conecte-se conosco


Cuiabá

Ministério da Saúde pede atualização de cartão de vacina para plano nacional de imunização à Covid

Publicado


Reprodução

Clique para ampliar

As pessoas que ainda não realizaram a atualização do cartão do SUS devem atualizá-lo o quanto antes, para poderem participar da campanha de vacinação contra o coronavírus, que está em fase final de preparação em todo o país. A atualização do cartão antes do começo da campanha é fundamental para evitar filas no momento da vacinação e para que a ação seja realizada da maneira mais rápida possível, evitando aglomerações. 

A orientação do Ministério da Saúde é que toda a população realize esta atualização por meio do aplicativo Conecte SUS, disponível gratuitamente nas lojas virtais de aplicativos nos celulares . “O Conecte SUS é uma ferramenta do Governo Federal e plataforma oficial de comunicação entre o cidadão e o Sistema Único de Saúde. Nele, o cidadão tem acesso a todo o histórico de vacinação, bem como consultas e exames feitos na rede pública. Importante frisar que aqueles que ainda não possuem o cartão do SUS também devem baixar o aplicativo, que vai gerar o cartão de maneira digital. Como possivelmente a vacina será disponibilizada apenas na rede pública, todos que fazem parte do público alvo precisam ter o cartão do SUS”, explicou a secretária.

Leia mais:  Artigo - Posicionamento da vereadora Edna Sampaio sobre o retorno às aulas da educação pública

Ozenira ressalta que aqueles que não conseguirem baixar o aplicativo, podem fazer a atualização no posto de saúde mais próximo de sua residência. “Todas as unidades Básicas de saúde podem fazer a atualização ou fazer o cartão para quem ainda não possui. Nós pedimos às pessoas que têm condições de fazer pelo celular, que o façam, mas se não for possível, é só ir até um posto ou centro de saúde e solicitar”, disse.

Confira abaixo o passo a passo para baixar o aplicativo e fazer o cadastro:

1) Vá uma das lojas de aplicativos e procure por Conecte SUS. Instale o app no smartphone e abra;

2) Ao abrir o aplicativo, ele vai pedir login e senha, caso você já tenha cadastro. Se você não lembra se tem, basta digitar o CPF que o sistema fará a conferência;

3) Se você não tem, será dada a opção de criar o cadastro e você pode escolher a forma de login;

4) Uma tela deve pedir a verificação de alguns dados, como mês de nascimento, nome da mãe etc.;

Leia mais:  Ouvidoria monta posto de atendimento no Centro de Vacinação para facilitar recebimento de manifestações

5) Para ativar a conta, você receberá um código. Mas antes você deve escolher se quer receber por e-mail ou SMS, indicando também o endereço de e-mail ou número de telefone;

6) Digite o código no campo indicado;

7) Então, o sistema pedirá a criação de uma senha;

8) Depois disso, será necessário informar um endereço de email;

9) Um código será enviado para esse endereço de e-mail;

10) Pronto, seu cadastro está criado.

ALERTA

A Secretaria Municipal de Saúde alerta a todos que nem a Prefeitura e nem o Ministério da Saúde estão entrando em contato com a população espontaneamente para fazer a atualização do cartão do SUS ou para pedir dados dos cidadãos. Já há notícias sobre esta prática, onde golpistas enganam as pessoas para clonar seus telefones. Apenas quem fizer a instalação do aplicativo Conecte SUS receberá uma mensagem para ativar a conta. Portanto, quem receber alguma mensagem sem ter baixado o aplicativo, simplesmente ignore.

Comentários Facebook

Cuiabá

Artigo – Posicionamento da vereadora Edna Sampaio sobre o retorno às aulas da educação pública

Publicado


Câmara Municipal de Cuiabá

Posicionamento da vereadora EDNA SAMPAIO sobre o retorno às aulas da educação pública:

A vereadora se posiciona favoravelmente ao retorno às aulas tão logo os(as) profissionais da educação pública e privada, professores(as) e trabalhadores(as) de apoio ao ensino em cada uma das escolas estejam adequadamente imunizados(as), e que o retorno em cada escola se dê apenas após a imunização de 100% dos(as) profissionais daquela unidade.

Isso se justifica pelo novo pico de contágio da doença, em que a taxa de ocupação das unidades de terapia intensiva da rede pública se aproxima de 70%, nos colocando em risco iminente de novo colapso da saúde local.

Além disso, é preocupante a indefinição sobre o futuro da cobertura vacinal contra a Covid 19 e o relato de 13 crianças internadas nesse momento com quadro grave da doença.

Além da vacinação, é preciso assegurar verba emergencial para as unidades escolares aplicarem em limpeza, desinfecção do ambiente escolar e higienização pessoal dos estudantes, aquisição de máscaras e criação de parâmetros de desinfecção, com a participação de profissionais de saúde e de educação, a fim de evitar o relaxamento das medidas de biossegurança.

Precisaremos também de mais funcionários para acompanhar os alunos e garantir as medidas de higiene nos momentos de chegada e saída, além de investir na trigam dos casos suspeitos, estabelecendo parcerias com unidades de saúde para garantir nas unidades a presença de, no mínimo, uma equipe médica para atender a estes pacientes.

Leia mais:  Artigo - Posicionamento da vereadora Edna Sampaio sobre o retorno às aulas da educação pública

Mesmo para o ensino remoto, como vinha acontecendo, é necessário avaliar as condições de realização.&nbsp Este modelo emergencial de ensino precisa ser avaliado e medidas necessárias de acesso à internet pelos estudantes e condições de trabalho aos professores precisam entrar na pauta do Poder Público.

