conecte-se conosco


Saúde

Pazuello diz que programa de vacinação do Brasil será “o maior do mundo”

Publicado

Comitiva do Ministério da Saúde visita a capital do Amazonas para apresentar ações de enfrentamento à pandemia

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, reafirmou em Manaus, nesta segunda-feira (11/01), que o Brasil está preparado para iniciar a vacinação contra a Covid-19 assim que houver o aval da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Por Marina Pagno – Segundo o ministro, todos os estados receberão as doses ao mesmo tempo, garantindo a imunização gratuita e não obrigatória para todos os brasileiros e brasileiras.

“O nosso programa de vacinação para a Covid-19 será o maior do mundo. Porque o povo brasileiro já está adaptado e quer receber a vacina. A prioridade é o Brasil todo”, ressaltou.

Em Manaus, Pazuello e todos os secretários da pasta apresentaram ações de reforço ao plano de contingência para enfrentamento da Covid-19 do estado do Amazonas. Entre as iniciativas, estão a reorganização do atendimento nos postos de saúde e hospitais, o recrutamento de profissionais de saúde e a abertura de leitos de UTI, além do envio de equipamentos, insumos e medicamentos. O evento foi realizado no Centro de Convenções do Amazonas Vasco Vasques.

“Minha posição aqui é de apoio. Eu sou o apoio, vou apoiá-los com minhas equipes, com tudo que vocês precisarem. E com o conhecimento que adquirimos ao longo do último ano”, falou o ministro na presença do governador do Amazonas, Wilson Miranda Lima, do prefeito de Manaus, David Miranda, e de prefeitos e secretários de municípios amazonenses.

PLANEJAMENTO 

Pazuello reforçou que o Brasil possui, até o momento, 354 milhões de doses contratadas, destacando os 2 milhões de doses da vacina da AstraZeneca, já comprados junto ao laboratório indiano Serum, e os 6 milhões de doses do laboratório chinês Sinovac adquiridos pelo Instituto Butantan.

“A previsão inicial é começar a vacinar os brasileiros no próximo dia 20. Trabalhamos com três prazos. O mais dilatado é de 10 de fevereiro até o início de março”, esclareceu. 

De acordo com o Plano Nacional de Operacionalização da Vacina contra a Covid-19, elaborado pelo Ministério da Saúde, o início da distribuição das doses acontecerá em até cinco dias após a aprovação dos imunizantes pela Anvisa. As vacinas serão enviadas aos estados por via aérea e terrestre, que serão encarregados de distribuir aos municípios.

O ministro aproveitou a presença de gestores locais do estado do Amazonas para pedir a reorganização das Unidades Básicas de Saúde (UBS) – locais onde estão instaladas grande parte das salas de vacinação.

“Prefeitos, façam um checklist das salas de vacinação, do depósito, da geladeira que armazena as doses. Reorganizem o combate. UBS é isso”, enfatizou.

TRATAMENTO PRECOCE 

Leia mais:  Anvisa decide neste domingo se aprova uso emergencial de vacinas

Durante o evento, o Ministério da Saúde lançou o aplicativo TrateCOV – ferramenta que irá implantar um novo método científico para detectar casos de Covid-19 nos postos de saúde. Por um aplicativo de celular, profissionais de saúde irão utilizar um protocolo clínico para fazer um diagnóstico rápido da doença através de um sistema de pontos que obedece rigorosos critérios médicos. Manaus será a primeira cidade a testar o aplicativo que, após, poderá ser ampliado para outros municípios.

“O diagnóstico não é do teste, é do profissional médico. O tratamento, a prescrição, é do médico. E a orientação é precoce. E essa é a orientação de todos os conselhos de medicina”, disse Pazuello, defendendo o tratamento precoce contra a Covid-19.

AÇÕES JÁ REALIZADAS

Na última semana, o Ministério da Saúde providenciou o envio de 131 ventiladores pulmonares para o Amazonas – 78 apenas para Manaus. Além disso, desde sexta-feira (08/01), o Ministério da Defesa está providenciando o transporte de 1.500 cilindros de oxigênio para o município.

Em 2020, o Ministério da Saúde destinou ao Amazonas R$ 1,7 bilhão – desses, R$ 1,1 bilhão para serviços de rotina do SUS e os outros R$ 513,1 milhões para o enfrentamento da Covid-19. Já foram habilitados no estado 259 leitos de UTI para o tratamento exclusivo de paciente com coronavírus. Além disso, foram prorrogados a habilitação de 642 leitos de UTI. O valor total investido pelo Governo Federal é de R$ 72,2 milhões.

