conecte-se conosco


AGRONEGÓCIO

Projeto Agro.BR capacita produtores em vendas para o mercado chinês

Publicado


Brasília (22/02/2021) A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) promoveu, na segunda (22), um seminário virtual do projeto Agro.BR para capacitar empresários rurais brasileiros em vendas para a China.

O encontro, que trouxe como tema as “Oportunidades e parcerias no mercado da China”, foi realizado em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) e apoio da Agência Paulista de Promoção de Investimentos e Competitividade (InvestSP).

Durante o seminário, a analista de Investimentos e consultora do escritório da CNA em Xangai, Camila Chen, falou sobre os aspectos gerais sobre a China e mostrou simulações de negociação com um comprador chinês.

“A maioria dos brasileiros tem pouco conhecimento sobre o país asiático. O nosso objetivo é ajudar os produtores rurais na construção e desenvolvimento das relações comerciais”, disse.

Segundo Camila, desenvolver um bom relacionamento com um comprador da China é fundamental para as negociações. “Os chineses são bons negociadores, então o empresário precisa ser firme e estar muito bem equipado e preparado para essa conversa”.

Leia mais:  CNA discute prioridades na política agrícola em 2021

A analista também deu algumas dicas para os produtores que têm interesse em exportar seus produtos para a China. Para ela, ao negociar o preço do produto em dólar, o empresário deve apresentar todas as condições claras.

“Ser paciente e resiliente no processo de negociação, ter cuidado em assinar o primeiro contrato de longo prazo e não fazer compromissos que não possam ser cumpridos são alguns pontos que merecem a atenção do exportador”, explicou Chen.

A programação do encontro virtual também contou com uma apresentação do diretor do escritório da Investe SP em Xangai, José Mário Antunes, sobre o acesso ao mercado chinês e relações comerciais com o Brasil. De acordo com o Antunes, a intensificação da parceria é estratégica tanto para a China, quanto para o Brasil.

“No caso do Brasil é uma oportunidade de maior entrada de dólar e geração de empregos, pois muitas empresas contratam e investem em mão de obra para atender o mercado chinês”.

Em sua exposição, o diretor citou alguns desafios do Brasil na relação com a China, como a diversificação da pauta exportadora de produtos agrícolas, que hoje está concentrada na soja. Outro desafio é o empresário conhecer o mercado chinês e aproveitar as oportunidades para expandir os negócios.

Leia mais:  Senar/MS auxilia produtora a gerenciar propriedade e estabelecer novos objetivos na apicultura

“A comunicação também é um grande desafio. Não com relação apenas ao idioma, mas com a forma de se comunicar. O chinês é muito diferente do brasileiro, ele é mais complexo. Na China é preciso ter visão de longo prazo e investir”, afirmou José Mário.

Já a coordenadora de Comunicação do escritório da Investe SP em Xangai, Manuela Ma, falou sobre o desenvolvimento do e-commerce na China e como essa forma de comércio pode ser uma oportunidade para os produtos brasileiros serem testados no mercado asiático.

Assessoria de Comunicação CNA
Telefone: (61) 2109-1419
flickr.com/photos/canaldoprodutor
twitter.com/SistemaCNA
facebook.com/SistemaCNA
instagram.com/SistemaCNA
facebook.com/SENARBrasil

Fonte: CNA Brasil

Comentários Facebook

AGRONEGÓCIO

Aprosoja busca alternativas para diminuir prejuízos causados pelas chuvas

Publicado

 

Fortalecimento Institucional

Aprosoja busca alternativas para diminuir prejuízos causados pelas chuvas

Defesa Civil deve decretar estado de emergência ou calamidade em municípios produtores

 Por  Ana Sampaio – Os possíveis prejuízos na produção de soja por causa das fortes chuvas das últimas semanas podem ser menores já que a Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja) tem buscado alternativas junto ao Governo do Estado. Na manhã desta sexta-feira (05.03), o presidente da entidade, Fernando Cadore, se reuniu com secretário adjunto de Proteção e Defesa Civil, Cel BM Cesar Viana de Brun, para tratar sobre possíveis decreto de situações de emergência ou calamidade em municípios produtores.