Durante toda a pandemia, os professores assumiram a responsabilidade pessoal com a condução das aulas, arcando com o custo dessas atividades, estende exaustivamente suas jornadas de trabalho muito além daquelas previstas no seu contrato de trabalho.

No caso das mães, estas acumularam triplas jornadas de trabalho de forma ainda mais exaustiva.&nbsp O poder público não pode terceirizar a responsabilidade da educação exclusivamente aos professores e pais.

O quadro da pandemia suspende a normalidade das aulas e exige mais investimentos e criatividade do Poder Público para garantia do direito à educação a todas as crianças. Manter exatamente o modelo vigente, sem ampliar investimentos para garantir acesso à computadores e internet, contratar mais profissionais para um novo modelo de aulas imposto pela pandemia, articular a política de educação com a política de saúde, tudo isso exige pensar outro formato da escola para estes tempos de pandemia.

Leia mais:  Ouvidoria monta posto de atendimento no Centro de Vacinação para facilitar recebimento de manifestações

Além disso, o Poder Público não pode, por decreto e, sem ouvir amplamente os educadores, instituir medidas que, claramente, atentam contra a saúde e a vida de profissionais da educação, dos estudantes e de seus familiares.

Queremos todas as escolas abertas. Porém, não podemos ignorar as condições objetivas: &nbspem pleno pico da segunda onda de COVID-19, crianças internadas em estado grave pela doença, sem vacina para os profissionais da educação e estudantes, sem investimentos necessários suprir a necessidades das famílias de baixa renda que não possuem computadores, nem acesso à internet.

Até quando o Poder Público vai continuar ignorando essa realidade tão desigual?&nbsp Além disso, é preciso ouvir os profissionais de educação, afinal, o decreto impactará diretamente a vida dessas pessoas e de seus familiares. Nenhum patrão tem o direito de empurrar seus trabalhos para a doença e para a morte.

Estaremos cobrando e acompanhando essa discussão. Somos todos pela vida e por direitos!


Edna Sampaio é vereadora de Cuiabá

Comentários Facebook
Continue lendo

Cuiabá

Ouvidoria monta posto de atendimento no Centro de Vacinação para facilitar recebimento de manifestações

Publicado


Davi Valle

Clique para ampliar

Visando facilitar o processo de recolhimento das manifestações da população, relacionadas à campanha municipal de imunização “Vacina Cuiabá – sua vida em primeiro lugar”, a Ouvidoria Geral do Município (OGM) montou um posto de atendimento no Centro de Eventos do Pantanal. No local, o munícipe tem total acesso ao exercício da cidadania, podendo formalizar sugestões, reclamações, elogios ou denúncias sobre o serviço ofertado.   

O atendimento na estrutura itinerante funciona durante os sete dias da semana, no período das 7h às 22h. Para garantir que o local conte sempre alguém disponível para o recebimento da demanda, a Ouvidoria Geral montou um escala de trabalho com sete servidores. Além disso, seguindo a determinação da Lei de Acesso à Informação (LAI), Lei nº 12.527, é garantido total anonimato ao cidadão.

Somado a esse posto de atendimento, a OGM continua também recebendo as manifestações dessa e de outras áreas pelo 0800 645 01 56, WhatsAPP (65) 9-9263-9779, e-mail: ouvidoria.cuiaba@cuiaba.mt.gov.br, e em sua sede, localizada Av. Mato Grosso, nº 453. O secretário de Governo, Luis Claudio, reforça que a gestão está atuando em parceria com outras entidades para garantir a transparência, controle e, principalmente, respeito ao cidadão.

Leia mais:  Ouvidoria monta posto de atendimento no Centro de Vacinação para facilitar recebimento de manifestações

“Estamos facilitando o recebimento de denúncias, para que possamos apurar a veracidade do fato. Nada mais justo que esse procedimento tenha início pela Ouvidoria, que já se instalou no local e ainda mantém seus outros canais ativos. A população aguarda ansiosa pelo seu momento de se vacinar. Então, não vamos admitir que nenhum servidor burle o cronograma e, se assim o fizer, todas as providências serão tomadas”, afirma o secretário.

Em relação às denúncias de pessoas que, supostamente, estariam ‘furando fila’ no plano de imunização, a titular da Secretaria de Saúde, Ozenira Félix, afirmou em entrevista concedida na segunda-feira (25) que o trabalho é feito com total transparência e que, caso alguma irregularidade seja constatada, as sanções cabíveis serão aplicadas ao infrator. De acordo com a Pasta, até ontem, 4.134 pessoas foram vacinadas pela Prefeitura de Cuiabá. 

“Está muito bem definido no plano nacional que são trabalhadores da saúde, e isso envolve o recepcionista, o pessoal de limpeza, o médico, a enfermeira, enfim, todos são trabalhadores da saúde. Os trabalhadores que foram denunciados até agora, são porque não são profissionais de saúde com formação, mas sim trabalhadores na Saúde. Mas vamos apurar qualquer desvio e dar sanções em caso de irregularidade”, disse. 

Leia mais:  Prefeito lamenta morte de judoca Fenelon Muller

Comentários Facebook
Continue lendo

Segurança

MT

Brasil

Economia & Finanças

Mais Lidas da Semana





Copyright © 2018 - Agência InfocoWeb - 66 9.99774262