conecte-se conosco


MT

Polícia Civil indicia madrasta por homicídio qualificado de criança de 11 anos

Publicado

A Polícia Judiciária Civil, por meio da Delegacia Especializada de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente (Deddica) de Cuiabá, concluiu o inquérito da morte da menina Mirella Poliane Chue de Oliveira, 11 anos, e indiciou a madrasta da criança, J.G.A., 42 anos, por homicídio duplamente qualificado, praticado por envenenamento e motivo torpe.

As investigações da Deddica concluíram que a indiciada teria cometido o crime sozinha, sem auxílio de outra pessoa. O inquérito aponta ainda que o pai da vítima não teve envolvimento direto e que teria sido induzido ao erro pela mulher. A madrasta conduzia e tinha controle de todas as situações na família – financeira, educação, saúde e demais cuidados com a criança.

O trabalho investigativo apontou ainda a suspeita de que a madrasta teria envenenado o avô paterno da vítima, Edson Emanoel. No curso das diligências, a Deddica solicitou exames que constataram a possibilidade da morte do homem ter sido causada por envenenamento – ocorrida em março de 2018. A vítima morava com o avô e, com a morte dele, a menina passou a ficar com a indiciada.

Para confirmar essa suspeita, será necessária a exumação do corpo do avô para coleta de material e exames, que possam apontar vestígios de veneno o que, devido ao tempo, pode não ser possível. A Deddica solicitou à justiça autorização para que uma cópia do inquérito seja encaminhada à Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa, para investigar a suspeita de envenenamento do avô de Mirella.

Leia mais:  Mato Grosso registra 120.374 casos e 3.394 óbitos por Covid-19

A indiciada teve a prisão temporária convertida em prisão preventiva pela Justiça e permanece em uma unidade penitenciária feminina. O inquérito será remetido ao Ministério Público Estadual.

Crime

Mirella Poliane morreu em junho deste ano, de causa inicialmente indeterminada. A criança deu entrada em um hospital privado de Cuiabá, já em óbito, e como o hospital não quis declarar a morte, foi acionada a DHPP para liberação do corpo, que solicitou perícia por precaução, diante da falta de evidência de morte violenta. Em princípio, houve suspeita de meningite, bem como de abuso sexual, mas exame de necropsia pelo Instituto Médico Legal descartou o abuso.

A Politec coletou materiais para exames complementares e, conforme Pesquisa Toxicológica Geral realizada pelo Laboratório Forense, foram detectadas no sangue da vítima duas substâncias, uma delas um veneno que provoca intoxicação crônica ou aguda e a morte.

O caso foi então remetido à Deddica, que durante as investigações desvendou o plano de envenenamento, premeditado e praticado em doses diárias, pelo período de dois meses. A indiciada causou a morte da menina usando o veneno, de venda proibida no Brasil, e ministrando gota a gota, entre abril e junho de 2019.

Motivação

As investigações apontaram que a indenização recebida pela criança, por conta da morte de sua mãe durante seu parto, foi a motivação do plano de envenenamento. A ação indenizatória foi movida pelos avós maternos da criança, que ingressaram na Justiça. Neste ano, após 10 anos de tramitação do processo, a família ganhou a causa em última instância, recebendo R$ 800 mil, incluindo os descontos de honorários advocatícios.

Leia mais:  Mauro Mendes libera funcionamento de bares, boates, shows, esporte e cinema

Parte do dinheiro ficaria depositada em uma conta para a menina movimentar somente na idade adulta. A Justiça autorizou que fosse usada uma pequena parte do dinheiro para despesas da criança, mas a maior quantia ficaria em depósito para uso, após atingir a maioridade.  

Até 2018, Mirella era criada pelos avós paternos. Em 2017, a avó morreu e no ano seguinte (2018) o avô também faleceu, passando a garota a ser criada, naquele mesmo ano, pelo pai e madrasta. A partir disso, teve início o plano da mulher para matar a criança com o objetivo de ter acesso ao dinheiro.

A mulher, presa no início de setembro, foi ouvida após a morte da menina e contou que convive com o pai da vítima desde que ela tinha dois anos de idade e que se considerava mãe da criança. Ela declarou que Mirella começou a ficar doente em 17 de abril de 2019, apresentando dor de cabeça, tontura, dor na barriga e vômito.

Comentários Facebook

MT

Onyx Lorenzoni destaca que produção de alimentos em MT é a mais ecológica do mundo

Publicado

por

Ministro afirmou que Mato Grosso tem dado exemplo em produção sustentável

O ministro da Cidadania afirmou que a produção de alimentos de Mato Grosso é muito mais ecológica e sustentável se comparada com a produção desenvolvida em outros países.   

