Connect with us

ELEIÇÕES

Plano de Segurança das Eleições 2022 em Mato Grosso

Published

on

Foram apresentadas as previsões de atuação das forças de segurança no momento da votação e apuração dos votos

O Gabinete de Gestão Integrada (GGI) apresentou, nesta terça-feira (10.05), as linhas gerais do Planejamento Estratégico de Segurança das Eleições 2022. Para o total de 1.319 locais de votação em Mato Grosso, por exemplo, foi solicitada a presença de 2.638 profissionais das forças de segurança, além de plano específico de segurança voltado aos locais de votação em terras indígenas e de difícil acesso e outras frentes de atuação.

Por Nara Assis – Foram apresentadas as necessidades de atuação das forças de segurança no momento da votação, da apuração dos votos e em outras etapas importantes do processo eleitoral. Dessa forma, o plano geral está subdividido em oito etapas com planos de segurança específicos.

De acordo com o planejamento, além de dois policiais militares por local de votação, serão dispostas equipes de campo com patrulhas e atuação direta. As cidades com mais de 100 mil eleitores (Cuiabá, Várzea Grande, Rondonópolis e Sinop) demandarão o envolvimento de maior número de agentes de segurança nos locais de apuração, incluindo a atuação do corpo de bombeiros militares.

Além disso, o plano prevê a designação de delegados de plantão nos municípios sede de Zona Eleitoral e nos municípios termos pelo menos dois dias antes das eleições. A atuação da PRF nos casos de deslocamento de indígenas em áreas de risco ou com histórico de conflito, ou em apoio a PF e Exército, também está contemplada, entre outras medidas de segurança.

Leia mais:  Jayme Campos: "já declarei meu apoio ao senador Wellington Fagundes"

O coordenador do GGI e juiz auxiliar da presidência do TRE-MT, Dr. Bruno D’Oliveira Marques, agradeceu, em nome do presidente do Tribunal, desembargador Carlos Alberto Alves da Rocha, o apoio prestado pela Polícia Militar e a Guarda Municipal de Várzea Grande, durante o fechamento de cadastro, especialmente, nos dias 03 e 04 de maio. O magistrado destacou ainda a importância do envolvimento de todos, na tarefa de garantir eleições seguranças e transparentes. “Estamos empenhados em construir um plano de segurança para as Eleições 2022, eficaz e equilibrado, respeitando a autonomia das instituições, mas com foco no trabalho conjunto. A segurança é nosso alvo principal, e essa missão precisa contar com a colaboração de todos para que seja, ao fim, exitosa. É isso que todos nós estamos buscando”.

Na reunião, o GGI debateu também a consulta encaminhada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aos Tribunais Eleitorais sobre a necessidade de uso das forças armadas em ações de segurança ou no apoio logístico. O TRE-MT já solicitou aos juízes eleitorais que informem esta necessidade, a fim de que a informação seja transmitida ao TSE ainda no mês de maio, após manifestação das forças de segurança. Também foi solicitado às forças de segurança que definam a escala de policiais que atuarão na eleição, visando garantir a eles o exercício de voto.

Leia mais:  TRE-MT atendeu 42,3 mil eleitores no último dia do cadastro eleitoral

O juiz membro substituto e presidente da Comissão de Segurança do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE-MT), Sebastião Arruda, destacou a importância do planejamento para o sucesso das eleições. “A segurança é uma preocupação central do Tribunal e condição fundamental para que o direito ao voto seja garantido a toda a população mato-grossense. Também nos preocupamos com a segurança dos magistrados, servidores e colaboradores que trabalharão no dia da eleição. Tenho certeza que podemos contar com o empenho de todos nesta missão”.

Mato Grosso possui mais de 1.400 locais de votação, distribuídos em 57 Zonas Eleitorais, 50 locais de votação em terras indígenas, 114 locais de difícil acesso, nos seus 141 municípios, que totalizam mais de 900 mil km².

Sobre o GGI

O GGI é composto pelos órgãos de segurança federais (Polícia Rodoviária Federal, Polícia Federal, Exército Brasileiro, Marinha do Brasil), estaduais (Sesp-MT, Polícia Militar, Polícia Judiciária Civil, Corpo de Bombeiros Militar, Perícia Oficial e Identificação Técnica) e municipais (Guarda Municipal de Várzea Grande e Secretaria de Mobilidade Urbana de Cuiabá), além da Fundação Nacional do Índio (Funai) e Energisa.

Também serão chamados a integrarem o grupo de apoio ao GGI representantes do Departamento de Água e Esgoto de Várzea Grande (DAE), Águas Cuiabá, OI Telecomunicações e NET/CLARO/EMBRATEL.

 

Comentários Facebook

ELEIÇÕES

Vaquinhas virtuais de pré-candidatos das eleições de outubro

Published

on

Não existe limite de valor a ser recebido pela modalidade de financiamento coletivo; somente pessoas físicas podem doar

A partir deste domingo (15), pré-candidatos às eleições de outubro próximo poderão iniciar a campanha de arrecadação prévia de recursos na modalidade de financiamento coletivo. No entanto, ainda não é permitido pedir votos.

Da Agencia Câmara- O financiamento coletivo, também conhecido como vaquinha virtual ou crowdfunding, é oferecido desde 2018 e funciona por meio da internet e de aplicativos eletrônicos controlados por empresas especializadas na oferta desse tipo de serviço. Por enquanto, 12 dessas empresas tiveram o cadastro aprovado pelo Tribunal Superior Eleitoral e outras 14 empresas se inscreveram. Nas eleições de 2020, 24 empresas estavam cadastradas no TSE. Em 2018, eram 59.

