conecte-se conosco


Saúde

Planos de saúde estão obrigados a incluírem teste sorológico da covid-19

Publicado

Decisão foi tomada pela diretoria colegiada da ANS

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) decidiu incorporar ao rol de procedimentos e eventos em saúde o teste sorológico para detectar a presença de anticorpos produzidos pelo organismo após exposição ao novo coronavírus (covid-19). A decisão foi tomada nesta quinta-feira (13), pela diretoria colegiada da agência.

Por Vladimir Platonow – A resolução normativa passará a valer após publicação no Diário Oficial da União. O procedimento incorporado é a pesquisa de anticorpos IgG ou anticorpos totais, que passa a ser de cobertura obrigatória para os beneficiários de planos de saúde a partir do oitavo dia do início dos sintomas, nas segmentações ambulatorial, hospitalar e referência, conforme solicitação do médico.

Porém, para se justificar o pedido, é necessário preencher alguns critérios obrigatórios, ao mesmo tempo em que não poderá se encaixar em outros critérios excludentes.

Segundo a ANS, poderão realizar o teste sorológico pacientes com Síndrome Gripal (SG) ou Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) a partir do oitavo dia do início dos sintomas, além de crianças ou adolescentes com quadro suspeito de Síndrome Multissistêmica Inflamatória pós-infecção pelo coronavírus.

Leia mais:  Covid-19: Brasil acumula 132 mil mortes e 4,3 milhões de casos

Por outro lado, estarão excluídos da realização obrigatória do exame pacientes que já tenham RT-PCR prévio positivo para coronavírus; pacientes que já tenham realizado o teste sorológico, com resultado positivo; pacientes que tenham realizado o teste sorológico, com resultado negativo, há menos de 1 semana, exceto para crianças e adolescentes com quadro suspeito.

Também estarão excluídos a realização de testes rápidos; pacientes cuja prescrição tem finalidade de rastreamento, retorno ao trabalho, pré-operatório, controle de cura ou contato próximo/domiciliar com caso confirmado, e verificação de imunidade pós-vacinal.

Segundo a ANS, as definições para Síndrome Gripal e Síndrome Respiratória Aguda Grave são as seguintes:

Síndrome Gripal (SG): Indivíduo com quadro respiratório agudo, caracterizado por pelo menos dois (2) dos seguintes sinais e sintomas: febre (mesmo que referida), calafrios, dor de garganta, dor de cabeça, tosse, coriza, distúrbios olfativos ou distúrbios gustativos. Em crianças: além dos itens anteriores considera-se também obstrução nasal, na ausência de outro diagnóstico específico. Em idosos: deve-se considerar também critérios específicos de agravamento como sincope, confusão mental, sonolência excessiva, irritabilidade e inapetência.

Leia mais:  Brasil registra 3.671.128 de pessoas recuperadas

Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG): Indivíduo com SG que apresente: dispneia/desconforto respiratório OU pressão persistente no tórax OU saturação de O2 menor que 95% em ar ambiente OU coloração azulada dos lábios ou rosto. Em crianças: além dos itens anteriores, observar os batimentos de asa de nariz, cianose, tiragem intercostal, desidratação e inapetência.

Dúvidas podem ser esclarecidas na página da ANS na internet ou pelo telefone 0800 701 9656.

Edição: Fernando Fraga

Comentários Facebook

Saúde

DW: Brasil adere à iniciativa global por vacinas contra covid-19

Publicado

por

Governo anuncia inclusão em programa mundial que monitora desenvolvimento de imunizantes e inclui mais de 170 países. Nações envolvidas receberão doses para cobrir ao menos 20% de suas populações.

    
Iniciativa visa garantir investimentos globais em pesquisa, produção e distribuição de vacina contra covid-19

Iniciativa visa garantir investimentos globais em pesquisa, produção e distribuição de vacina contra covid-19

Da DW * –  O governo brasileiro confirmou nesta sexta-feira (18/09) a intenção de aderir à Covax Facility, o programa mundial para o desenvolvimento e o acesso a vacinas contra a covid-19.

O anúncio da decisão foi divulgado às 21h30 (horário de Brasília), pouco antes do término do prazo estipulado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), que se encerrava à meia-noite.

Segundo a Secretaria Especial de Comunicação Social (Secom), o país havia solicitado nesta quinta feira à Aliança Global de Vacinação (Gavi, na sigla em inglês) a extensão do prazo, a fim de formalizar a adesão à iniciativa.

A Covax Facility reúne mais de 170 países que “ganharam acesso garantido ao maior portfólio mundial de vacinas candidatas”, segundo informou o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus.

Leia mais:  DW: Brasil adere à iniciativa global por vacinas contra covid-19

O programa, que acompanha o desenvolvimento de nove possíveis vacinas, visa garantir os investimentos globais em pesquisa, produção e distribuição equitativa dos imunizantes contra o coronavírus Sars-Cov-2.

Uma vez comprovada a eficácia de uma dessas vacinas, os países que aderiram à Aliança receberão doses em quantidades que devem cobrir ao menos 20% de suas populações.

Uma das nove vacinas incluídas no Covax Facility é a que está sendo desenvolvida pela Universidade de Oxford em parceria com a farmacêutica AstraZeneca, sobre a qual o Brasil já tem acordo firmado para a aquisição de 100 milhões de doses. Não está claro se a medida seria complementar à iniciativa global ou se o acordo poderá sofrer alguma interferência.

