Connect with us

GERAL

Festival de Verão de Campos do Jordão começa neste final de semana

Published

on


O 1º Festival de Verão de Campos do Jordão começa hoje (22) e segue até o dia 13 de fevereiro com 54 apresentações musicais divididas em dois eixos, Música Popular e Música  Erudita. 

De acordo com a  Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, a proposta é ampliar o alcance do festival e explorar novas linguagens e formatos musicais. O evento terá 26 concertos gratuitos e 22 apresentações online, exibidos no YouTube do evento e também na plataforma #CulturaEmCasa. 

O festival vai contar também com a inauguração do auditório do Parque Capivari, com capacidade para 700 pessoas e 110 músicos, palco com 250m², além de backstage de 50m² e um camarim com 35m². O novo espaço irá abrigar a abertura e o encerramento do evento.

O eixo de Música Popular contará com os seguintes artistas: Paula Lima (que abre o evento ao lado da SP Big Band, no dia 22), João Bosco, Sujeito a Guincho, Mestrinho, Guinga, João Camarero, Cristóvão Bastos, Thiago Amud, Dori Caymmi e André Mehmari. 

Leia mais:  Defensoria vê falta de vagas em creches públicas do Rio

Pelo eixo de Música Contemporânea do Festival as atrações são a cantora indiana Varijashree Venugopal; o norte-americano Derek Bermel com o Trio Arquè; os conjuntos Percorso Ensemble, Desvio, Martelo e São Paulo Chamber Soloists; o violonista Fabio Zanon e Arrigo Barnabé, e ainda a cantora, compositora e instrumentista carioca Clarice Assad. A programação completa pode ser acessada em http://www.festivalcamposdojordao.org.br/

Edição: Claudia Felczak

Fonte: EBC Geral

Comentários Facebook

GERAL

Governo federal regulamenta o teletrabalho na administração pública

Published

on

O presidente Jair Bolsonaro anunciou hoje (17) que publicará um decreto presidencial estabelecendo a possibilidade de trabalho remoto na administração pública. A mudança está prevista nas normas publicadas pela Secretaria-Geral da Presidência da República que instituem o Programa de Gestão de Desempenho para Pessoal Civil da Administração com trabalho presencial ou remoto.

Segundo o documento, a comprovação de frequência para agentes públicos que concordarem em realizar suas funções de maneira remota passará a ser a entrega periódica de demandas. A possibilidade de trabalho remoto será integral ou parcial, observada a necessidade do funcionário estar disponível para chamadas telefônicas – inclusive para atender ao público externo – durante todo o expediente.

Também há a previsão do aumento de produtividade para aqueles que optarem pelo serviço remoto. O texto cria, ainda, a possibilidade de trabalho a partir do exterior, mas apenas por tempo limitado e em “hipóteses restritas”. O regime de trabalho remoto será estabelecido seguindo os interesses da administração pública. O documento não detalha como a nova norma será implementada.

Leia mais:  Bidú Sayão foi uma desbravadora, diz Edson Cordeiro

“Essa substituição tem foco na administração voltada para resultados e busca maior transparência em relação às atividades desenvolvidas pela administração pública e seus agentes”, diz o comunicado da Secretaria-Geral.

De acordo com o governo federal, a medida terá impactos sobre a produtividade do funcionalismo público, já que institui um modelo de trabalho “voltado para resultados e incremento de eficiência.”

Edição: Pedro Ivo de Oliveira

Fonte: EBC Geral

Comentários Facebook
Continue Reading

GERAL

Polícia Civil investiga morte de juíza no Pará

Published

on

A Polícia Civil do Pará investiga a morte da juíza Mônica Maria Andrade Figueiredo de Oliveira, encontrada sem vida dentro de um carro no estacionamento de um prédio em Belém, na manhã desta terça-feira (17). O corpo tinha marca de tiro e foi encontrado pelo marido da vítima, o também juiz João Augusto Figueiredo de Olieira Júnior. 

Foi o próprio juiz que levou o corpo da mulher até a Divisão de Homicídios, região central da capital, e registrou a ocorrência. 

No relato aos policiais, o magistrado informou ter tido uma discussão conjugal com a esposa, na noite anterior, por volta das 22h30. Em seguida, Mônica teria saído do apartamento informando que iria viajar. Já pela manhã, às 6h40, ao acordar, João Augusto não teria encontrado a chave do carro e buscou a chave reserva do veículo para poder ir trabalhar. Ao chegar no estacionamento do prédio, constatou que a porta estava aberta a esposa, morta, num suposto suicídio. 

Mônica Maria Andrade Figueiredo de Oliveira tinha 47 anos, e era natural de Barra de Santana, na Paraíba. Ela era juíza da titular da Vara Única de Martins, no interior da Paraíba. Era casada com João Augusto, juiz em Belém, há cerca de dois anos, e frequentava a capital paraense com frequência. 

Leia mais:  Edital do BNDES prevê financiamento híbrido em ações socioambientais

O Tribunal de Justiça do Pará (TJPA) ainda não vai se manifestou sobre o caso.

Edição: Pedro Ivo de Oliveira

Fonte: EBC Geral

Comentários Facebook
Continue Reading

Segurança

MT

Brasil

Economia & Finanças

Mais Lidas da Semana

Copyright © 2018 - Agência InfocoWeb - 66 9.99774262