conecte-se conosco


MT

Projeto de escola procura disseminar a cultura de paz no ambiente escolar

Publicado

Um projeto interdisciplinar da Escola Estadual Estêvão de Mendonça, localizada no município de Guiratinga (a 328 quilômetros de Cuiabá), envolveu alunos e profissionais da educação com o intuito de disseminar a cultura de paz no ambiente escolar.

Durante a culminância dos trabalhos, realizada na semana passada, os estudantes mostraram o que foi aprendido, por meio de exposição oral e de apresentações teatrais, de danças e leitura de cordéis.

A diretora da escola, Isabela Bonilha, explica que a unidade escolar realiza há mais de cinco anos o projeto “Educando para a Paz”, com o intuito de promover um ambiente escolar harmonioso. Neste ano, a escola está desenvolvendo, dentro do projeto, a ação “Semeadores da paz”.

Cada sala de aula recebeu a responsabilidade de estudar a respeito de uma personalidade que contribui ou contribuiu para promover a paz no mundo. Os professores de cada disciplina estudaram temas que circundam os conflitos combatidos por cada uma dessas personalidades.

“O projeto multi e interdisciplinar contribui significativamente para o que chamamos de letramento crítico dos estudantes. É importante destacar que os nomes contemplados pelo projeto foram escolhidos de maneira que privilegiem diversos conflitos e esferas sociais”, explica.

Entre as personalidades estudadas estão Hellen Keller (importante figura na luta pelos direitos educacionais de pessoas com deficiência); Marechal Rondon (um dos criadores do Parque Nacional Xingu, pacificador e agente na luta pelos direitos dos indígenas em Mato Grosso e região); Malala (pessoa mais jovem a receber o Nobel da Paz, militante a favor dos direitos educacionais das mulheres no Oriente Médio); Irmã Dulce (religiosa católica que fez muitas ações de caridade a pessoas pobres e doentes da Bahia); Corrie Ten Boom (ajudou a salvar a vida de muitos judeus na Holanda); Nelson Mandela e Martin Luther King (ambos militantes dos direitos das pessoas negras e na luta contra o apartheid).

Leia mais:  Mato Grosso receberá R$ 1,346 bilhão da União para repor perdas de receita

Na sala do 8º ano, por exemplo, os alunos estudaram a história de Corrie Ten Boom. A professora de História Liliane Xavier abordou o que é o nazismo, como surgiu, seus maiores líderes, formas de propagação e persuasão, a ideia de criação de uma raça pura, história do povo judeu, e as festas judaicas.

A professora de Geografia Roseclér Avelino falou sobre o antissemitismo e antijudaísmo e os conflitos que os envolvem. Na disciplina de Ensino Religioso ela abordou a biografia de Corrie Ten Boom.

Já na disciplina de Arte, a professora Patrícia Alves trabalhou a vida e a obra do pintor holandês Vicent Van Gogh, sua técnica de pinceladas e reprodução de telas.

Nas aulas da professora de Ciências Reudimar Rodrigues foram destacadas as experiências macabras de Joseph Mengele, que usou cobaias humanas para realizar experimentos a sangue frio.

A turma do 8º ano também participou de sessões dos filmes O menino do Pijama Listrado e O Refúgio Secreto, e de oficina baseada no livro “As últimas testemunhas”, de Svetlana Aleksiévitch (reunião de relatos de pessoas que vivenciaram a Segunda Grande Guerra durante a infância, na Bielorrússia). A oficina foi realizada pela diretora da escola, formada em Língua Portuguesa, Isabela Bonilha.

Leia mais:  Mato Grosso registra 1.909 casos e 47 óbitos por Covid-19

Para o momento de culminância, os estudantes apresentaram um teatro escrito pela secretária escolar, Orliane Matos, adaptado do livro “O refúgio Secreto”, de Corrie Ten Boom.

