conecte-se conosco


AGRONEGÓCIO

Vazio sanitário da soja: um período determinante para o sucesso do agronegócio de MT

Publicado

 

Por Cesar Alberto Miranda Lima dos Santos Costa / Sedec-MT

Iniciamos nesta semana o período de vazio sanitário em Mato Grosso. Durante 90 dias, é proibida presença de plantas vivas de soja em todo o Estado, sejam elas cultivadas ou involuntárias – aquelas que nascem em beiras de estradas, canteiros, etc. A medida fitossanitária visa à redução dos esporos da ferrugem asiática (Phakopsora pachyrhizi) e, desta forma, diminuição da incidência do fungo na próxima safra de soja, que se iniciará logo ao final do período de proibição.

O Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea-MT) fará a fiscalização durante o período e tem a meta de realizar 3.500 inspeções. Os servidores do Instituto estão altamente preparados para realizar este trabalho com conhecimento técnico e também todos os cuidados neste momento de pandemia do novo coronavírus (Covid-19), descritos em um manual de biossegurança.

A soja tem enorme importância econômica e social para o Estado de Mato Grosso. Aqui, em 40 anos – desde que se iniciou a série histórica do cultivo da oleaginosa, houve uma revolução nos campos. Para se ter uma ideia do crescimento exponencial, em 1975 Mato Grosso produzia 272 mil toneladas de soja. Na safra de 2020, segundo dados do Observatório do Desenvolvimento, da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sedec MT), a produção chegou a 33,8 milhões de toneladas.

Leia mais:  O impulsionamento de conteúdos na pré-campanha

É importante frisar que, mesmo com a abertura de áreas nestas quatro décadas, Mato Grosso chegou atualmente a um nível de maturidade em relação à sustentabilidade ambiental, social e trabalhista no agronegócio graças ao empenho de nossos produtores rurais e do Governo, que juntos buscam soluções para que a sojicultura continue sendo a mola propulsora de Mato Grosso, fomentando a agroindustrialização e buscando novos mercados mundiais.                             Foto Marcos Elisio Vergueiro

No período do vazio sanitário, os servidores do Indea-MT, durante as fiscalizações, coletarão as plantas guaxas e levarão ao laboratório para análise. Desta forma, terão um mapeamento da incidência de ferrugem asiática no Estado e auxiliarão os produtores rurais para tomarem os cuidados necessários.

Os produtores rurais, por sua vez, merecem todos os aplausos por seu empenho no período do vazio sanitário. Ao longo destes 14 anos desde que foi instituído em Mato Grosso, eles entenderam a importância e têm sido os melhores parceiros para atingir o objetivo desta etapa da sojicultura mato-grossense. Ganham os produtores rurais, as comunidades que se beneficiam desta cadeia e também o Estado que cada vez mais se torna protagonista mundial neste importante mercado.

Leia mais:  O impulsionamento de conteúdos na pré-campanha

É importante frisar que o Indea-MT tem diversos canais para denúncias para o período do vazio sanitário no site e também nas unidades locais. Que tudo possa transcorrer com tranquilidade e que, em setembro, possamos iniciar mais uma grandiosa safra de soja em Mato Grosso.

 * *Cesar Alberto Miranda Lima dos Santos Costa* é secretário estadual de Desenvolvimento Econômico de Mato Grosso, pasta à qual o Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (INDEA-MT) está vinculado.

Comentários Facebook

AGRONEGÓCIO

Ministério da Agricultura lança serviço digital para obtenção de crédito fundiário

Publicado

por

A estimativa é que o serviço permita uma redução do prazo médio de tramitação das propostas de financiamento de 24 meses para aproximadamente seis meses

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), por meio da Secretaria de Agricultura Familiar e Cooperativismo (SAF), lançou nesta segunda-feira (27) um novo serviço, totalmente digital, para obtenção de crédito através do Terra Brasil – Programa Nacional de Crédito Fundiário. A nova plataforma pode ser acessada pelo portal Gov.br

Do MAPA – O objetivo é facilitar e agilizar o acesso ao crédito rural para aquisição de terras e infraestruturas básicas e produtivas, por meio do Terra Brasil, com recursos do Fundo de Terras do Governo Federal.

A estimativa da SAF é que o serviço permita uma redução do prazo médio de tramitação das propostas de financiamento de 24 meses para aproximadamente seis meses. O fluxo será reduzido de 12 para seis fases de atendimento divididas da seguinte forma: Solicitação; Análise Estadual; Análise Federal; Análise Financeira; Ajustes de correções e pendências; e Finalização.

“Se trata de mais uma etapa importante do trabalho que estamos realizando desde o início do governo com foco no aprimoramento do Programa de Crédito Fundiário. O objetivo é desburocratizar e ampliar o acesso dos agricultores familiares ao crédito fundiário, qualificando o processo de tramitação das contratações e tornando mais célere a concessão de financiamento aos trabalhadores rurais”, destaca o secretário de Agricultura Familiar e Cooperativismo, Fernando Schwanke.

