conecte-se conosco


CIDADES

Neurilan Fraga defende avaliação do avanço da pandemia antes do retorno das aulas presenciais

Publicado

 

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Educação, anunciou o retorno das atividades escolares na rede estadual de ensino, para o dia 7 de junho. As atividades escolares estão suspensas desde março de 2020 e vem ocorrendo somente de forma remota.

Da AMM – O presidente da Associação Mato-grossense dos Municípios, Neurilan Fraga, alerta que antes do retorno é preciso observar como está a situação pandêmica no estado, avaliar o crescimento da curva do número de contaminados, das mortes e da taxa de ocupação dos leitos de UTIs e clínicos. “Defendo o retorno das aulas, tanto nas escolas estaduais como municipais, inclusive na data prevista de 7 de junho. Entretanto, o secretário estadual de Saúde, Gilberto Figueiredo, declarou publicamente que Mato Grosso está entrando na terceira onda da covid-19 e disse que nas próximas semanas o avanço da doença refletirá na rede hospitalar do estado. Isso nos deixou muito preocupado, pois não podemos colocar em risco os profissionais da educação, que ainda não foram vacinados, nossas crianças, jovens e adolescentes, muito menos os seus familiares”, assinalou, ponderando que se a nova onda for confirmada nos próximos dias, será contra o retorno das atividades escolares mesmo no sistema híbrido como está propondo o governo.

Leia mais:  AMM ingressa com ação judicial para anular multas ambientais de municípios

Conforme dados da Secretaria de Estado de Saúde, a taxa de ocupação de leitos de Unidades de Terapia Intensiva-UTIs em Mato Grosso subiu para 86%.  Com relação às enfermarias, também aumentou para  38%. O último boletim aponta que 393.877 casos foram confirmados de covid em Mato Grosso, sendo registrados 10.675 óbitos. Nas últimas 24 horas, foram 623 novos casos.

Fraga ressalta, ainda, que constantemente tem recebido telefonemas, mensagens e acompanhado nas redes sociais muitos pais manifestando que não levarão os seus filhos para as escolas se não tiverem seguros de que os estudantes não correm risco de contaminação pela covid-19.

“Nesse caso, precisamos respeitar a decisão desses pais, pois são atitudes prudentes, cautelosas e responsáveis de quem ama os seus filhos. Em momentos críticos, como esse que estamos vivendo e, principalmente, com o anúncio do secretário de que o quadro pandêmico vai se agravar no estado, não podemos deixar de ser solidários com os pais que tomarem essa atitude”, frisou.

Desde o início da pandemia, a AMM tem orientado os prefeitos com o repasse de informações, recomendando a adoção de medidas de biossegurança, de distanciamento social e na assistência médica e hospitalar.

Leia mais:  Repasses da assistência social podem ser suspensos para Entes que não cumprirem requisitos da Loas

No último dia 3 de fevereiro, a AMM recomendou a todos os prefeitos que as atividades escolares fossem retomadas de forma remota, devendo progredir para o regime híbrido e, posteriormente, para a modalidade presencial.

Em relação ao sistema remoto e híbrido, os gestores deveriam se atentar ao acesso que os professores e os alunos da rede pública têm à internet, pois tal ferramenta é imprescindível nesse tipo de sistema. Já quanto à modalidade presencial de ensino, os gestores deveriam tomar os cuidados necessários em relação à biossegurança, ao distanciamento social e observar atentamente como está o quadro epidemiológico do município e do estado.

Além disso, a instituição auxilia os gestores na aplicação lícita, transparente e eficiente dos recursos financeiros destinados para o combate à covid -19, como também na prestação de contas desses gastos para os órgãos de controle e de fiscalização, como o Tribunal de Contas do Estado (TCE) e Tribunal de Contas da União (TCU).

 

Fonte: AMM

Comentários Facebook

CIDADES

CONSPREV com apoio da AMM realiza live sobre Previdência Complementar

Publicado


Regime de Previdência Complementar, é o tema a ser debatido pelo presidente da Aprev do Servidor, de Curitiba, José Luiz Costa Taborda Rauen, por meio de uma live na próxima segunda-feira, 14 de junho, a partir das 9h.

O evento será promovido pelo Consórcio Público Intermunicipal de Gestão dos Regimes Próprios de Previdência Social dos Municípios de Mato Grosso-CONSPREV, com o apoio da Associação Mato-grossense dos Municípios-AMM.

