conecte-se conosco


GERAL

Incêndio atinge parque aquático em Goiás; não há feridos

Publicado


Um incêndio atingiu, no início da tarde de hoje (22), o parque aquático Hot Park, em Rio Quente, no estado de Goiás. O fogo se espalhou pela cobertura do restaurante, feita de palha.

Segundo a assessoria do Corpo de Bombeiros de Goiás, o acidente foi ocasionado por fagulhas vindas de um incêndio florestal, ocorrido na área externa do parque. Por volta das 15h o incêndio já estava controlado pelos bombeiros, restando apenas a extinção de pequenos focos.

“Guarnições do 9º BBM foram acionadas para uma ocorrência de incêndio em um restaurante dentro do Hot Park provocado pelo avanço de um incêndio florestal. O incêndio já está controlado, porém as equipes ainda trabalham na extinção de pequenos focos e no rescaldo”, informou o Corpo de Bombeiros, em nota. A corporação recebeu vídeos de civis próximos ao local. Nas imagens, é possível ver o fogo destruindo a cobertura do restaurante.

O incêndio destruiu o restaurante, mas as demais áreas do parque não foram atingidas. Em nota, o Hot Park informou que o parque foi evacuado e que não houve feridos. A área do restaurante foi isolada e não comprometerá a reabertura do parque amanhã (23).

Leia mais:  Cursos gratuitos capacitarão mulheres em situação de vulnerabilidade

“Imediatamente a Brigada de Incêndio foi acionada e agiu rapidamente para conter o fogo – sob controle – e evacuar a área. O Corpo de Bombeiros também foi acionado. Não há feridos. Os clientes foram orientados a evacuar o parque, por prevenção e seguindo os protocolos de segurança definidos pelo Corpo de Bombeiros. A única área afetada foi a do restaurante, que está isolada”, disse o Hot Park, em comunicado divulgado em suas redes sociais.

Edição: Nádia Franco

Fonte: EBC Geral

Comentários Facebook

GERAL

Geração de resíduos domiciliares e urbanos cresce na pandemia

Publicado


A geração de resíduos domiciliares e de limpeza urbana tiveram aumento médio de 10% no país em no ano passado, segundo levantamento da Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe).

Segundo a análise dos sistemas de coleta em diversos municípios, a quarentena contra a pandemia de covid-19, que fez com que mais pessoas trabalhassem em casa, concentrou a geração de resíduos fora das áreas comerciais e industriais.

“As medidas de isolamento social e a adesão ao home office, adotado por boa parte das empresas, influenciaram diretamente na geração de resíduos domiciliares, que antes eram gerados nos grandes centros e áreas corporativas, elevando a demanda pelos serviços de limpeza urbana nas cidades”, explica o diretor-presidente da Abrelpe, Carlos Silva Filho.

O Panorama dos Resíduos Sólidos no Brasil, divulgado pela entidade no final do ano passado, mostra que, em 2019, a média per capita no país era de 379,1 quilos de resíduos sólidos gerados por ano. Em 2010, cada pessoa produzia em média 348,3 quilos de resíduos por ano.

Leia mais:  Manifestações pelo voto auditável reúnem pessoas e várias capitais

Recicláveis

As mudanças de hábito durante a pandemia também mudaram o perfil dos resíduos urbanos, com um aumento médio de 25% na quantidade de materiais recicláveis coletados. De acordo com a Abrelpe, isso está ligado ao aumento das compras pela internet, que necessitam de mais embalagens para o envio dos produtos.

Segundo a associação, o crescimento do uso desses materiais não foi, entretanto, acompanhado de um aumento da reciclagem. “A reciclagem propriamente dita não cresceu na mesma proporção, já que boa parte do volume coletado foi encaminhada para unidades de disposição final devido ao fechamento ou à diminuição da atuação nas unidades de triagem em diversas cidades durante boa parte do ano passado”, destaca Silva Filho ao comentar como o trabalho das unidades de reciclagem também foi impactado pela pandemia.

Edição: Nádia Franco

Fonte: EBC Geral

Comentários Facebook
Continue lendo

GERAL

Apostas da Lotofácil da Independência começam hoje

Publicado


Começam nesta segunda-feira (2) as apostas para a Lotofácil da Independência. O concurso número 2.320 será sorteado no dia 11 de setembro às 20h (horário de Brasília). A previsão inicial estimada do prêmio é de R$ 150 milhões.

De acordo com a Caixa, esta será a maior premiação da história da modalidade. O maior prêmio da Lotofácil da Independência, até então, foi pago no ano passado – R$ 124,9 milhões, divididos entre 50 apostas de 17 estados.

Como funciona

Assim como nos demais concursos especiais, o prêmio principal oferecido não acumula. Não havendo apostas premiadas com 15 números, o valor será dividido entre os acertadores de 14 números e assim sucessivamente.

Ainda segundo a Caixa, caso apenas um ganhador leve o prêmio e aplique todo o valor na poupança, ele receberá R$ 366,9 mil de rendimento no primeiro mês. Se preferir investir em imóveis, o banco destaca que seria possível adquirir 250 casas ou apartamentos no valor de R$ 600 mil cada.

Leia mais:  Manifestações pelo voto auditável reúnem pessoas e várias capitais

As apostas podem ser realizadas em volantes específicos da Lotofácil da Independência, disponíveis nas lotéricas de todo o país.

No portal Loterias Caixa é possível adquirir um combo especial do sorteio, com 12 apostas para o concurso, bem como outros combos contendo apostas de outras modalidades, além do concurso especial.

Também é possível apostar pelo aplicativo Loterias Caixa. A aposta custa R$ 2,50 e o apostador deve escolher entre 15 a 20 números dentre os 25 disponíveis no volante.

Edição: Denise Griesinger

Fonte: EBC Geral

Comentários Facebook
Continue lendo

Segurança

MT

Brasil

Economia & Finanças

Mais Lidas da Semana





Copyright © 2018 - Agência InfocoWeb - 66 9.99774262