Valores
Nas eleições de 2020, as vaquinhas virtuais arrecadaram R$ 15,8 milhões, menos do que em 2018, quando levantaram R$ 19,7 milhões. Dessas doações, R$ 7,6 milhões foram para candidatos a presidente e R$ 5,3 milhões para candidatos a deputado federal.

Leia mais:  Voto em trânsito é opção para quem perdeu prazo de transferir título

As vaquinhas virtuais arrecadaram apenas R$ 1,2 milhão para os deputados eleitos, ou 0,3% da receita total. A maior parte dos recursos arrecadados por vaquinhas virtuais foi destinada a deputados eleitos pelo Novo (R$ 289.283,49), seguido pelo Psol (R$ 273.919,55).

Normas
Não existe limite de valor a ser recebido pela modalidade de financiamento coletivo. Somente pessoas físicas podem doar, e a emissão de recibos é obrigatória em todo tipo de contribuição, seja em dinheiro ou cartão.

A liberação e o respectivo repasse dos valores só poderão ocorrer se aos candidatos tiverem cumprido os requisitos definidos na norma do TSE: requerimento do registro de candidatura, inscrição no CNPJ e abertura de conta bancária específica para acompanhamento da movimentação financeira de campanha.

Durante a fase de arrecadação de doações, as empresas devem realizar a identificação obrigatória de cada um dos doadores e das quantias transferidas individualmente, além da forma de pagamento e da data em que ocorreu a respectiva contribuição.

O responsável pela arrecadação também está obrigado a manter lista atualizada no respectivo site, contendo a identificação dos doadores e os números de CPF. Os candidatos deverão ser informados pelas prestadoras de serviço sobre as doações realizadas para as campanhas.

Leia mais:  TSE encerra fase de testes das urnas eletrônicas

Na hipótese de o pré-candidato não solicitar o registro de candidatura, as doações recebidas durante o período de pré-campanha deverão ser devolvidas pela empresa arrecadadora diretamente aos respectivos doadores.

Reportagem – Francisco Brandão
Edição – Wilson Silveira

Comentários Facebook
Continue Reading

ELEIÇÕES

Emanuelzinho lidera com folga em Cuiabá e VG, segundo pesquisa da Percent

Published

on

Coronel Assis é a sensação

Se as eleições para deputado federal fossem hoje, o jovem Emanuelzinho Pinheiro Neto (MDB), filho do prefeito da Capital, Emanuel Pinheiro, mesmo partido, alcançaria 5,1% das intenções de votos em Cuiabá e Várzea Grande. A nova rodada da Percent começou a ser publicada na última quinta-feira (12) pela TV Cuiabá e portal ODOCUMENTO.

D’ O Documento – Em segundo lugar, figura o também atual deputado federal, José Medeiros (PL), com 3,4% das citações. Pela pesquisa quantitativa, Medeiros tende a se reeleger com tranquilidade no dia 2 de outubro.

No entanto, a sensação do momento é o ex-comandante da Polícia Militar, Coronel Assis (União Brasil). Sem nunca ter disputado qualquer cargo eletivo, o homem que já comandou o temido BOPE, divisão especial da PM, cravou 2,2% de preferência popular. Em se mantendo a boa performance, Assis deve ganhar a segunda vaga de deputado federal do União Brasil.

Ex-comandante da PM, Coronel Assis (União Brasil), é a bola da vez entre os fiéis escudeiros do atual presidente, Jair Bolsonaro (PL)

Com 2% das citações, outros três nomes se destacaram na Percent. São eles: Nelson Barbudo (PL), Sargento Joelson (Cidadania) e Carlos Bezerra (MDB). Vale ressaltar a capilaridade de Barbudo em todo estado. Ele “pingou” em mais de 80 municípios, conforme pesquisa estadual realizada em março, o que pode levá-lo ao topo da lista como campeão de votos, em 2022.

Leia mais:  Voto em trânsito é opção para quem perdeu prazo de transferir título

A deputada federal, Rosa Neide (PT), abocanhou 1,5%, seguida por Fábio Garcia (União Brasil), Gisela Simona (União Brasil) e Coronel Fernanda (PL), ambos lembrados por 1% dos entrevistados.

“Pelo apurado, o União Brasil, PL e MDB levam vantagem na disputa pelas oito vagas à Câmara Federal. Acredito que entre os militares, o Coronel Assis é o nome mais forte e deve brigar pela segunda vaga lá na legenda do governador, Mauro Mendes”, avaliou Ronye Steffan, sócio-propriatário da Percent.

Metodologia

A Percent aplicou a técnica “survey de opinião” com 1.000 entrevistados por telefone em Cuiabá e Várzea Grande. A coleta de dados se deu entre os dias 27 de abril a 3 de maio. A margem de erro de é 3,10% para mais ou para menos. Seguindo os ditames da Lei Eleitoral, a pesquisa foi devidamente registrada junto ao Tribunal Regional Eleitoral sob o número MT-06721/2022.

Comentários Facebook
Continue Reading

Segurança

MT

Brasil

Economia & Finanças

Mais Lidas da Semana

Copyright © 2018 - Agência InfocoWeb - 66 9.99774262