conecte-se conosco


MT

Equipe técnica comprova economicidade e viabilidade da implantação do BRT em Cuiabá e Várzea Grande

Publicado


O Governo de Mato Grosso, conduzido pela equipe técnica da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra), realizou audiência pública por meio virtual nesta sexta-feira (07.05), em que demonstrou as vantagens e benefícios da implantação do sistema de Ônibus de Trânsito Rápido (BRT), movido à eletricidade, e comprovou a viabilidade do BRT como solução de mobilidade urbana na Região Metropolitana de Cuiabá.

A audiência foi transmitida pelo canal do YouTube do Governo de Mato Grosso. Ao longo das três horas de audiência, mais de 150 pessoas chegaram a acompanhar a transmissão ao vivo.

Foram apresentados os estudos realizados pelo Governo de Mato Grosso e pelo Grupo de Trabalho criado em conjunto com a Secretaria Nacional de Mobilidade Urbana e a Caixa Econômica Federal, que subsidiaram a escolha pela implantação do BRT. Também foram esclarecidos os litígios judiciais envolvendo o processo do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), que totalizam 14 ações judiciais tendo o modal ferroviário como objeto.

De acordo com o secretário de Estado de Infraestrutura e Logística, Marcelo de Oliveira, é tecnicamente atestado, através dos estudos elaborados e apresentados, que a solução BRT é a mais vantajosa, principalmente para o usuário do transporte coletivo, que é o maior impactado com as decisões a respeito da mobilidade urbana dos municípios de Cuiabá e Várzea Grande.

“É um projeto muito importante para a população. Não tenho dúvida nenhuma de que o Estado de Mato Grosso está pensando no melhor para Cuiabá e Várzea Grande. Estamos pensando em um transporte moderno, com menor custo para o cidadão e com melhor integração, para quem realmente utiliza o transporte público, para as pessoas que precisam realmente sair de sua casa e chegar mais rapidamente ao seu destino”, disse o secretário.

Ainda segundo ele, nenhum dos dados constantes nas modelagens técnica e econômico-financeira, no relatório de gestão de risco ou nos estudos da engenharia de valor ao Sistema de Transporte Público Metropolitano de Cuiabá demonstram outro caminho mais vantajoso para o Estado e o cidadão que não seja o BRT.

“Nós não estamos fazendo aqui trabalho para beneficiar empresas de engenharia e, muito menos, para beneficiar pessoas que fazem lobby para este ou aquele modal. Estamos trabalhando para a satisfação de quem precisa do transporte coletivo.  Muitas pessoas que fazem lobby nunca entraram em um ônibus e nunca vão entrar em um transporte coletivo. E nós estamos trabalhando para que os que realmente precisam do transporte coletivo tenham o melhor”, afirmou o secretário.

Leia mais:  Sábado (12): Mato Grosso registra 427.572 casos e 11.390 óbitos por Covid-19

De acordo com o engenheiro de transportes Rafael Detoni, que apresentou os estudos durante a audiência pública, um dos pontos mais favoráveis para a implantação do BRT é a tarifa mais acessível, no valor de R$ 3,04, quando comparada ao do sistema VLT, que custaria em torno de R$ 5,28. Ou seja, mensalmente o VLT demandaria um custo adicional que teria que ser custeado pelos usuários por meio da tarifa, ou por meio do aumento de subsídios públicos.

Além disso, segundo os estudos demonstrados, o BRT apresenta melhor desempenho operacional e proporcionará maior flexibilidade de operação junto aos ônibus do sistema alimentador dos municípios, permitindo reduzir o número de integrações para os usuários, quando comparado à modelagem da rede com o sistema VLT, dada a possibilidade de uso compartilhado no corredor segregado.

Outro destaque favorável à solução por ônibus, conforme identificado nos estudos, está na possibilidade de extensão dos corredores estruturais de transporte coletivo para bairros populosos e mais distantes da área central das duas cidades a um custo menor do que a solução ferroviária com o VLT. Ou seja, o BRT apresenta maior compatibilidade com a distribuição das demandas locais.

“Tudo que nós mencionamos aqui foram resultados de análises do âmbito jurídico, da parte técnica de transportes, da modelagem econômico-financeira, os riscos, quais soluções são possíveis. Tudo isso foi levantado, estudado e esses números foram refinados e entregues para a tomada de decisão. Não há sombra de dúvidas, pelo que foi colocado, da vantajosidade do sistema por ônibus do que o VLT. É um resgate que o Estado faz da versão original que foi projetada e esperamos que possamos dar continuidade e trabalhar na implementação e finalmente entregar um transporte coletivo para a sociedade”, disse Rafael Detoni.