Por Lucas Rodrigues – A afirmação foi dada na manhã desta segunda-feira (28.09), durante o evento que oficializou a adesão de Mato Grosso ao Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) do Governo Federal.

“Nosso país tem a maior cobertura vegetal do mundo. Nosso país tem a maior cobertura florestal do mundo. A produção de Mato Grosso é a produção que, comparada com os nossos competidores internacionais, usa o menor volume de substâncias químicas”, destacou Lorenzoni.

Mato Grosso é um dos principais produtores de alimentos do mundo e, apesar disso, mantém pelo menos 62% de seu território totalmente preservado. No Brasil, é o Estado com a maior produção de soja, milho, algodão e também de carne bovina, contando com o maior rebanho bovino do país.

O estado também despontou no ranking dos principais exportadores do país. Subiu da 6ª posição em 2019 para a 4ª em 2020 (janeiro a maio), com U$$ 7,7 bilhões exportados, atrás apenas de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. A exportação mato-grossense representa no momento 9,1% das exportações totais do Brasil.

Leia mais:  Mato Grosso registra 117.299 casos e 3.336 óbitos por Covid-19

“Nós temos o boi mais ‘verde’ do mundo. O boi criado em outras áreas do mundo compete com a alimentação humana. Aqui o boi se alimenta de pasto, ele é completamente ecológico”, ressaltou o ministro.

Lorenzoni ainda destacou que o Governo Federal tem auxiliado o Governo de Mato Grosso a combater os incêndios florestais no Pantanal. O fato foi reforçado pelo governador Mauro Mendes.

“Começamos as operações no Pantanal em julho. Desde o primeiro momento que entramos, a Marinha e o Exército sempre estiveram presentes ao nosso lado. Em março, quando lançamos o Plano de Ação Contra o Desmatamento Ilegal e Incêndios Florestais, as forças armadas estiveram juntas na Operação Verde Brasil 2”, disse o governador, pontuando que a união de esforços ajudou o Governo do Estado a manter 80% do pantanal preservado.

Comentários Facebook
Continue lendo

MT

Centro de Triagem Covid-19 atinge marca de 40 mil atendimentos

Publicado

por

O local oferece estrutura para realização de testagem rápida para o novo coronavírus com entrega de medicação para o tratamento dos pacientes

 Atendendo há dois meses, o Centro de Triagem Covid-19 já diagnosticou 40.177 pessoas. Os dados atualizados foram divulgados neste domingo (27), pela coordenação da unidade.

Por Carlos Celestino – Desde 22 de julho, 7.144 pessoas testaram positivo para o novo coronavírus. Outras 21.006 tiveram resultado negativo e 12.027 foram considerados suspeitos de estarem com a Covid-19. Foram realizadas 3.056 tomografias, importante exame de avaliação dos pulmões dos pacientes infectados.

A farmácia do Centro de Triagem entregou aos pacientes 19.171 kits de medicamentos para o tratamento precoce da doença. Os remédios foram receitados após realização de consulta com os médicos que atuam na unidade.

“O Governo do Estrado queria um espaço em que as pessoas pudessem receber o tratamento precoce com orientação e atendimento médico. Durante dois meses trabalhamos intensamente. A Arena Pantanal está sendo procurada diariamente para realização dos testes”, explicou a coordenadora Caroline Dobes.

Leia mais:  Onyx Lorenzoni destaca que produção de alimentos em MT é a mais ecológica do mundo

Como funciona o Centro de Triagem

O atendimento funciona de segunda-feira a domingo, das 7h às 17h. São entregues até 800 senhas por dia, sendo 500 emitidas pela internet, pelo link: triagem.mt.gov.br, além de 400 senhas presenciais, entregues no local, das 6h às 6h45.

A unidade conta com equipe de 20 médicos que atendem adultos com sintomas leves da Covid-19. Para casos graves, as referências continuam sendo as unidades da Atenção Primária, que regulam pacientes para os Hospitais de Referência no tratamento da doença.

É obrigatório o uso de máscaras de proteção e as equipes do Corpo de Bombeiros monitoram o local para garantir a organização do espaço durante a entrega das senhas.

 

Comentários Facebook
Continue lendo

Segurança

MT

Brasil

Economia & Finanças

Mais Lidas da Semana





Copyright © 2018 - Agência InfocoWeb - 66 9.99774262