Leia mais:  O impulsionamento de conteúdos na pré-campanha

O serviço digital dispensa a necessidade de entrega de documentação física ao governo federal. Todos os documentos serão digitalizados, eliminando os gastos com postagens e correio. A tramitação será realizada sem o comparecimento presencial. O envio do projeto técnico de financiamento e toda documentação do candidato a beneficiário, do vendedor e do imóvel rural, se dará por meio da plataforma digital, desde o pedido inicial no município até a liberação do contrato de financiamento na agência do banco indicado. A parte documental física permanecerá no município para tratativas do interessado com os cartórios de registro de imóveis competentes.

>> Confira aqui o manual com um passo a passo para acessar o serviço

O serviço digital “Obter Crédito – Terra Brasil”, também promoverá uma maior agilidade no processo de avaliação da elegibilidade do candidato e do imóvel rural, assim como disponibilizará, desde o início, informações de preços referenciais para aquisição de terra no Brasil, na região de interesse do candidato. Essas informações permitirão maior agilidade na elaboração do projeto técnico, com viabilidade técnica econômica e financeira do imóvel rural, e a celeridade na apuração pelos órgãos competentes.

Além disso, a nova plataforma garante o acesso à informação de forma transparente, para o acompanhamento das etapas de análises, aprovações, envio de documentos, correção de pendências e solicitações de informações complementares, que serão automaticamente informados no portal para o técnico responsável, como encaminhadas por e-mail e por mensagem para o celular (SMS), para o agricultor e produtor rural interessado.

Leia mais:  O impulsionamento de conteúdos na pré-campanha

O serviço digital “Obter de Crédito – Terra Brasil” já está disponível e o acesso deve ser realizado por meio das empresas de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater), tanto públicas como privadas, que comprovem a certificação no serviço CET – Certificar Entidades e Técnicos para concessão de crédito fundiário. Portanto, o cidadão interessado em obter crédito para compra de propriedade rural deve procurar a empresa de Ater do seu município para receber orientações sobre o acesso ao crédito rural com recursos do Fundo de Terras, por meio do Terra Brasil.

>> Conheça as etapas do serviço online 

A nova plataforma está alinhada com a estratégia do Governo Digital para o período de 2020 a 2022, iniciativa federal cujo foco é a transformação do governo, por meio de tecnologias digitais, para oferecer políticas públicas e serviços ao cidadão com melhor qualidade, de um jeito mais simples, transparente e acessível a qualquer hora e lugar, trazendo menores custos e maior eficiência para toda sociedade. 

Mais informações sobre o serviço podem ser obtidas pelo e-mail: terra.brasil@agricultura.gov.br ou pelos telefones: (61) 2020-0862 / (61) 3276-4104

Comentários Facebook
Continue lendo

AGRONEGÓCIO

Custo do frete para agronegócio está caindo

Publicado

por

Ministro Tarcísio de Freitas destaca que políticas públicas já fazem diferença

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, afirmou hoje (24) que as políticas públicas implementadas por sua pasta já estão refletindo “fazendo a diferença” para o país, em especial no que se refere à redução de custo dos fretes para o agronegócio.

“Depois de 47 anos, concluímos a pavimentação da BR-163 no Pará. A rodovia liga Sinop (MT) a Miritituba (PA), tendo como grande beneficiado o agro de Mato Grosso. O reflexo no frete foi imediato. Tivemos uma redução de 26% no frete para Miritituba”, disse o ministro, durante cerimônia virtual de assinatura de uma ordem de serviço para construção de uma ponte sobre o Rio Araguaia, no distrito de Luiz Alves, em São Miguel do Araguaia (GO).

“E no ano de 2020, ano em que o agro teve safra recorde, e o produtor foi mais competitivo, tivemos uma redução média do frete em 13%. É sinal de que a política pública no setor já está fazendo diferença”, complementou Freitas.

Leia mais:  O impulsionamento de conteúdos na pré-campanha

O ministro destacou também que o governo está “na iminência” de aprovar a prorrogação antecipada dos contratos da estrada de ferro que ligará Vitória, capital do Espírito Santo, ao estado de Minas Gerais, e da Estrada de Ferro do Carajás.

“Isso é importante porque, da Estrada de Ferro Vitória-Minas, vamos assinar, como contrapartida, o contrato de integração da ferrovia de integração do Centro-Oeste. A Vale, para pagar a sua outorga, vai fazer essa ferrovia de integração, e vamos ligar o Vale do Araguaia (MT) a Água Boa (MT) e Mara Rosa (GO)”, disse o ministro.

Edição: Nádia Franco

Comentários Facebook
Continue lendo

Segurança

MT

Brasil

Economia & Finanças

Mais Lidas da Semana





Copyright © 2018 - Agência InfocoWeb - 66 9.99774262