conecte-se conosco


SEGURANÇA

Homicídio ocorrido no dia de Natal, em Cuiabá, é esclarecido e autora presa

Publicado


A Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa de Cuiabá (DHPP) esclareceu o homicídio de José Carlos Ribeiro, 50 anos, ocorrido no dia 25 dezembro, no bairro Altos da Glória, na capital. A pessoa investigada como autora do crime, de 30 anos, foi presa na segunda-feira (18) pela Polícia Militar, no Residencial José Carlos Guimarães, em Várzea Grande, em cumprimento a um mandado de prisão preventiva expedido pela Comarca da Capital.

A vítima foi encontrada morta na cama, em sua residência, e o corpo apresentava lesões causadas por instrumentos contundente e cortante. Um pedaço de madeira, com um prego na ponta, foi encontrado no local.

Com o início das investigações abertas pela DHPP, a equipe coordenada pelo delegado Caio Fernando Albuquerque coletou informações de que no dia do crime uma pessoa monitorada por tornozeleira eletrônica esteve na residência da vítima.

Após ser identificada, a investigada foi ouvida em depoimento na DHPP e declarou como cometeu o crime. Segunda ela, três meses antes do fato, quando ainda não tinha relacionamento íntimo com José Carlos, estava tomando cerveja com a vítima junto com a sobrinha dela, de 14 anos. Logo após, saiu da casa para comprar e fazer uso de entorpecentes, quando momento depois sua sobrinha a procurou chorando e dizendo que a José Carlos havia tentado violentá-la sexualmente.

Leia mais:  Polícia Civil cumpre 24 ordens judiciais contra organização criminosa atuante em MT

A investigada retornou então à casa da vítima para tomar satisfação do ocorrido, mas o homem negou o ato de violência, embora a adolescente tenha confirmado o abuso. Após isso, ainda segundo depoimento da investigada, ela decidiu que mataria a vítima e pediu que a adolescente não comentasse a ninguém o ocorrido e que resolveria a situação.

Conforme narrado no depoimento, vendo que a vítima tentava uma aproximação, a investigada começou a ter encontros amorosos com José Carlos e afirmou ao delegado que passou a fazer isso para aproveitar a oportunidade e vingar o que ocorreu com sua sobrinha. Em um dos encontros, após se relacionarem, ela golpeou a vítima com o pedaço de madeira e com uma faca.

“Os elementos de prova colhidos durante as diligências comprovam que não houve homicídio privilegiado – quando a vítima provoca o cometimento do crime pouco antes de sua prática. Mas sim, que o crime foi motivado por vingança, configurando a qualificadora de torpeza na medida em que, premeditadamente, o autor planejou a ação homicida cerca de três meses depois do referido comportamento da vítima. Além disso, ficou configurada a qualificadora de impossibilidade de defesa pois, ao que tudo indica, ao contrário da versão da investigada, a vítima dormia quando foi golpeada”, explicou o delegado Caio Albuquerque.

Leia mais:  Comando Regional de Juína contará com sistema de radiocomunicação digital

Com base nos elementos coletados na investigação, o delegado representou à Justiça pela prisão preventiva da investigada. O inquérito segue para conclusão e ela será indiciada por homicídio qualificado.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook

SEGURANÇA

Polícia Militar lamenta morte de coronel que comandou unidades e fez história na Segurança

Publicado


A Polícia Militar lamenta a morte do coronel aposentado Adib Massad, 91 anos, que morreu no início da noite de ontem(03.02), em um hospital privado de Campo Grande, Mato Grosso do Sul.

Nascido em Cáceres(MT0, Cel Adib fez história na Segurança Pública atuante por décadas em unidade militares e da Polícia Civil em Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Ele iniciou carreira como oficial da Polícia Militar de Mato Grosso em 1953.

Três anos depois, ocupou o cargo de delegado na cidade natal, Cáceres. Também foi delegado em Poxoréu, Rondonópolis e Dom Aquino, função que também ocupou em Jardim, Paranaíba e Porto Murtinho, municípios que hoje pertencem Mato Grosso do Sul.

Em Mato Grosso, ainda ocupou o cargo de titular da Delegacia de Roubos e Furtos. Coronel Adib Massad foi o criador e comandou por seis anos o antigo GOF (Grupo de Operações de Fronteira) de MT, atual DOF (Departamento de Operações de Fronteira).

O comandante geral da PM coronel Jonildo José de Assis, lamentou a perda e relembrou que quando ingressou na carreira militar, no primeiro ano do curso de formação de oficiais, teve a honra de conhecer o coronel Adib. Adib fez uma visita à academia e por cerca de meia hora conversou com os alunos a oficiais.

Leia mais:  Polícia Civil cumpre 24 ordens judiciais contra organização criminosa atuante em MT

Já o coronel Carlos Eduardo Pinheiro da Silva, subchefe de Estado Maior Geral da PM, esteve por duas vezes com o coronel Adib. Logo que ingressou na academia de formação de oficiais, como aluno a oficial, durante uma visita do coronel.