A rede pública de saúde do Amazonas teve sua estrutura de assistência intensiva ampliada com a entrega, até o momento, de 392 novos ventiladores pulmonares adquiridos pelo Ministério da Saúde, para o tratamento de pacientes graves infectados com o coronavírus.

O Ministério da Saúde já distribuiu 6,8 milhões de Equipamentos de Proteção Individual (EPI) para garantir a proteção dos profissionais de saúde que atuam na linha frente do enfretamento à Covid-19 no Amazonas.

Para Manaus, a pasta destinou R$ 836,1 milhões em 2020. Desse total, R$ 635,8 milhões foram para serviços de rotina do SUS, e os outros R$ 200,3 milhões para o enfrentamento da Covid-19.

Comentários Facebook

Saúde

Brasil registra 7.388.784 milhões de pessoas recuperadas com 209.296 mortes por covid-19

Publicado

por

Informações foram atualizadas às 18h30 deste sábado (16/01)

 O Brasil já registra 7.388.784 milhões de pessoas curadas da Covid-19. No mundo, estima-se que pelo menos 29 milhões de pessoas diagnosticadas com Covid-19 já se recuperaram. O número de pessoas curadas no Brasil é superior à quantidade de casos ativos (856.979) que são os pacientes em acompanhamento médico. O registro de pessoas curadas já representa a grande maioria do total de casos acumulados (87,4%). As informações, atualizadas às 18h30 deste sábado (16/01), foram enviadas pelas secretarias estaduais e municipais de Saúde. 

Por Luiza Barufi – O Brasil já registra 7.388.784 milhões de pessoas curadas da Covid-19. No mundo, estima-se que pelo menos 29 milhões de pessoas diagnosticadas com Covid-19 já se recuperaram. O número de pessoas curadas no Brasil é superior à quantidade de casos ativos (856.979) que são os pacientes em acompanhamento médico. O registro de pessoas curadas já representa a grande maioria do total de casos acumulados (87,4%). As informações, atualizadas às 18h30 deste sábado (16/01), foram enviadas pelas secretarias estaduais e municipais de Saúde.

A doença está presente em 100% dos municípios brasileiros. Contudo, mais da metade das cidades (3.727) possuem entre 2 e 100 casos. Em relação aos óbitos, 5.073 municípios tiveram registros (91,1%), sendo que 862 deles apresentaram apenas um óbito confirmado.

O Governo do Brasil mantém esforço contínuo para garantir o atendimento em saúde à população, em parceria com estados e municípios, desde o início da pandemia. O objetivo é cuidar da saúde de todos e salvar vidas, além de promover e prevenir a saúde da população.

Dessa forma, a pasta tem repassado verbas extras e fortalecido a rede de atendimento do Sistema Único de Saúde (SUS), com envio de recursos humanos (médicos e profissionais de saúde), insumos, medicamentos, ventiladores pulmonares, testes de diagnóstico, habilitações de leitos de UTI para casos graves e gravíssimos e Equipamentos de Proteção Individual (EPIS) para os profissionais de saúde.

Leia mais:  Andamento da análise das vacinas na Anvisa

O Ministério da Saúde já destinou aos 26 estados e o Distrito Federal R$ 198,1 bilhões, sendo que desse total foram R$ 134 bilhões para serviços de rotina do SUS, e outros R$ 64,2 bilhões para a Covid-19. Também já foram comprados e distribuídos 27,9 milhões de unidades de medicamentos para auxiliar no tratamento do coronavírus, 306,8 milhões de EPI, mais de 20,6 milhões de testes de diagnóstico para Covid-19 e 79,9 milhões de doses da vacina contra a gripe, que ajuda a diminuir casos de influenza e demais síndromes respiratórias no meio dos casos de coronavírus.

O Ministério da Saúde, em apoio a estados e municípios, também tem ajudado os gestores locais do SUS na compra e distribuição de ventiladores pulmonares, sendo que já entregou 13.296 equipamentos para todos os estados brasileiros.

As iniciativas e ações estratégicas são desenhadas conforme a realidade e necessidade de cada região, junto com estados e municípios, e têm ajudado os gestores locais do SUS a ampliarem e qualificarem os atendimentos, trazendo respostas mais efetivas às demandas da sociedade. Neste momento, o Brasil registra 8.455.059 milhões de casos confirmados da doença, sendo 61.567 mil registrados nos sistemas nacionais nas últimas 24h.

Em relação aos óbitos, o Brasil tem 209.296 mortes por coronavírus. Nas últimas 24h, foram registrados 1.050 óbitos nos sistemas oficiais, sendo que 879 óbitos ocorreram nos últimos três dias. Outros 2.720 permanecem em investigação.

