Connect with us

Várzea Grande

Prefeitura capacita mais de 1,6 mil pessoas pelo programa “Qualifica + VG”

Published

on

O programa é coordenado pela Secretaria de Assistência Social em parceria como Governo do Estado e órgãos do terceiro setor. A ação tem como público-alvo as famílias de baixa renda.

Disseminar e promover políticas públicas voltadas à geração de emprego e distribuição de renda por meio da capacitação profissional. É nesta esteira que segue o programa ‘Qualifica + VG’ – promovido pela Prefeitura de Várzea Grande, em parceria com o Governo do Estado e entidades do terceiro setor. Desde seu lançamento em fevereiro deste ano, mais de 1,6 mil pessoas foram capacitadas em mais de 80 cursos oferecidos gratuitamente. A ação tem como público-alvo as famílias de baixa renda.

De acordo com o prefeito de Várzea Grande, Kalil Baracat, não basta apenas ofertar vagas de trabalho. É preciso qualificar a mão de obra. “Por isso criamos esse programa que tem tido um grande alcance social gerando, ao mesmo tempo, uma oportunidade das pessoas melhorarem de vida. Várzea Grande é uma cidade pujante. Possui localização privilegiada. Estamos no entroncamento de três rodovias federais. De maneira que temos o dever de fazer com que boa parte dessa economia fique aqui, gerando emprego e distribuindo renda às nossas famílias”.

Leia mais:  Consumidores com débitos em atraso com o DAE-VG podem renegociar dívidas

O programa reúne diversos projetos de cursos de qualificação profissional de importantes parceiros da Prefeitura Municipal, que inclusive, desde o ano de 2021, já ofertaram e preencheram vagas de emprego de pessoas indicadas pela Administração Municipal após avaliação de currículo. “Com a inserção do programa ‘Qualifica + VG’ estamos conseguindo capacitar um número maior de profissionais, com foco no empreendedorismo, e também no processo de ensino e aprendizagem para aqueles que querem mudar de profissão ou se capacitar em mais numa área de atuação “.

O diretor-geral do Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT), João Bosco Lima Beraldo, disse que Várzea Grande está de parabéns pelos serviços realizados. “O IFMT tem satisfação e alegria em ter o Município como parceiro, em especial, no curso de Microempreendedor Individual, com uma oferta de 500 vagas, para pessoas em situação de vulnerabilidade social e beneficiárias de programas sociais. O curso é um dos mais procurados”.

O supervisor-geral do Senar-MT, Natalino Márcio Viana da Costa, disse que a parceria com a Prefeitura é um sucesso, uma vez que a cidade tem se destacado com 100% de aproveitamento nos cursos ofertados. “No ano passado, realizamos mais de 250 treinamentos. Neste ano, a projeção é de realizar, até a primeira quinzena de dezembro, 380 oficinas”, completou.

Leia mais:  Kalil lança obras de pavimentação asfáltica nos bairros Jardim Alá e Esmeralda

O presidente do Sindicato Rural de Nossa Senhora do Livramento, que possui uma extensão de base em Várzea Grande, Benedito Francisco de Almeida, destacou que a parceria vem sendo consolidada com o Município na realização de treinamentos para a população local. “De janeiro a 20 de junho, foram realizadas 192 oficinas, com a capacitação de 1,9 mil alunos em Várzea Grande. Trabalhamos no fortalecimento de serviços sociais, oferecendo cursos e treinamentos, de forma gratuita, e com certificação de conclusão de curso, o que possibilita uma maior chance desse aluno se inserir no mercado de trabalho”, informou, ao anunciar mais 250 cursos para o segundo semestre.

QUALIFICA + VG

A marca foi criada para identificar os cursos dos parceiros da Secretaria de Assistência Social, com foco no público de vulnerabilidade e risco social, famílias inscritas no Programa Ser Família do Governo do Estado de Mato Grosso, atendendo jovens, mulheres arrimo de família, mulheres vítimas de violência e pessoas com deficiência.

  • Fonte: SECOM/VG

Comentários Facebook

Várzea Grande

Kalil encaminha projeto do novo piso salarial para agentes de saúde e agentes de endemias

Published

on

Prefeito solicitou dos vereadores, a apreciação da proposta em regime de urgência para efetivar as medidas o quanto antes.

