conecte-se conosco


MT

Estado intensifica Operação Amazônia após represálias de infratores ambientais em Colniza

Publicado


O som da motosserra, que derrubava árvores para bloquear a estrada e o acesso da equipe de fiscalização da Operação Amazônia a um alerta de desmatamento, e os tiros de arma de fogo, chamaram a atenção da força-tarefa que atuava na última terça-feira (20.07) na Estação Ecológica do Rio Roosevelt, localizada no município de Colniza (1.065 km de Cuiabá). 

Criminosos utilizaram a tática para intimidar as equipes de combate aos crimes ambientais. Logo na entrada da Estação Ecológica, a placa de sinalização mostra marcas de bala como sinal de conflitos que marcam a região.

Mesmo com as represálias, as equipes intensificaram a Operação Amazônia, e com reforço das forças de Segurança, acessaram o interior da mata fechada, e realizaram o flagrante do desmatamento ilegal. 

A identificação por satélite da alteração da vegetação indicou o local exato do desmatamento. De posse das coordenadas, as equipes fizeram a apreensão de um trator esteira, condução de um suspeito à delegacia, a apreensão de três motosserras e duas armas de fogo. Na ocorrência, soldados do Exército Brasileiro, juntamente com a Polícia Militar, utilizaram um caminhão para desobstruir o caminho que foi bloqueado por árvores cortadas.

Ao chegar no local do desmatamento ilegal, foi identificado um suspeito portando uma motosserra sem registro. Em seguida, no barraco utilizado como alojamento pelos infratores, foram localizados mais dois suspeitos com armas em punho, que evadiram do local apontando o armamento para a Polícia Militar e homens do Exército que fizeram a abordagem.

Leia mais:  Seciteci abre inscrições para a XIII Mostra Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação

Após a evasão dos suspeitos, foram realizadas buscas na mata, onde foram encontradas as armas de fogo e munições intactas e deflagradas. Nas proximidades, foi localizado um caminhão esteira que estava sendo utilizado para extração irregular de madeira, e foi removido para o pátio da Sema-MT. Também foi apreendido animal silvestre abatido.

No mesmo dia, outra equipe montou uma barreira na rodovia MT-206 com objetivo de identificar pessoas ligadas aos danos causados na área protegida por Lei ambiental. Durante a abordagem foram apreendidas armas de fogo e munições. As armas apreendidas foram uma pistola calibre 380 com carregador e munições intactas, um revólver calibre 38 com munições intactas e uma arma produzida artesanalmente calibre 22 e munições.

Colniza é o município que mais desmata em Mato Grosso, onde historicamente há confronto e intimidação às ações de repressão ao crime ambiental e fiscalização realizadas pelo Estado. A Estação Ecológica do Rio Roosevelt é uma reserva de proteção integral de cerca de 96 mil hectares, do Bioma Amazônia, gerida pela Sema-MT.

Operação Amazônia

Leia mais:  Setasc realiza Encontro Estadual do Programa Criança Feliz

A operação Amazônia integra órgãos estaduais e federais, sob coordenação da Sema-MT, para coibir crimes ambientais, monitorar e fiscalizar mudanças na vegetação, promover o embargo de áreas, apreensão e remoção de maquinários flagrados em uso para o crime, e a responsabilização de infratores. 

Os 10 municípios que mais desmatam são os principais alvos das ações coordenadas pela Operação Amazônia. São eles: Colniza, Nova Bandeirantes, Aripuanã, Peixoto de Azevedo, Apiacás, Querência, União do Sul, Marcelândia, Juara, e Rondolândia.

O Estado de Mato Grosso já aplicou mais de R$ 808 milhões em multas ambientais neste primeiro semestre, por meio da Operação Amazônia. A ação faz parte da política de tolerância zero aos ilícitos ambientais determinada pelo governo. 