Durante reunião online, Cadore esclareceu que uma das preocupações dos produtores rurais é quanto ao grande volume de chuvas que tem prejudicado a colheita da soja e consequentemente o plantio do milho. “Nós precisamos relatar isso ao estado, porque é uma preocupação nossa enquanto produtor, já que essas perdas podem chegar até 50% da safra para alguns agricultores. É realmente preocupante e precisamos de um apoio nessa situação”, pontuou.

Leia mais:  Guia interativo do Senar ajuda a melhorar gestão da propriedade rural

Cerca de 51 municípios das regiões norte e noroeste de Mato Grosso tem sentido a intensidade das precipitações. Uma das alternativas do secretário adjunto foi a decretação de situação de emergência regional. “Reconhecemos a seriedade do caso e vamos levar essa demanda ao governador e ver as possíveis alternativas, enviar equipes de defesa civil para avaliação e atender as demandas dos produtores. Podemos decretar uma situação de emergência regional, que dará mais celeridade no processo”, pontuou.

Também participaram da reunião a gerente de defesa agrícola, engenheira agrônoma Dra Jerusa Rech, o consultor de política agrícola da Aprosoja, Thiago Rocha e o analista técnico Diogo Gonçalves.

Chuvas – na segunda semana do mês de março a previsão do AproClima é de mais chuvas para Mato Grosso. A partir de segunda-feira (08.03) as precipitações vão predominar nas regiões norte, leste e sul, onde o volume de água pode chegar a 50 milímetros.

 

Fonte: APROSOJA

Comentários Facebook
Continue lendo

AGRONEGÓCIO

CNA discute prioridades na política agrícola em 2021

Publicado

Brasília (05/03/2021) – A Comissão Nacional de Política Agrícola da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) se reuniu, na sexta (5), para discutir a agenda de trabalho para 2021. Um dos temas da lista de prioridades é a contribuição do setor para a construção do Plano Agrícola e Pecuário (PAP) 2021/2022.

Como em anos anteriores, a CNA definirá as prioridades do setor para o PAP ouvindo produtores de todas as regiões. As contribuições das federações de agricultura e pecuária dos estados para o próximo Plano Safra serão recebidas até o dia 15 de março. A partir disso, serão realizadas videoconferências regionais para reunir as demandas e fechar uma proposta nacional.

“O objetivo é gerar subsídios para a negociação do Ministério da Agricultura com as outras áreas do Governo responsáveis pela definição das normas de execução dos instrumentos de política agrícola”, afirmou o presidente da Comissão Nacional de Política Agrícola da entidade e da Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg), deputado federal José Mário Schreiner (DEM/GO).

Leia mais:  Aprosoja busca alternativas para diminuir prejuízos causados pelas chuvas

Segundo a superintendente técnica adjunta da CNA, Fernanda Schwantes, a agenda de trabalho inclui também assuntos que visam à desburocratização no acesso a financiamentos, a ampliação do crédito privado e o aprimoramento da gestão de riscos.

“Discutimos alguns pontos da agenda estruturante para o crédito privado, pois o setor tem uma demanda superior de crédito em relação ao que o Governo é capaz de oferecer por meio da política oficial”, disse ela.

Além do Plano Agrícola e Pecuário, a pauta da Comissão Nacional de Política Agrícola para 2021 contempla: Plano Plurianual Agropecuário, redução dos custos cartorários, seguro rural, soluções para o endividamento, novas fontes de financiamento e Zoneamento Agrícola de Risco Climático (Zarc).

Outro tema do encontro foi uma apresentação sobre o registro na plataforma IDAgro, realizada pelo coordenador administrativo do Instituto CNA, Carlos Frederico Ribeiro.

Também participaram da reunião o presidente da Federação da Federação da Agricultura e Pecuária do Espírito Santo (Faes), Júlio Rocha Júnior, o vice-presidente da Comissão Nacional de Política Agrícola, Antônio da Luz, e o superintendente técnico da Confederação, Bruno Lucchi, além de membros da Comissão e representantes de federações estaduais.

Leia mais:  CNA discute prioridades na política agrícola em 2021

Fonte: CNA Brasil

Comentários Facebook
Continue lendo

Segurança

MT

Brasil

Economia & Finanças

Mais Lidas da Semana





Copyright © 2018 - Agência InfocoWeb - 66 9.99774262