conecte-se conosco


Várzea Grande

Primeira-dama se reúne com redeiras de Limpo Grande para tratar da difusão do artesanato local

Publicado


Renderas Limpo Grande

A primeira-dama Kika Dorilêo Baracat e o secretário de Educação, Cultura, Esporte e Lazer, Silvio Fidelis, participaram nesta quarta-feira (23.06), na Emeb Professora Euraide de Paula, de uma roda de conversa com redeiras do Distrito de Limpo Grande.  O objetivo do encontro foi ouvir as redeiras para juntos elaborarem um projeto de valorização e divulgação da cultura local, principalmente das redes várzea-grandenses.

A primeira-dama ressaltou que quer se aproximar da comunidade do Limpo Grande, que é berço da cultura várzea-grandense, para conhecer de perto o trabalho e ouvir os anseios e sonhos de cada redeira. A intenção, segundo Kika Dorilêo, é dar um olhar diferenciado para as redes várzea-grandenses, fazendo com que sejam conhecidas não só no Estado de Mato Grosso, mas em todo o país e, quiçá, fora do Brasil.

“Quero me aproximar dessas senhoras, que há tantos anos fazem esse trabalho tão lindo. As redes tecidas por elas são artesanatos tão bonitos e tão importantes para a nossa cultura. Além de dar a beleza estética, nós percebemos o quanto de amor e de carinho é colocado por cada uma delas nas redes e é isso que eu quero que seja levado para fora de Várzea Grande, mostrar o quanto o artesanato e as redes produzidas aqui em Limpo Grande são especiais”, destacou.

O secretário Silvio Fidelis informou que a Secretaria de Educação, Cultura, Esporte e Lazer (Smecel), por meio da Superintendência de Cultura, vem promovendo várias ações para fomentar o artesanato de Limpo Grande, entre elas está a Casa de Artes, que possui três pontos de vendas do artesanato: na Avenida Couto Magalhães, no Paço Municipal e no Várzea Grande Shopping. “Outra ação são as oficinas de artesanato do Projeto Escola em Tempo Ampliado (ETA), que ensinam nossos alunos a tecelagem várzea-grandense. Com isso, estamos valorizando e resgatando a nossa cultura”.

Leia mais:  Várzea Grande será o primeiro município a implantar o Balcão Único, que simplifica abertura de empresas

Ainda segundo o secretário, a Smecel está organizando a criação da associação das redeiras várzea-grandenses. “Estamos organizando a associação e dando apoio jurídico para que, através dessa ação coletiva das redeiras, possamos fazer a divulgação da comercialização da rede várzea-grandense para o mundo”.

Segundo a diretora da escola, Eva Izabel da Costa, as oficinas realizadas com os alunos do ETA é uma forma de manter viva a tradição da confecção das redes. “A Dona Maria José trabalha com as crianças ensinando a tecelagem, o que é muito bom para manter viva as raízes desse povo. A presença da primeira-dama aqui na comunidade de Limpo Grande veio reforçar ainda mais isso, pois trouxe perspectivas de novos projetos e de valorização da nossa cultura”, disse.

Dona Maria José da Costa, 72 anos, é a mais antiga redeira de Limpo Grande. Ela começou a confeccionar rede aos 14 anos de idade. Atualmente ela é monitora nas oficinas de artesanato do ETA. “Ensino a fazer caminho de mesa, xales, capa de almofada e outras peças. Estou sempre pronta para ensinar, basta alguém querer aprender”.

Dona Judith Pereira da Silva, 65 anos, começou a tecer rede aos 12 anos de idade. Ela conta que aprendeu com a mãe e as tias e fez questão de passar essa arte para as suas filhas também. “A rede é tudo para mim, faço isso desde criança e nunca trabalhei em outro serviço. Agradeço a Deus por ter essa profissão. Foi fazendo redes que consegui sustentar meus seis filhos, mas precisamos de apoio para divulgar mais o nosso trabalho”.

Leia mais:  Vacinação chega aos jovens de 25 a 29 anos neste sábado, em Várzea Grande

A filha de dona Judith, Jilaine Maria da Silva, que também é artesã, disse que está otimista com a visita da primeira-dama à sua comunidade, pois acredita que com o seu apoio a cultura de Limpo Grande será difundida. “Precisamos dessa parceria com a Prefeitura para que o nosso artesanato seja reconhecido no mundo inteiro. Para que ele seja valorizado e expandido para as futuras gerações, pois não queremos que essa cultura se acabe”.

O modo de fazer a rede é registrado como Patrimônio Cultural de Mato Grosso pela Lei 9.936/2013 e a profissão de Redeira é registrada como patrimônio cultural e imaterial de Várzea Grande pela Lei 4.391/2018. Também é reconhecida como artesanato de tradição cultural pelo Centro Nacional do Folclore e Cultura Popular do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

A reunião contou também com a presença dos superintendes Joilson Marcos da Silva (da Cultura) e Luz Marina Coelho (do Pedagógico) e do presidente do Conselho de Cultura de Várzea Grande, Wanderson Magalhães.

Comentários Facebook

Várzea Grande

Marido, que espera mulher na porta do hospital, recebe primeira dose da vacina contra Covid-19

Publicado


Desde o dia 11 de julho, Jarcedi Han coloca duas cadeiras em frente ao Hospital Metropolitano de  Várzea Grande. Ali, pela manhã e ao fim de tarde, toma chimarrão e aguarda a esposa Cristiane Fagundes, internada em decorrência da Covid-19. O gesto de amor, cumplicidade e esperança comoveu a comunidade e ganhou repercussão na mídia e nas redes sociais.