Depois, em 2018, já coronel da PM, quando exercia a função de comandante do 6º Comando Regional de Cáceres, Pinheiro recebeu uma visita do coronel Adib. Além de uma conversa informal sobre segurança e outros temas, Pinheiro  ganhou das mãos do próprio Adib o livro: Coronel Adib – A História, do escritor Guimarães Rocha.

Cel Pinheiro, ao centro, junot com outros policiais do 6º Comando Regional de Cáceres, durante visita do cel Adib Massad(Foto: Arquivo pessoal)

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

SEGURANÇA

Polícia Civil cumpre 24 ordens judiciais contra organização criminosa atuante em MT

Publicado


Vinte e quatro mandados judiciais com alvo em uma organização criminosa atuante na região Leste do estado são cumpridos pela Polícia Civil, na manhã desta quinta-feira (04.03), na operação Number One, deflagrada pela Delegacia Regional de Água Boa (730 km a leste de Cuiabá) com base em investigações da Delegacia de Canarana (823 km a leste).

Dentre as ordens judiciais, 16 mandados são de prisão e oito de busca e apreensão domiciliar (cinco expedidos pela 7ª Vara Criminal de Água Boa e três expedidos pelo Judiciário de Canarana). Parte dos mandados são cumpridos em unidades prisionais de Água Boa, Barra do Garças e Cuiabá. 

Segundo o delegado regional de Água Boa e coordenador dos trabalhos, Valmon Pereira da Silva, a operação possui objetos prioritários como coibir a ramificação e permanência da facção na região, responsabilizar os criminosos por atos de violência perpetrados principalmente nas modalidades de tráfico de drogas, roubo e extorsão, prevenção e repressão a investidas contra membros das Forças de Segurança. 

“Além de desarticular a atuação da facção, a operação tem o objetivo de apreender armas, munições, drogas e produtos oriundos de furtos, que são objetos das buscas, devolvendo a tranquilidade à sociedade já que, os integrantes do grupo criminoso tem agido de forma intimidatória para marcar território”, disse Valmon. 

Leia mais:  Polícia Civil cumpre 24 ordens judiciais contra organização criminosa atuante em MT

Investigação

O trabalho investigativo conduzido pelo delegado de Canarana, Deuel Santana, iniciou em 2019, reunindo provas que resultaram na identificação de uma complexa rede criminosa atuante dentro e fora de unidades prisionais do estado de Mato Grosso. De acordo com as investigações, os integrantes do grupo criminoso, mesmo detidos do em unidades prisionais, ordenam crimes e participam diretamente de suas execuções. 

“Durante as investigações, ficou demonstrado que apesar dos esforços empreendidos pelo aparelho estatal, celulares continuam chegando aos reeducandos que, usam a tecnologia em favor do crime. Mesmos presos, os criminosos transmitem ordens aos comparsas que estão fora em funções designadas pelos líderes. A forma violenta de agir contra aqueles que contrariam os propósitos do grupo foi outro fator característico constatado durante o trabalho investigativo”, disse o delegado. 

No volumoso caderno investigativo há provas testemunhais, vídeos de crimes sendo praticados, diálogos com conteúdos que demonstram uma escala piramidal com funções específicas e uma clara demonstração do grupo em monopolizar o comércio de drogas no estado de Mato Grosso. 

Leia mais:  Comando Regional de Juína contará com sistema de radiocomunicação digital

Ficou demonstrado ainda o propósito de crescer numericamente do grupo criminoso com admissão (batismo) inclusive de adolescentes. O grupo busca firmar-se como poder paralelo tentando instituir “proteção” a comerciantes mediante cobrança de taxas – fato denunciado por um empresário e confirmado pelas investigações. 

Efetivo empregado

Cerca de 50 Policiais Civis atuam no cumprimento dos mandados em diferentes cidades do estado de forma articulada. Além do efetivo da Regional, que contou com policiais de Água Boa, Nova Xavantina, Querência, Ribeirão Cascalheira e Canarana, houve a participação efetiva das Delegacias de Barra do Garças, Primavera do Leste e Cuiabá. 

Nome da operação

O nome da operação “Number One” foi escolhido pelo fato do inquérito instaurado na Delegacia de Canarana ser o primeiro procedimento da unidade no ano de 2019, quando iniciaram as investigações que desencadearam a referida operação. 

Além disso, o trabalho investigativo chegou ao integrante do grupo tido na facção como número 01 na hierarquia do crime na região. O suspeito encontra-se preso em Cuiabá e é um dos alvos com mandado de prisão cumprido nesta quinta-feira.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Segurança

MT

Brasil

Economia & Finanças

Mais Lidas da Semana





Copyright © 2018 - Agência InfocoWeb - 66 9.99774262