno porte, com uma receita pequena e uma despesa consideravelmente alta. Isso se potencializou em momentos em que não houve o pagamento do FEX e o atraso no repasse para a Saúde. Junto com a AMM queremos trabalhar pela revisão do pacto federativo e temos a missão de lutar pela reforma tributária, garantindo uma maior competividade”, destacou.

Comentários Facebook

Cuiabá

Artigo – Posicionamento da vereadora Edna Sampaio sobre o retorno às aulas da educação pública

Publicado


Câmara Municipal de Cuiabá

Posicionamento da vereadora EDNA SAMPAIO sobre o retorno às aulas da educação pública:

A vereadora se posiciona favoravelmente ao retorno às aulas tão logo os(as) profissionais da educação pública e privada, professores(as) e trabalhadores(as) de apoio ao ensino em cada uma das escolas estejam adequadamente imunizados(as), e que o retorno em cada escola se dê apenas após a imunização de 100% dos(as) profissionais daquela unidade.

Isso se justifica pelo novo pico de contágio da doença, em que a taxa de ocupação das unidades de terapia intensiva da rede pública se aproxima de 70%, nos colocando em risco iminente de novo colapso da saúde local.

Além disso, é preocupante a indefinição sobre o futuro da cobertura vacinal contra a Covid 19 e o relato de 13 crianças internadas nesse momento com quadro grave da doença.

Além da vacinação, é preciso assegurar verba emergencial para as unidades escolares aplicarem em limpeza, desinfecção do ambiente escolar e higienização pessoal dos estudantes, aquisição de máscaras e criação de parâmetros de desinfecção, com a participação de profissionais de saúde e de educação, a fim de evitar o relaxamento das medidas de biossegurança.

Precisaremos também de mais funcionários para acompanhar os alunos e garantir as medidas de higiene nos momentos de chegada e saída, além de investir na trigam dos casos suspeitos, estabelecendo parcerias com unidades de saúde para garantir nas unidades a presença de, no mínimo, uma equipe médica para atender a estes pacientes.

Leia mais:  Ouvidoria monta posto de atendimento no Centro de Vacinação para facilitar recebimento de manifestações

Mesmo para o ensino remoto, como vinha acontecendo, é necessário avaliar as condições de realização.&nbsp Este modelo emergencial de ensino precisa ser avaliado e medidas necessárias de acesso à internet pelos estudantes e condições de trabalho aos professores precisam entrar na pauta do Poder Público.

Durante toda a pandemia, os professores assumiram a responsabilidade pessoal com a condução das aulas, arcando com o custo dessas atividades, estende exaustivamente suas jornadas de trabalho muito além daquelas previstas no seu contrato de trabalho.

No caso das mães, estas acumularam triplas jornadas de trabalho de forma ainda mais exaustiva.&nbsp O poder público não pode terceirizar a responsabilidade da educação exclusivamente aos professores e pais.

O quadro da pandemia suspende a normalidade das aulas e exige mais investimentos e criatividade do Poder Público para garantia do direito à educação a todas as crianças. Manter exatamente o modelo vigente, sem ampliar investimentos para garantir acesso à computadores e internet, contratar mais profissionais para um novo modelo de aulas imposto pela pandemia, articular a política de educação com a política de saúde, tudo isso exige pensar outro formato da escola para estes tempos de pandemia.

Leia mais:  Renivaldo sugere utilizar emendas para compra de vacinas contra covid

Além disso, o Poder Público não pode, por decreto e, sem ouvir amplamente os educadores, instituir medidas que, claramente, atentam contra a saúde e a vida de profissionais da educação, dos estudantes e de seus familiares.

Queremos todas as escolas abertas. Porém, não podemos ignorar as condições objetivas: &nbspem pleno pico da segunda onda de COVID-19, crianças internadas em estado grave pela doença, sem vacina para os profissionais da educação e estudantes, sem investimentos necessários suprir a necessidades das famílias de baixa renda que não possuem computadores, nem acesso à internet.

Até quando o Poder Público vai continuar ignorando essa realidade tão desigual?&nbsp Além disso, é preciso ouvir os profissionais de educação, afinal, o decreto impactará diretamente a vida dessas pessoas e de seus familiares. Nenhum patrão tem o direito de empurrar seus trabalhos para a doença e para a morte.

Estaremos cobrando e acompanhando essa discussão. Somos todos pela vida e por direitos!


Edna Sampaio é vereadora de Cuiabá

Comentários Facebook
Continue lendo

Cuiabá

Ouvidoria monta posto de atendimento no Centro de Vacinação para facilitar recebimento de manifestações

Publicado


Davi Valle

Clique para ampliar

Visando facilitar o processo de recolhimento das manifestações da população, relacionadas à campanha municipal de imunização “Vacina Cuiabá – sua vida em primeiro lugar”, a Ouvidoria Geral do Município (OGM) montou um posto de atendimento no Centro de Eventos do Pantanal. No local, o munícipe tem total acesso ao exercício da cidadania, podendo formalizar sugestões, reclamações, elogios ou denúncias sobre o serviço ofertado.   

O atendimento na estrutura itinerante funciona durante os sete dias da semana, no período das 7h às 22h. Para garantir que o local conte sempre alguém disponível para o recebimento da demanda, a Ouvidoria Geral montou um escala de trabalho com sete servidores. Além disso, seguindo a determinação da Lei de Acesso à Informação (LAI), Lei nº 12.527, é garantido total anonimato ao cidadão.

Somado a esse posto de atendimento, a OGM continua também recebendo as manifestações dessa e de outras áreas pelo 0800 645 01 56, WhatsAPP (65) 9-9263-9779, e-mail: ouvidoria.cuiaba@cuiaba.mt.gov.br, e em sua sede, localizada Av. Mato Grosso, nº 453. O secretário de Governo, Luis Claudio, reforça que a gestão está atuando em parceria com outras entidades para garantir a transparência, controle e, principalmente, respeito ao cidadão.

Leia mais:  Prefeito lamenta morte de judoca Fenelon Muller

“Estamos facilitando o recebimento de denúncias, para que possamos apurar a veracidade do fato. Nada mais justo que esse procedimento tenha início pela Ouvidoria, que já se instalou no local e ainda mantém seus outros canais ativos. A população aguarda ansiosa pelo seu momento de se vacinar. Então, não vamos admitir que nenhum servidor burle o cronograma e, se assim o fizer, todas as providências serão tomadas”, afirma o secretário.

Em relação às denúncias de pessoas que, supostamente, estariam ‘furando fila’ no plano de imunização, a titular da Secretaria de Saúde, Ozenira Félix, afirmou em entrevista concedida na segunda-feira (25) que o trabalho é feito com total transparência e que, caso alguma irregularidade seja constatada, as sanções cabíveis serão aplicadas ao infrator. De acordo com a Pasta, até ontem, 4.134 pessoas foram vacinadas pela Prefeitura de Cuiabá. 

“Está muito bem definido no plano nacional que são trabalhadores da saúde, e isso envolve o recepcionista, o pessoal de limpeza, o médico, a enfermeira, enfim, todos são trabalhadores da saúde. Os trabalhadores que foram denunciados até agora, são porque não são profissionais de saúde com formação, mas sim trabalhadores na Saúde. Mas vamos apurar qualquer desvio e dar sanções em caso de irregularidade”, disse. 

Leia mais:  Artigo - Posicionamento da vereadora Edna Sampaio sobre o retorno às aulas da educação pública

Comentários Facebook
Continue lendo

Segurança

MT

Brasil

Economia & Finanças

Mais Lidas da Semana





Copyright © 2018 - Agência InfocoWeb - 66 9.99774262