A coordenadora pedagógica da escola, Zilany Magalhães, ressaltou que todos os profissionais da escola se envolveram no projeto e colaboraram de alguma forma. A exemplo de Sandra Neves, que cuida da limpeza. Ela auxiliou na costura das roupas das meninas. O David, técnico responsável pela biblioteca, e o Sizenando, que é vigia, auxiliaram nos elementos físicos necessários ao cenário.

“É lindo ver a escola toda se envolvendo no projeto, desde os professores aos técnicos e funcionários. Sem a mão de cada um, não seria possível realizar esse trabalho. A união de todos faz a diferença”, destacou a coordenadora.

Comentários Facebook

MT

Reforma da Previdência de Mato Grosso deve ser votada nesta quarta-feira (3)

Publicado

por

Um dos pontos polêmicos da PEC é a mudança da idade mínima à aposentadoria voluntária, sendo de 62 anos para as mulheres, e de 65 anos para os homens

JLSiqueira

Proposta de Emenda à Constituição – PEC nº 06/2020 – que trata da Reforma da Previdência dos servidores de Mato Grosso, deve ser colocada em pauta pelo presidente da Assembleia Legislativa, deputado Eduardo Botelho (DEM), para ser discutida e votada em 1ª, na sessão ordinária remota da próxima quarta-feira (3).

Por ELZIS CARVALHO – A PEC foi aprovada no dia 19 de maio, pela Comissão de Constituição e Justiça e Redação (CCJR), por quatro votos favoráveis contra um. A emenda foi colocada em pauta à votação em Plenário no dia seguinte, mas a pedido tanto de deputados da situação quanto da oposição, Botelho a retirou de pauta.

O deputado Lúdio Cabral (PT), que faz oposição ao governo Mauro Mendes, afirmou que a PEC, da forma como foi encaminhada para o Parlamento estadual, vai prejudicar os servidores. “É preciso ampliar o debate e, com isso, melhorar a proposta”. Já Botelho disse que “deve haver mudanças e dificilmente será aprovada do jeito que está”.

Leia mais:  Mato Grosso registra 2.485 casos e 63 óbitos por Covid-19

Um dos pontos considerados polêmicos da PEC é da mudança da idade mínima à aposentadoria voluntária, sendo de 62 anos para as mulheres, e de 65 anos para os homens. Já o servidor será aposentado compulsoriamente aos 75 anos de idade, com proventos proporcionais ao tempo de contribuição.

Em relação à tramitação da PEC, o presidente Eduardo Botelho sugeriu aos demais colegas de Parlamento que apresentem as emendas quando a proposta estiver em tramitação na comissão de especial.

“Dessa forma, a PEC volta à CCJR e depois vai à votação em Plenário. Nesse momento, o deputado que teve a sua emenda rejeitada pode pedir para votá-la em destaque. O plenário é soberano, pode manter o veto ou rejeitar. A proposta, dificilmente, será aprovada 100% do jeito que veio do governo”, afirmou Botelho.

O deputado Paulo Araújo (PP), que é servidor público estadual, disse que “mais uma vez o servidor será penalizado pela política nacional de discriminação realizada pelo governo federal, no comando do presidente Jair Bolsonaro”, disse o parlamentar.

Leia mais:  Mato Grosso aumenta em 3 vezes capacidade de leitos de UTI em 90 dias

Com a reforma, segundo o governo, a medida busca garantir uma proteção previdenciária adicional àquela oferecida pelos outros regimes de previdência social. Em 2018, o governo fez uma avaliação atuarial e o passivo do Regime Próprio da Previdência Social de Mato Grosso sofreu uma redução da ordem de R$ 9,226 bilhões.

As mudanças propostas na PEC, de acordo com o governo, devem equilibrar o sistema previdenciário de Mato Grosso. Em 2019, o déficit financeiro foi da ordem de R$ 1,328 bilhão e consta de um passivo atuarial na ordem de R$ 65,780 bilhões.

