Connect with us

ELEIÇÕES

Geller e Fávaro são criticados por apoiadores após trocarem Bolsonaro por Lula

Publicado em

Após  anunciar adesão em favor da pré-candidatura do ex-presidente Lula, o deputado federal Neri Geller (PP) e o senador Carlos Fávaro (PSD) receberam uma avalanche de comentários negativos entre os seguidores dos dois parlamentares nas redes sociais.

Na terça-feira (12), houve uma reunião no Hotel Meliá Brasil 21, em Brasília com participação de Lula e do ex-govenador Geraldo Alckimin (PSB), em que Neri ‘fechou’ acordo para apoiar a principal chapa contra o presidente Jair Bolsonaro (PL), que deve disputar a reeleição.

Neri disse que a estratégia é consolidar o seu nome ao Senado junto a federação formada pelo PT, PV e PCdoB, tendo a primeira-dama de Cuiabá Márcia Pinheiro (PV) como sua primeira-suplente, além de trazer parte do empresariado do agronegócio – de maioria bolsonarista, para apoiar Lula.

Entre as críticas dos apoiadores, Neri e Geller foram chamados de

“sem vergonhas” e “incoerentes”. “Neri Geller e demais barões do agro de MT são sem vergonhas! Vocês não representam ninguém do agro”, escreveu um internauta seguidor de Geller. “Perdeu meu voto. Fechado com Bolsonaro. Toda a família”, escreveu outro.

Leia mais:  PTB oficializa candidatura de Roberto Jefferson à Presidência

Seguidores de Fávaro também deixaram críticas nas redes sociais do senador. “Ladeira abaixo. Tinha meu voto e da minha família. Agora quantos eu puder converter para não votar nessa aliança será uma eterna satisfação. Até Carlos Fávaro, que sempre teve minha admiração? Lamentável”.

“Que decepção, senador! deixando de te seguir e de te apoiar.Lula Não!!!!, criticou. “O senhor está aliado ao PT? E  aquela reunião com o presidiário?. Não seria contraditório um homem do agro se aliar a um financiador do MST ?”, escreveu outro. “Meu voto é só um, mas você jogou no lixo. Mas terá próximas eleições, pode deixar”.                              Além de Neri, Fávaro, Lula e Alckimin, também participaram do encontro em Brasilia os deputados federais Gleici Hoffman e Professora Rosa Neide; ex-ministro Aloizio Mercadante, deputado estadual Valdir Barranco; ex-deputado Chico Daltro; a primeira-dama de Cuiabá, Márcia Pinheiro e o secretário de Cultura de Cuiabá, Aluizio Leite.

Leia mais:  Forças Armadas inspecionam códigos-fonte da urna

Comentários Facebook

ELEIÇÕES

TSE recebe sete registros de candidatura à presidência da República

Published

on

Quatro candidatos não apresentaram registro. Prazo vai até dia 15

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) já recebeu sete pedidos de registros de candidaturas à Presidência da República. Os pedidos estão sendo protocolados desde a semana passada, após a aprovação dos nomes dos candidatos nas convenções partidárias. 

ABr – A formalidade é necessária para que a Justiça Eleitoral possa verificar se os candidatos têm alguma restrição legal e não podem concorrer às eleições de outubro.

Os dois primeiros registros foram dos candidatos Pablo Marçal (Pros) e Sofia Manzano (PCB). Marçal indicou como vice Fátima Pérola Neggra (Pros). A chapa de Sofia terá Antonio Alves (PCB) como vice.

Em seguida, foi registrada a candidatura de Felipe D’Ávila (Novo) à Presidência da República. Como vice, foi registrado o nome de Tiago Mitraud (Novo).

Léo Péricles, do União Popular (UP), também solicitou registro no TSE. A chapa é composta pela candidata à vice, Samara Martins, do mesmo partido. Péricles, de 40 anos, técnico de mecânica, terá como vice Samara Martins, odontóloga de 34 anos. Ambos nasceram em Belo Horizonte (MG). O candidato declarou R$197,31 de patrimônio, provenientes de caderneta de poupança. Já Samara Martins declarou um total de R$3.364,55 em bens provenientes de valores em  poupança e conta corrente.

Leia mais:  TSE responde aos questionamentos técnicos das Forças Armadas

No sábado (6), foi registrada a candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). A chapa é composta pelo candidato a vice, Geraldo Alckmin (PSB).

O TSE também recebeu o pedido de registro de candidatura da senadora Simone Tebet (MDB-MS). A senadora Mara Gabrilli (PSDB-SP) é a candidata à Vice-Presidência.

O último pedido foi protocolado pelo PSTU, que indicou Vera Lúcia para candidata à presidência. A candidata à Vice-Presidência é a indígena Raquel Tremembé (PSTU).

Oficialmente, a campanha eleitoral, quando os candidatos podem efetivamente pedir votos e divulgar seus números, começa no dia 16 de agosto. Os registros de candidatura devem ser feitos até 15 de agosto.

Para os cargos de deputado estadual, federal, distrital, senador e governador, o registro é realizado nos tribunais regionais eleitorais.

Edição: Claudia Felczak

Comentários Facebook
Continue Reading

ELEIÇÕES

TSE responde aos questionamentos técnicos das Forças Armadas

Published

on

Presidente do tribunal diz que não há normas para algumas solicitações

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Edson Fachin, enviou hoje (8) ao ministro da Defesa, Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira, um ofício com as respostas técnicas sobre os questionamentos feitos pela equipe das Forças Armadas que foi designada para acompanhar a fiscalização do processo eleitoral. 

ABr – No documento, Fachin afirmou que não há previsão normativa para registro escrito de algumas informações solicitadas pela equipe, como a lista de serviços utilizados no recebimento do boletim de urna, de bibliotecas instaladas no servidor e resumos criptográficos e de interpretadores (Java, PPytohon, PHP).

“Nessa ordem de ideias, para garantir o fiel cumprimento da norma, o TSE franqueou o acesso  às  suas  dependências  para  inspeção  do  código-fonte  dos programas a serem utilizados nas eleições 2022, desde o mês de outubro do ano de 2021, fazendo ampla divulgação das suas reiteradas iniciativas de transparência”, diz o ofício.

Sobre o acesso à informações das eleições anteriores, o presidente disse que o prazo para solicitação dos dados já terminou, conforme as regras válidas a partir do ano passado.

Leia mais:  TSE mantém registro do vice-prefeito eleito em 2020 em Rondonópolis (MT)

“As  entidades  fiscalizadoras  do  processo  eleitoral,  nos  termos  da  Resolução nº. 23.673, de 2021, não possuem poderes de  análise e fiscalização de eleições passadas, não lhes cumprindo papel de controle externo do TSE”, afirmou o tribunal.

Edição: Fábio Massalli

Comentários Facebook
Continue Reading

Segurança

MT

Brasil

Economia & Finanças

Mais Lidas da Semana