Integram a iniciativa as Secretarias de Estado de Meio Ambiente, de Segurança Pública, o Exército Brasileiro, Polícia Militar, Polícia Judiciária Civil, Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer), Corpo de Bombeiros Militar (CBMMT), Instituto de Defesa Agropecuária (Indea), Ministério Público de Mato Grosso (MPMT), Ministério Público Federal (MPF) e Ibama.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook

MT

João Batista realiza visita técnica em Cadeia Pública de Chapada dos Guimarães

Publicado


Foto: BRUNO BARRETO / Assessoria de Gabinete

O deputado estadual João Batista do Sindspen (Pros), presidente da Comissão de Segurança Pública e Comunitária (CSPC) da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), realizou no último dia 20, uma visita técnica na Cadeia Pública de Chapada dos Guimarães. A ação, como explicou o parlamentar, é devido ao fechamento da Cadeia Pública de Santo Antônio de Leverger e a transferência dos 24 presos para a unidade de Chapada.

De acordo com Batista, a unidade de Chapada dos Guimarães, que agora passa a ser considerada como “presídio militar”, precisa passar por uma reforma, oferecendo condições de trabalho mais dignas aos servidores. “Nosso principal objetivo com a visita foi verificar in loco como estão as condições de trabalho dos nossos policiais penais na Cadeia Pública de Chapada. Como presidente da CSPC, iremos atuar junto a direção do local para garantir os devidos encaminhamentos”, disse João Batista.

O deputado explicou que o presídio militar é destinado aos servidores ligados a Segurança Pública, seja federal, estadual, ativos ou inativos, submetidos a cumprimento de pena no Sistema Penitenciário. Em relação aos 64 presos que estavam na Cadeia Pública de Chapada dos Guimarães, a Secretaria de Estado de Segurança Pública (SESP), informou que os mesmos foram remanejados para outras unidades da Baixada Cuiabana.

Leia mais:  Setasc realiza Encontro Estadual do Programa Criança Feliz

A estrutura da Cadeia Pública de Santo Antônio de Leverger, como informou João Batista, passará por reformas para abrigar uma unidade de regime semiaberto com 70 vagas. “Agora vamos cobrar para que ambas as unidades (Chapada e Santo Antônio) recebam a devida atenção do Poder Executivo”, finalizou o parlamentar.

Fonte: ALMT

Comentários Facebook
Continue lendo

MT

Colíder sedia 5ª edição do Circuito Empreendedor

Publicado


Colíder irá sediar a quinta edição do projeto Circuito Empreendedor, que vai ocorrer no dia 12 de agosto, das 8h às 18h, no campus da Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat) do município. O intuito é levar conhecimento para fortalecer os pequenos negócios no Estado.

O evento é realizado pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico de Mato Grosso (Sedec-MT) sob a coordenação da Secretaria Adjunta de Desenvolvimento do Ecossistema Empreendedor.

As oficinas, que serão executadas nos períodos matutino e vespertino, são dirigidas a quem pretende empreender, microempreendedores individuais e empresários de pequeno porte dos municípios que constituem o Consórcio Portal da Amazônia, são eles Colíder, Guarantã do Norte, Itaúba, Marcelândia, Matupá, Nova Canaã do Norte, Nova Guarita, Nova Santa Helena, Novo Mundo, Peixoto de Azevedo e Terra Nova do Norte.

Dentre as informações que serão levadas aos participantes do Circuito estão como aderir ao Sistema Unificado Estadual de Sanidade Agroindustrial Familiar e de Pequeno Porte (Susaf-MT), como proceder para formalizar uma empresa, as linhas de crédito disponíveis para os pequenos empreendedores, compras governamentais, entre outros temas.

Leia mais:  Aeronave é apreendida com quase 300 kg de cocaína durante operação em Poconé

Medidas de biossegurança

Todas as normas de biossegurança quanto à Covid-19 serão adotadas durante o evento, na entrada do local haverá medidor de temperatura, estarão disponíveis embalagens de álcool gel em todas as mesas e o uso das máscaras de proteção será obrigatório. Também será limitado o número de participantes por sala e controlado o distanciamento social conforme determinação legal.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Segurança

MT

Brasil

Economia & Finanças

Mais Lidas da Semana





Copyright © 2018 - Agência InfocoWeb - 66 9.99774262