A transmissão da live será através do Consórcio no  canal do  YouTube, com duração de uma hora e meia, direcionado aos participantes dos municípios consorciados. O CONSPREV é presidido pelo prefeito de Novo Horizonte do Norte, Silvano Pereira Neves.

O objetivo do evento é orientar os gestores do sistema e membros dos conselhos de investimentos em relação as mudanças, com o Regime de Previdência Complementar.   

Os municípios tem um prazo até o dia 12 de novembro deste ano para fazer as alterações. Para isto, as câmaras de vereadores precisam aprovar um minuta da lei, e não haverá prorrogação do prazo. Posteriormente, o Regime Complementar será implantado no município.

Conforme o diretor do Consórcio, Renato Ferreira de Lara, atualmente 106 municípios de Mato Grosso estão no Regime Próprio de Previdência Social-RPPS e apenas   36 no Regime Geral de Previdência Social-RGPS.

Na programação da live, está previsto o debate sobre os  reflexos da Emenda Constitucional 103/2019 nos Regimes de Previdência dos municípios filiados ao CONSPREV, além da alertar sobre as adequações estabelecidas na legislação.

Fonte: AMM

Leia mais:  Repasses da assistência social podem ser suspensos para Entes que não cumprirem requisitos da Loas

Comentários Facebook
Continue lendo

CIDADES

Mato Grosso registra 426.571 casos e 11.366 óbitos por Covid-19

Publicado


A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) notificou, até a tarde desta sexta-feira (11.06), 426.571 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, sendo registrados 11.366 óbitos em decorrência do coronavírus no Estado.

Foram notificadas 2.229 novas confirmações de casos de coronavírus no Estado. Dos 426.571 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, 13.307 estão em isolamento domiciliar e 400.161 estão recuperados.

Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a Covid-19, há 465 internações em UTIs públicas e 361 em enfermarias públicas. Isto é, a taxa de ocupação está em 88,07% para UTIs adulto e em 41% para enfermarias adulto.

Dentre os dez municípios com maior número de casos de Covid-19 estão: Cuiabá (89.117), Rondonópolis (30.990), Várzea Grande (29.153), Sinop (20.745), Sorriso (14.718), Tangará da Serra (14.600), Lucas do Rio Verde (13.046), Primavera do Leste (10.894), Cáceres (9.187) e Alta Floresta (8.128).

A lista detalhada com todas as cidades que já registraram casos da Covid-19 em Mato Grosso pode ser acessada por meio do Painel Interativo da Covid-19, disponível neste link.

O documento ainda aponta que um total de 345.418 amostras já foram avaliadas pelo Laboratório Central do Estado (Lacen-MT) e que, atualmente, restam 787 amostras em análise laboratorial.

Cenário nacional

Na quinta-feira (10.06), o Governo Federal confirmou o total de 17.210.969 casos da Covid-19 no Brasil e 482.019 óbitos oriundos da doença. No levantamento do dia anterior, o país contabilizava 17.122.877 casos da Covid-19 no Brasil e 479.515 óbitos confirmados de pessoas infectadas pelo coronavírus. 

Até o fechamento deste material, o Ministério da Saúde não divulgou os dados atualizados desta sexta-feira (11.06).

Recomendações

Já existem vacinas para prevenir a infecção pelo novo coronavírus, mas ainda é importante adotar algumas medidas de distanciamento e biossegurança.

Os sites da SES e do Ministério da Saúde dispõem de informações oficiais acerca da Covid-19. A orientação é de que não sejam divulgadas informações inverídicas, pois as notícias falsas causam pânico e atrapalham a condução dos trabalhos pelos serviços de saúde.

O Ministério da Saúde orienta os cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo vírus. Entre as medidas estão:

– Lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos. Se não houver água e sabão, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool;

– Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;

– Evitar contato próximo com pessoas doentes;

– Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo;

– Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.

Fonte: AMM

Leia mais:  Prefeitura de Cuiabá firma compromisso em consórcio da Saúde e destinará R$ 420 mil ao ano para fortalecimento de ações

Comentários Facebook
Continue lendo

Segurança

MT

Brasil

Economia & Finanças

Mais Lidas da Semana





Copyright © 2018 - Agência InfocoWeb - 66 9.99774262