conecte-se conosco


SEGURANÇA

Operação no Rio prende PM apontado como chefe de milícia na zona oeste

Publicado


Duas pessoas foram presas, entre elas, um policial militar apontado como líder de um grupo de milicianos que domina áreas da zona oeste do Rio de Janeiro. As prisões foram feitas por policiais civis da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (DRACO), que deflagraram, hoje (21), nos bairros da Taquara, Rocha Miranda, Praça Seca e Guaratiba, a Operação Barbárie, para cumprir dois mandados de prisão temporária e seis mandados de busca e apreensão contra membros da organização criminosa. De acordo com a Secretaria de Estado de Polícia Civil do Rio de Janeiro (Sepol), o policial militar é apontado como líder do grupo.

A operação, que ainda está em andamento, conta com o apoio de agentes da Corregedoria da Polícia Militar. O delegado William Pena Júnior informou que os dois investigados estão respondendo pelos crimes de extorsão, roubo, estupro e associação criminosa. “Sob falso pretexto de que as vítimas sejam marginais, eles extorquiam, batiam, espancavam para conseguir o dinheiro desses pobres trabalhadores. Eles estão prestando depoimento e já afirmam prática criminosa. Estamos investigando mais outros dois que seriam informantes dessa quadrilha para que a gente possa concluir este inquérito policial”, revelou.

Leia mais:  PM encontra garimpo ilegal e encaminha sete homens à Delegacia em Novo Mundo

Conforme a Sepol, a operação foi batizada de Barbárie, porque o grupo de milicianos age com extrema violência e humilhação para obtenção de lucro obtido com a prática de extorsão. “Além das sessões de espancamento que as vítimas sofreram, também foi praticada violência sexual contra uma delas”, completou a secretaria.

Polícia Militar

Segundo a Secretaria de Estado de Polícia Militar, a área Correcional da PM já foi informada sobre a prisão do policial. “O referido policial militar era lotado no 41º BPM (Irajá) e está preso, sendo ouvido pela Polícia Civil. O comando da unidade acompanha a acareação na delegacia e a área Correcional da Corporação já foi comunicada do fato”, informou.

Edição: Valéria Aguiar

Fonte: EBC Geral

Comentários Facebook

SEGURANÇA

PM celebra 104 anos do 1º Batalhão de Polícia Militar de Cuiabá nesta quarta-feira (28)

Publicado


Na quarta-feira (28.07), às 19h, o 1º Batalhão de Polícia Militar de Cuiabá realizará solenidade alusiva aos 104 anos de fundação da unidade, comemorados no dia 03 de junho. O evento será realizado na sede do 1º BPM, na Avenida XV de Novembro, bairro do Porto, na capital. 

Além da tradicional formatura, autoridades militares e civis serão homenageadas com a medalha ‘Batalhão Daniel de Queiroz’- mérito centenário da PMMT. A solenidade de aniversário teve que ser adiada no dia 03 de junho, data de fundação da unidade, por causa da pandemia da Covid-19. 

A unidade faz parte da história mato-grossense. Patrimônio histórico estadual, o 1º BPM, pertence ao 1º Comando Regional da PM, e é considerada fundamental à Segurança Pública.  

Atualmente sob o comando do tenente-coronel Marco Antônio Guimarães, o batalhão atende mais de 30 bairros por meio de três Companhias da Polícia Militar instaladas na Lixeira, Beira Rio e Boa Esperança. O “Batalhão Daniel de Queiroz” é uma homenagem ao policial Daniel Queiroz, um carioca nascido em 1891 que atuou por mais de 40 anos na Polícia Militar de Mato Grosso, inclusive no 1º BPM, onde chegou ao posto de comandante da unidade. 

Leia mais:  Ação conjunta entre Penitenciária Feminina e PCE contém entrada de drogas e celulares e prende suspeitos

Serviço 

PM celebra 104 anos do 1º Batalhão de Polícia Militar de Cuiabá 

Local: sede do 1º BPM, localizada na Av. XV de novembro, Porto, em Cuiabá 

Data: 28/07/2021 

Horário: 19h

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

SEGURANÇA

Polícia Federal faz operação para combater contrabando de ouro

Publicado


Agentes da Polícia Federal (PF) e da Receita Federal realizaram hoje (27) uma operação contra o contrabando de ouro, garimpado ilegalmente na região Norte do país. Batizada de Ruta 79, a operação cumpre quatro mandados de prisão preventiva e 21 mandados de busca e apreensão em cidades do Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais.
 
A PF estima que, no período de 2017 a 2019, a quadrilha tenha contrabandeado mais de uma tonelada de ouro para a Itália.
 
As investigações começaram com a prisão de um policial federal. De acordo com a PF, este policial fazia parte da organização criminosa e era o responsável pela passagem ilegal do ouro contrabandeado da área pública para a restrita dos aeroportos. Durante as investigações, mais de 17kg de ouro e joias foram apreendidos, tudo avaliado em mais de US$ 1 milhão.
 
Segundo a PF, os investigados usavam pessoas como “mulas” para transportar o ouro até a Itália. A carga tinha documentação falsa de empresas sediadas no Paraguai. Na sequência, a organização criminosa trazia joias compradas na Ásia e nos Estados Unidos utilizando novamente “mulas” para introduzi-las de maneira clandestina no Brasil.
 
A ação contou com 120 policiais federais no Rio de Janeiro, em Angra dos Reis, São Paulo, São José do Rio Preto, Piracicaba, Mirassol e Belo Horizonte.
 
A operação foi batizada Ruta 79 porque ruta significa rota em italiano, destino do contrabando, e o número 79 é a posição do ouro na tabela periódica de química.

 

*Estagiário sob a supervisão de Mario Toledo

Edição: Lílian Beraldo

Leia mais:  Polícia Federal faz operação para combater contrabando de ouro
Fonte: EBC Geral

Comentários Facebook
Continue lendo

Segurança

MT

Brasil

Economia & Finanças

Mais Lidas da Semana





Copyright © 2018 - Agência InfocoWeb - 66 9.99774262