Várzea Grande – O prefeito Kalil Baracat encaminhou à apreciação urgente dos vereadores, o projeto de Lei que trata do Piso Salarial dos Agentes Comunitários de Saúde (ACS) e dos Agentes de Combate às Endemias (ACE), que será elevado para R$ 2.424,00 (Dois mil quatrocentos e vinte e quatro reais) entre recursos do Governo Federal e do Tesouro Municipal de Várzea Grande.

“Com certeza eles darão um salto na qualidade nos serviços de saúde prestados em Várzea Grande, pois são profissionais fundamentais para a efetividade do Sistema Único de Saúde (SUS)”, explicou o prefeito Kalil Baracat, sinalizando que o Poder Executivo trabalha pela valorização de todos os servidores públicos que somente neste ano de 2022, receberam entre correção salarial, 7% e elevação de nível estimado em 5% para todos os servidores e 12,84% para os professores que também tiveram elevação de nível na totalidade do direito de cada funcionário.

Kalil Baracat lembrou que a Saúde Municipal teve e continua tendo uma atuação de destaque e com repercussão positiva, por causa da pandemia da COVID-19, quando foi exigido de médicos, enfermeiros, auxiliares até mesmo de servidores da área administrativa, serviço redobrado por causa das campanhas de vacinação e das exigências e cuidados redobrados.

Leia mais:  Várzea Grande disponibiliza 21 pontos de vacinação contra a Covid-19

“São profissionais fundamentais e essenciais para as ações e políticas públicas do SUS para a integração entre serviços de saúde da Atenção Primária e a população e estão vinculados às Unidades Básicas de Saúde (UBS) que fazem o primeiro atendimento dos pacientes e onde são solucionados mais de 90% dos casos, deixando aqueles mais específicos ou em grau de urgência e emergência para as UPAs IPASE e Cristo Rei e para o Hospital Pronto-Socorro de Várzea Grande”, disse o prefeito Kalil Baracat.

O prefeito lembrou que Várzea Grande tem anualmente investido quase o dobro do que estabelece a legislação em saúde pública. A lei prevê 15% das Receitas Correntes, e a sua administração supera os 28%.

Os ACS devem estar em contato permanente com as famílias desenvolvendo ações educativas, visando à promoção da saúde e a prevenção das doenças, de acordo com o planejamento da equipe, cadastrar todas as pessoas de sua microárea e manter os cadastros atualizados, orientar famílias quanto à utilização dos serviços de saúde.

Já os ACE exercem o trabalho de prevenção de doenças como a dengue, chagas, malária, zika, Chikungunya, raiva, febre amarela, leishmaniose nas comunidades. Fazem vistoria de residências, depósitos, terrenos baldios e estabelecimentos comerciais para buscar focos endêmicos. Inspeção cuidadosa de caixas d’água, calhas e telhados. Aplicação de larvicidas e inseticidas. Orientações quanto à prevenção e tratamento de doenças infecciosas. Recenseamento de animais. Essas atividades são fundamentais para prevenir e controlar doenças e fazem parte das atribuições do agente de combate de endemias (ACE).

Leia mais:  Kalil Baracat favorece mecanização do cultivo para pequenos produtores de Várzea Grande

Segundo o secretário de Saúde de Várzea Grande, Gonçalo Barros, a carreira dos ACS e ACE se tornou essencial em um país de dimensões continentais como o Brasil, para que a Saúde Pública ganhasse musculatura e solucionasse os problemas que mais afligem população, evitando a superlotação de unidades concebidas para os casos de urgência e emergência.

“A funcionalidade do SUS tem como concepção a atuação destes dois grupos de profissionais, os Agentes Comunitários de Saúde (ACS) e os Agentes de Combates às Endemias (ACE), que se inter-relacionam entre si e com a população, facilitando assim o encaminhamento de medidas preventivas a serem adotadas pela própria população e até mesmo para o primeiro atendimento, para que cada uma das unidades de saúde possa então promover o atendimento necessário e na medida do possível a solução para os casos”, disse Gonçalo Barros.

Ele lembrou que as pessoas culturalmente procuram as UPAs e o Hospital Pronto-Socorro de Várzea Grande para casos que seriam facilmente solucionados nas Unidades Básicas de Saúde (UBS).

“Se o sistema funcionar dentro do concebido, do estabelecido, teremos uma demanda menor, soluções mais eficientes e a saúde da população em melhores condições”, frisou Gonçalo Barros.