Nos últimos anos, a diferença entre o número de servidor em atividade com o de aposentados vem caindo. Em 2018, de acordo com o governo, a relação de servidores ativos e inativos atingiu o patamar proporcional de 1,38. Isto é, para cada servidor inativo existe 1,38 servidor ativo.

Comentários Facebook
Continue lendo

MT

Mato Grosso registra 2.636 casos e 67 óbitos por Covid-19

Publicado

por

Dos 2.636 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, 1.656 estão em isolamento domiciliar e 749 estão recuperados. Há ainda 164 pacientes hospitalizados

A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) notificou, até a tarde desta segunda-feira (01.06), 2.636 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, sendo registrados 67 óbitos em decorrência do coronavírus no Estado. As últimas quatro mortes envolveram residentes de Acorizal, Barra do Garças, Cuiabá e Rondonópolis.

Por Ana Lazarini -Dentre os 20 municípios com maior número de casos de Covid-19, estão: Cuiabá (795), Várzea Grande (257), Rondonópolis (206), Primavera do Leste (117), Tangará da Serra (113), Sorriso (87), Confresa (82), Lucas do Rio Verde (76), Barra do Garças (73), Sinop (58), Campo Verde (43), Rosário Oeste (42), Pontes e Lacerda (40), Jaciara (39), Alta Floresta (37), Cáceres (33), Nova Mutum (32), Peixoto de Azevedo (28), Aripuanã (25) e Sapezal (25).

A lista detalhada com todas as cidades que já registraram casos da Covid-19 em Mato Grosso pode ser acessada no Boletim anexado ao final desta matéria.

Leia mais:  Mato Grosso registra 2.485 casos e 63 óbitos por Covid-19

Nas últimas 24 horas, surgiram 152 novas confirmações em Barra do Garças (1), Bom Jesus do Araguaia (1), Cáceres (2), Campos de Júlio (5), Colíder (1), Comodoro (3), Confresa (3), Conquista D’Oeste (1), Cuiabá (49), Jaciara (1), Juína (4), Lucas do Rio Verde (2), Marcelândia (6), Nossa Senhora do Livramento (2), Nova Ubiratã (2), Pedra Preta (2), Peixoto de Azevedo (3), Pontes e Lacerda (10), Primavera do Leste (9), Rondonópolis (2), Sapezal (2), Sinop (4), Sorriso (1), Tangará da Serra (1), Tapurah (1), Várzea Grande (25), Vila Bela da Santíssima Trindade (3) e Vila Rica (3).

Contudo, a área técnica esclareceu que houve a correção de um caso de duplicidade em Juara. Além disso, um caso anteriormente notificado em Cuiabá foi reposicionado para Várzea Grande, município de residência do paciente.

Dos 2.636 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, 1.656 estão em isolamento domiciliar e 749 estão recuperados. Há ainda 164 pacientes hospitalizados, sendo 81 em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 83 em enfermaria.

Leia mais:  Mato Grosso aumenta em 3 vezes capacidade de leitos de UTI em 90 dias

No boletim, a SES também divulga que a rede do Sistema Único de Saúde (SUS) dispõe, atualmente, de 176 leitos de UTI e 761 leitos de enfermaria especificamente para pacientes com coronavírus no Estado. O aumento da taxa de ocupação das unidades se deve à desabilitação de leitos por parte das unidades hospitalares especificadas em Boletim.

Considerando o número total de casos em Mato Grosso, 50,5% dos diagnosticados são do sexo feminino e 49,5% masculino; além disso, 747 pacientes têm faixa-etária entre 31 a 40 anos. O documento ainda aponta que um total de 7.618 amostras já foram avaliadas pelo Laboratório Central do Estado (Lacen-MT) e que, atualmente, restam 320 amostras em análise laboratorial.

Os pacientes são devidamente acompanhados pelas equipes de Vigilância Epidemiológica do Estado e dos municípios.

Comentários Facebook
Continue lendo

Segurança

MT

Brasil

Economia & Finanças

Mais Lidas da Semana





Copyright © 2018 - Agência InfocoWeb - 66 9.99774262