A doença está presente em 100% dos municípios brasileiros. Contudo, mais da metade das cidades (3.727) possuem entre 2 e 100 casos. Em relação aos óbitos, 5.073 municípios tiveram registros (91,1%), sendo que 862 deles apresentaram apenas um óbito confirmado.

O Governo do Brasil mantém esforço contínuo para garantir o atendimento em saúde à população, em parceria com estados e municípios, desde o início da pandemia. O objetivo é cuidar da saúde de todos e salvar vidas, além de promover e prevenir a saúde da população.

Leia mais:  Covid-19: Anvisa divulga novas orientações para farmácias e drogarias

Dessa forma, a pasta tem repassado verbas extras e fortalecido a rede de atendimento do Sistema Único de Saúde (SUS), com envio de recursos humanos (médicos e profissionais de saúde), insumos, medicamentos, ventiladores pulmonares, testes de diagnóstico, habilitações de leitos de UTI para casos graves e gravíssimos e Equipamentos de Proteção Individual (EPIS) para os profissionais de saúde.

O Ministério da Saúde já destinou aos 26 estados e o Distrito Federal R$ 198,1 bilhões, sendo que desse total foram R$ 134 bilhões para serviços de rotina do SUS, e outros R$ 64,2 bilhões para a Covid-19. Também já foram comprados e distribuídos 27,9 milhões de unidades de medicamentos para auxiliar no tratamento do coronavírus, 306,8 milhões de EPI, mais de 20,6 milhões de testes de diagnóstico para Covid-19 e 79,9 milhões de doses da vacina contra a gripe, que ajuda a diminuir casos de influenza e demais síndromes respiratórias no meio dos casos de coronavírus.

O Ministério da Saúde, em apoio a estados e municípios, também tem ajudado os gestores locais do SUS na compra e distribuição de ventiladores pulmonares, sendo que já entregou 13.296 equipamentos para todos os estados brasileiros.

As iniciativas e ações estratégicas são desenhadas conforme a realidade e necessidade de cada região, junto com estados e municípios, e têm ajudado os gestores locais do SUS a ampliarem e qualificarem os atendimentos, trazendo respostas mais efetivas às demandas da sociedade. Neste momento, o Brasil registra 8.455.059 milhões de casos confirmados da doença, sendo 61.567 mil registrados nos sistemas nacionais nas últimas 24h.

Em relação aos óbitos, o Brasil tem 209.296 mortes por coronavírus. Nas últimas 24h, foram registrados 1.050 óbitos nos sistemas oficiais, sendo que 879 óbitos ocorreram nos últimos três dias. Outros 2.720 permanecem em investigação.

Luiza Barufi

Comentários Facebook
Continue lendo

Saúde

Governo solicita 6 milhões de doses de CoronaVac ao Butantan

Publicado

por

Instituto informou que fornecerá a totalidade das doses requeridas

O Ministério da Saúde solicitou na sexta-feira (15), 6 milhões de doses da CoronaVac ao Instituto Butantan. A vacina está sendo desenvolvida pela instituição em parceria com o laboratório chinês Sinovac e foi solicitada por meio de ofício.

O ministério informou, no documento, que aguarda a liberação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para iniciar a distribuição para todos os estados ao mesmo tempo.

“Ressaltamos a urgência na imediata entrega do quantitativo contratado e acima mencionado, tendo em vista que este ministério precisa fazer o loteamento para iniciar a logística de distribuição para todos os estados da federação de maneira simultânea e equitativa, conforme cronograma previsto no Plano Nacional de Operacionalização da vacinação contra a covid-19, tão logo seja concedido autorização pela agência reguladora, cuja decisão está prevista para domingo, dia 17 de janeiro de 2021”, diz o ofício.

O Instituto Butantan informou que enviou resposta ao ministério informando que entregará a totalidade das doses requeridas e solicita informações sobre o quantitativo que será destinado a São Paulo.

Leia mais:  Com 203.100 mortes, Brasil registra 7.167.651 milhões de pessoas recuperadas

Segundo o instituto, é comum que para todas as vacinas destinadas pelo instituto ao Programa Nacional de Imunizações (PNI), parte das doses permaneça em São Paulo. Isso ocorre, por exemplo, com a vacina contra o vírus Influenza, causador da gripe. O instituto informou ainda que aguarda confirmação de data e horário sobre o início da campanha de vacinação que ocorrerá simultaneamente em todo o país.

Edição: Aline Leal

Comentários Facebook
Continue lendo

Segurança

MT

Brasil

Economia & Finanças

Mais Lidas da Semana





Copyright © 2018 - Agência InfocoWeb - 66 9.99774262