No início deste mês, o presidente Jair Bolsonaro gerou polêmica ao se posicionar contra uma possível vacinação obrigatória contra a covid-19 no país, ao afirmar que “ninguém pode obrigar ninguém a tomar a vacina”.

A declaração contradisse uma lei assinada pelo próprio presidente em fevereiro deste ano, que assegura a possibilidade da imunização compulsória no país.

Leia mais:  Brasil registra 3.671.128 de pessoas recuperadas

A Secom chegou a divulgar uma peça publicitária que incluía a frase de Bolsonaro e afirmava que “o governo do Brasil preza pela liberdade dos brasileiros”.

As declarações, que se alinharam aos bordões utilizados por movimentos antivacina em várias partes do mundo, foram amplamente criticadas por várias entidades e especialistas da área de infectologia e imunização, e também pela OMS.

“Os movimentos antivacina podem criar narrativas para lutar contra a vacina, mas os números das vacinas nos contam a sua própria história. As pessoas não devem ser confundidas por movimentos antivacina, mas ver como o mundo usou vacinas para combater a mortalidade infantil e para erradicar doenças”, disse Adhanom Ghebreyesus, ao ser perguntado sobre a fala de Bolsonaro.

RC/ots

Comentários Facebook
Continue lendo

Saúde

Brasil registra 3.820.095 milhões de pessoas recuperadas

Publicado

por

Número é superior à quantidade de casos ativos, ou seja, pessoas que estão em acompanhamento médico. Informações foram atualizadas às 17h deste sábado (19/09)

O Brasil alcançou a marca de 3.820.095 pessoas curadas da Covid-19. No mundo, estima-se que pelo menos 17 milhões de pessoas diagnosticadas com Covid-19 já se recuperaram. O número de pessoas curadas no Brasil é superior à quantidade de casos ativos (571.613), que são os pacientes em acompanhamento médico. O registro de pessoas curadas já representa mais da metade do total de casos acumulados (84,4%). As informações foram atualizadas às 17h de hoje (19/09) e enviadas pelas Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde.

Da Agência Saúde – A doença está presente em 99,6% dos municípios brasileiros. Contudo, mais da metade das cidades (3.718) possuem entre 2 e 100 casos. Em relação aos óbitos, 4.346 municípios tiveram registros (78%), sendo que 786 deles apresentaram apenas um óbito confirmado.

O Governo do Brasil mantém esforço contínuo para garantir o atendimento em saúde à população, em parceria com estados e municípios, desde o início da pandemia. O objetivo é cuidar da saúde de todos e salvar vidas, além de promover e prevenir a saúde da população. Dessa forma, a pasta tem repassado verbas extras e fortalecido a rede de atendimento do Sistema Único de Saúde (SUS), com envio de recursos humanos (médicos e profissionais de saúde), insumos, medicamentos, ventiladores pulmonares, testes de diagnóstico, habilitações de leitos de UTI para casos graves e gravíssimos e Equipamentos de Proteção Individual (EPIS) para os profissionais de saúde.

Leia mais:  Covid-19: Brasil tem 129 mil mortes e 4,2 milhões de casos confirmados

O Ministério da Saúde já enviou mais de R$ 83,9 bilhões a estados e municípios para o financiamento das ações e serviços públicos de saúde, sendo R$ 25,6 bilhões voltados exclusivamente para combate ao coronavírus. Também já foram comprados e distribuídos mais de 20,3 milhões de unidades de medicamentos para auxiliar no tratamento do coronavírus, 255,4 milhões de EPI, mais de 14,5 milhões de testes de diagnóstico para Covid-19 e 79,9 milhões de doses da vacina contra a gripe, que ajuda a diminuir casos de influenza e demais síndromes respiratórias no meio dos casos de coronavírus.

O Ministério da Saúde, em apoio a estados e municípios, também tem ajudado os gestores locais do SUS na compra e distribuição de ventiladores pulmonares, sendo que já entregou 10.711 equipamentos para todos os estados brasileiros.

As iniciativas e ações estratégicas são desenhadas conforme a realidade e necessidade de cada região, junto com estados e municípios, e têm ajudado os gestores locais do SUS a ampliarem e qualificarem os atendimentos, trazendo respostas mais efetivas às demandas da sociedade. Neste momento, o Brasil tem 4.528.240 casos confirmados da doença, sendo 33.057 registrados nos sistemas nacionais nas últimas 24h.

Leia mais:  Covid-19: Brasil acumula 132 mil mortes e 4,3 milhões de casos

Em relação aos óbitos, o Brasil possui 136.532 mortes por coronavírus. Nas últimas 24h, foram registradas 739 mortes nos sistemas oficiais, a maior parte aconteceu em outros períodos, mas tiveram conclusão das investigações com confirmações das causas por Covid-19 apenas neste período. Assim, 257 óbitos, de fato, ocorreram nos últimos três dias. Outros 2.316 permanecem em investigação.

Acesse aqui o Painel Coronavírus atualizado

Comentários Facebook
Continue lendo

Segurança

MT

Brasil

Economia & Finanças

Mais Lidas da Semana





Copyright © 2018 - Agência InfocoWeb - 66 9.99774262