Para a implantação do BRT,  o Governo do Estado se responsabilizará pela realização das seguintes obras de infraestrutura: corredor segregado, paradas, estações e terminais, tratamento das calçadas, Parque Linear da Av. Rubens de Mendonça, Centro de Controle Operacional, Garagem Operacional do BRT com subestação de recarga elétrica dos ônibus, sistema de monitoramento e segurança da frota e usuários, sistema de comunicação com os usuários e também pela aquisição dos ônibus movidos à eletricidade.

Leia mais:  Governo prorroga prazo para recadastramento de aposentados e pensionistas

Essas obras, ainda segundo os estudos, apresentam o menor custo e menor tempo de implantação quando comparadas às de outros modais. As obras devem durar até 18 meses e os investimentos estimados são da ordem de R$ 460 milhões, com a aquisição da frota de ônibus elétricos. Esses recursos, inclusive, já estão garantidos, segundo o secretário de Fazenda, Rogério Gallo.

“Esses recursos estão assegurados no orçamento da Sinfra e o Estado para que façamos a execução dessa importante obra para Cuiabá e Várzea Grande: que é entregar um modal de mobilidade urbana extremamente moderno, eficiente e que faça menos integração e que demande menos tempo das pessoas. Um transporte adequado para a cidade, menos oneroso em curto prazo em R$ 330 milhões para os cofres públicos e, o mais importante, ao longo do tempo ele vai onerar menos o bolso de quem paga a tarifa”, disse.

Gallo lembrou ainda que existe um recurso junto à Caixa Econômica Federal, da ordem de R$ 190 milhões, oriundos dos contratos de financiamento firmados para implantação do VLT, que já está sendo pleiteado pelo Governo de Mato Grosso.

“Estamos postulando a alteração só do objeto do contrato, de mudar de VLT para BRT, mas ainda continuando dentro do programa de transportes, que é o programa de solução de mobilidade urbana moderna. Já temos precedente desse tipo de alteração de objeto, mantendo ainda o objetivo daquela linha de crédito do Fundo de Garantia.  Estamos confiantes de que a Caixa Econômica e o Ministério de Desenvolvimento Regional possam voltar para aquilo que era a decisão antes das fraudes que aconteceram para transformar o BRT, lá atrás, em VLT”, encerrou Gallo.

Além da apresentações técnicas de engenharia, jurídica e financeira, foram esclarecidas todas as dúvidas dos participantes acerca do assunto durante a audiência pública. Já as manifestações escritas, por sua vez, ainda podem ser feitas  pelo e-mail audienciapublicabrt@sinfra.mt.gov.br até as 23h59 desta sexta-feira. As respostas serão encaminhadas também por e-mail na próxima semana.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook

MT

Sábado (12): Mato Grosso registra 427.572 casos e 11.390 óbitos por Covid-19

Publicado


A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) notificou, até a tarde deste sábado (12.06), 427.572 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, sendo registrados 11.390 óbitos em decorrência do coronavírus no Estado.

Foram notificadas 1.001 novas confirmações de casos de coronavírus no Estado. Dos 427.572 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, 13.788 estão em isolamento domiciliar e 400.171 estão recuperados.

Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a Covid-19, há 478 internações em UTIs públicas e 352 em enfermarias públicas. Isto é, a taxa de ocupação está em 90,19% para UTIs adulto e em 39% para enfermarias adulto.

Dentre os dez municípios com maior número de casos de Covid-19 estão: Cuiabá (89.250), Rondonópolis (31.210), Várzea Grande (29.177), Sinop (20.758), Sorriso (14.750), Tangará da Serra (14.607), Lucas do Rio Verde (13.090), Primavera do Leste (10.954), Cáceres (9.221) e Alta Floresta (8.131).

A lista detalhada com todas as cidades que já registraram casos da Covid-19 em Mato Grosso pode ser acessada por meio do Painel Interativo da Covid-19, disponível neste link.

Leia mais:  Governo prorroga prazo para recadastramento de aposentados e pensionistas

O documento ainda aponta que um total de 345.418 amostras já foram avaliadas pelo Laboratório Central do Estado (Lacen-MT) e que, atualmente, restam 787 amostras em análise laboratorial.