Comentários Facebook
Continue Reading

Várzea Grande

Kalil Baracat favorece mecanização do cultivo para pequenos produtores de Várzea Grande

Published

on

As comunidades rurais Sadia 1, Sadia 3, Formigueiro e Limpo Grande, onde vivem mais de 500 famílias, estão sendo beneficiadas pela ação da gestão, que visa fomentar a produção nas propriedades do município.

Celly Silva – Com o objetivo de melhorar a vida das famílias que vivem no campo, a gestão Kalil Baracat, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Rural Sustentável (SEMMADRS) e em parceria com a Secretaria Estadual de Agricultura Familiar (SEAF), já disponibilizou dois tratores Massey Ferguson, um trator LS 50cv e dois microcultivadores para as comunidades rurais Sadia 1, Sadia 3, Formigueiro e Limpo Grande, onde vivem mais de 500 famílias. Em breve, mais um trator será entregue no assentamento Dorcelina Folador.

Esses maquinários mudaram a realidade de pequenos produtores, que antes tinham que pegar no cabo da enxada por horas debaixo do sol para lavrar alguns metros de terra e, agora, em pouco tempo, conseguem fazer o preparo do solo de uma área maior, com mais eficácia e melhores condições de trabalho.

Maria Aparecida da Silva, dona de uma área de 26 hectares no assentamento Sadia 3, onde planta abóbora, tomate, banana e cana-de-açúcar, já foi beneficiada com o preparo do solo de sua propriedade. “É uma melhoria porque o pequeno agricultor não tem condições de pagar funcionário para trabalhar no campo e com esse maquinário é uma ajuda pra nós, facilita bastante. Antes a gente quase não tinha condições de fazer plantio. Era 8 horas por dia trabalhando nesse sol para render quase nada de serviço”.

Leia mais:  Kalil encaminha projeto do novo piso salarial para agentes de saúde e agentes de endemias

O vice-presidente da Associação de Produtores do Sadia 3, Josemiro Gomes das Neves, já utilizou os tratores para arar as terras de alguns vizinhos de assentamento. “Através da Secretaria do Meio Ambiente chegou esse maquinário pra nós e eu tenho certeza que vai ser bem aproveitado. Os produtores têm nos procurado, já fizemos alguns serviços nas propriedades e temos que agradecer pelo pedido que nós fizemos e chegou o benefício”, afirma.

Além dos maquinários, a Prefeitura de Várzea Grande também oferece a manutenção e combustível dos tratores e microcultivadores, contratou um operador de máquinas e está em vias de contratar mais um e, no próximo dia 8, iniciará, em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar-MT) e com o Sindicato Rural de Nossa Senhora do Livramento, o curso de operador de trator na comunidade Sadia 3, para que os próprios moradores possam utilizar os equipamentos. No total, a previsão é que R$ 700 mil sejam investidos por ano pelo Executivo municipal nesse projeto.

De acordo com o secretário Municipal Célio Santos, o objetivo é aumentar a produção dos pequenos agricultores que mais precisam de apoio. “O preparo do solo é uma forma da Prefeitura ajudar no cultivo de produtos oriundos da agricultura familiar, bem como o incentivo à diversificação, pois eles precisam buscar fonte de renda de diversas formas. Já se percebe uma mudança, apesar de se tratar de um processo que não é da noite para o dia”, explica.

Leia mais:  Kalil Baracat favorece mecanização do cultivo para pequenos produtores de Várzea Grande

A agrônoma da SEMMADRS, Raphaela Maria Martins Soares, informa que o preparo do solo é uma etapa importante de qualquer tipo de cultivo. “O produtor precisa preparar o solo antes do plantio. Sem essas máquinas, ele teria que fazer um preparo manual, o que dificultaria e diminuiria a produção dele”, diz. A profissional destaca ainda que a equipe da Pasta tem levado outros serviços para as famílias rurais. “Nós estamos aqui no campo semanalmente, acompanhamos os produtores, avaliamos o que eles têm cultivado, damos assistência e orientações referentes ao plantio, pragas, doenças”, elenca.

Coordenador de Desenvolvimento Rural Sustentável da SEMMADRS, Jhonattan Luydd Fernandes Ferreira explica que além das comunidades onde estão os maquinários, pequenos produtores de outras regiões também podem solicitar o uso. “É preciso protocolar um pedido na Secretaria. A partir daí a gente faz um cronograma para poder atender a todos os produtores”.

Comentários Facebook
Continue Reading

Segurança

MT

Brasil

Economia & Finanças

Mais Lidas da Semana