Cenário nacional

Na sexta-feira (11.06), o Governo Federal confirmou o total de 17.296.118 casos da Covid-19 no Brasil e 484.235 óbitos oriundos da doença. No levantamento do dia anterior, o país contabilizava 17.210.969 casos da Covid-19 no Brasil e 482.019 óbitos confirmados de pessoas infectadas pelo coronavírus.

Até o fechamento deste material, o Ministério da Saúde não divulgou os dados atualizados deste sábado (12.06).

Recomendações

Já existem vacinas para prevenir a infecção pelo novo coronavírus, mas ainda é importante adotar algumas medidas de distanciamento e biossegurança.

Os sites da SES e do Ministério da Saúde dispõem de informações oficiais acerca da Covid-19. A orientação é de que não sejam divulgadas informações inverídicas, pois as notícias falsas causam pânico e atrapalham a condução dos trabalhos pelos serviços de saúde.

O Ministério da Saúde orienta os cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo vírus. Entre as medidas estão:

Leia mais:  Aulas para Enem e concurso de redação começam nesta segunda-feira (14) na TV Assembleia

– Lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos. Se não houver água e sabão, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool;

– Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;

– Evitar contato próximo com pessoas doentes;

– Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo;

– Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

MT

Aulas para Enem e concurso de redação começam nesta segunda-feira (14) na TV Assembleia

Publicado


A apresentação da trilha formativa do concurso de redação começa nesta segunda-feira (14.06) pela TV Assembleia (TVAL) em dois horários: das 9h às 10h e das 17h às 18h. A trilha formativa é um percurso que prepara o estudante para desenvolver um projeto. Serão aulas de redação, interpretação, literatura e projeto de vida, como preparatório para o Enem.

A emissora pode ser sintonizada nos canais 30.1 e 30.2 pela TV aberta e por meio das parabólicas na frequência do Satélite C2 Star One frequência 3645. Para quem tem internet, o acesso é pelo canal do programa no You tube da Assembleia Legislativa.

Segundo a coordenadora de Ensino Médio da Seduc, Giseli Maciano, como a TVAL atinge todo o Estado por meio de antena parabólica, a expectativa é chegar ao maior número possível de alunos do ensino médio. O trabalho de envolvimento das escolas começa com o concurso de redação do qual participa toda a equipe gestora e profissionais da educação. No atual cenário, Giseli acredita que todos nas escola vão colaborar no atendimento ao aluno, principalmente tirando dúvidas a respeito do concurso de redação.

Leia mais:  Aulas para Enem e concurso de redação começam nesta segunda-feira (14) na TV Assembleia

“Tudo isso é um trabalho preparatório para o concurso de redação cujas inscrições começam no dia 5 de julho”, assinala.

O concurso é destinado aos estudantes do 3º ano do Ensino Médio e o objetivo é estimulá-los a desenvolverem a escrita do texto dissertativo-argumentativo, as habilidades exigidas pelo Enem e a análise crítica frente aos problemas sociais.

Como participar do concurso

As inscrições serão feitas de 5 a 30 de julho. Para participar, o estudante deve se inscrever no canal do Pré-Enem Digit@l MT no You tube da Seduc e assistir às aulas de redação e interpretação de texto: Diferença entre competências e habilidades; Texto dissertativo-argumentativo – introdução; texto dissertativo-argumentativo: desenvolvimento; e texto dissertativo-argumentativo: conclusão.

As aulas estão disponíveis na playlist “Inscrição Concurso de Redação”. Após essa etapa, os estudantes terão que preencher o formulário de inscrição com questões relacionadas aos temas tratados nestas aulas.

O link para o formulário de inscrição será disponibilizado no último vídeo da playlist e estará aberto para preenchimento apenas durante o período de inscrição (5 a 30 de julho).

Leia mais:  Sexta-feira (11): Mato Grosso registra 426.571 casos e 11.366 óbitos por Covid-19

Os estudantes classificados entre o 11º e o 20º lugar receberão menção honrosa. Do 1º ao 10º, haverá premiação (ainda a ser definida pela Seduc – MT) aos estudantes, aos professores de língua portuguesa que os orientaram e à unidade escolar a qual pertencem.

O concurso é organizado pela Superintendência de Educação Básica e Superintendência de Diversidade, ambas da Seduc.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Segurança

MT

Brasil

Economia & Finanças

Mais Lidas da Semana





Copyright © 2018 - Agência InfocoWeb - 66 9.99774262