O casal é de Sapezal e após a intubação de Cristiane no município, no dia 11 de julho, após três dias hospitalizada, ela foi transferida de UTI móvel para a unidade de saúde em Várzea Grande. O Hospital Metropolitano é referência para o tratamento da Covid-19 desde o começo da pandemia. Hoje, são 109 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) pactuados com o estado.

A espera tem sido longa e cheia de angústia. Neste tempo, Cristiane chegou a ser extubada, no entanto foi intubada novamente e receberá a traqueostomia.  “Neste tempo em que fizeram a extubação dela, Cristiane conversou, sorriu, chorou”, contou ele.

A partir do diálogo entre as prefeituras de Várzea Grande, de Sapezal e Governo do Estado, Jarcedi, 52 anos, recebeu ontem a primeira dose da vacina contra o novo coronavírus, afinal sua faixa etária está contemplada no Plano Nacional de Imunização (PNI) praticada nos dois municípios. “Estou muito emocionado, a vacina significa gotas de esperança e a Cristiane, 42 anos, não teve tempo de tomar”, disse Jarcedi, com lágrimas nos olhos, após receber a primeira dose da Coronavac, no ponto fixo das Clínicas Médicas do Univag.

Após a primeira etapa da imunização, Jarcedi retornou às suas cadeiras, colocadas diante do hospital, em que ele esteve na inauguração, em 2011, quando à época era o secretário de saúde de Sapezal. Anos antes, o contador também exerceu a função de secretário de Administração por 12 anos em Campos de Júlio. “A saúde pública tem sido impecável no atendimento da população, já estive aqui em uma situação festiva e agora retorno vivendo esse pesadelo, mas não perco minha fé e tenho a certeza de que ela está sendo cuidada da melhor maneira possível. A equipe do hospital também me acolhe com muito respeito e carinho, já vieram assistente social, psicólogo, médicos, enfermeiros, todos muitos solidários diante da minha dor e da dor de outras famílias. Aqui em Várzea Grande, minha família são vocês”, disse ele.

Leia mais:  Várzea Grande será o primeiro município a implantar o Balcão Único, que simplifica abertura de empresas

Jarcedi e Cristiane se conheceram no Paraná, na cidade Ampere, e há 24 anos moram em Mato Grosso. Casaram no sul do país e decidiram começar a vida em família no interior do estado que prospera diariamente. Administradora, Cristiane não tem comorbidades e a doença avançou com muita rapidez em seu organismo. O casal possui três filhos, de 24, 19 e 17 anos, e uma netinha, de 3 anos.  “Estamos unidos pelo amor e pela fé, ficarei aqui até ela ganhar alta e, então, irmos juntos para casa”, comentou.

Ao acompanhar a vacinação do senhor Jarcedi, a Gerente da Vigilância Epidemiológica de Várzea Grande, Relva Cristina de Moura, se emocionou e destacou dois sentimentos importantes nesta época de pandemia. “Vivemos uma pandemia que tem causado dores em muitas famílias, precisamos ter mais amor e mais esperança. Mais amor no cuidado conosco e com o próximo e esperança na vacina, como bem disse o senhor Jarcedi, são gotas de esperança”, pontuou ela. Opinião compartilhada pelo secretário de saúde do município, Gonçalo de Barros. “Estamos nos dedicando ao máximo para oferecer tratamento digno de saúde e efetividade na campanha de vacinação. Jarcedi está com 52 anos, apto por sua faixa etária a receber a vacina, ficando mais protegido para aguardar sua esposa com mais segurança na porta do hospital, um gesto que reafirma que as relações familiares são alicerces do ser humano”, acrescentou.

Leia mais:  Com 624 cirurgias eletivas já realizadas, Kalil garante mais recursos e apoio à saúde

O secretário também comentou que atualmente Várzea Grande está vacinando o público 25 anos acima e realizando Corujinha e Corujão, bem como o Resgate Cidadão no sentido de não deixar ninguém sem vacina de acordo com a faixa etária contemplada.  

Por sua vez, o prefeito Kalil Baracat e a primeira-dama Kika Dorilêo Baracat também se comoveram com a história de cumplicidade de Jarcedi e Cristiane, que passaram a receber muito carinho e orações da comunidade. “São milhares de famílias vivendo dias de incertezas e nós, como gestão pública, temos o dever de oferecer o que há de melhor para todos tenham atendimento de saúde pública e gratuita. Além disso, oferecer uma rede de acolhimento para as famílias, pois quando um familiar adoece, todos ficam sensibilizados. A covid-19 traz uma situação ainda mais difícil, a necessidade de isolamento, e neste sentido, temos de criar ferramentas para que o cidadão não se sinta desamparado, ao contrário, ele tem uma rede de apoio”, finalizou Kalil, acrescentando que ele e a primeira-dama estão unidos em oração pela recuperação de Cristiane e de todos as vítimas no novo coronavírus.

Comentários Facebook
Continue lendo

Várzea Grande

Escolas se preparam para retorno das aulas presenciais na modalidade ensino híbrido

Publicado


Alunos e professores de Várzea Grande retornam para as salas de aula na próxima terça-feira (03.08), quando será implantado o ensino híbrido (aulas presenciais e remotas) nas unidades de ensino da rede municipal. Para garantir que esse retorno seja seguro, sem risco para a saúde e o bem-estar da comunidade escolar, as unidades de ensino se organizaram e prepararam os seus espaços seguindo todos os protocolos de biossegurança.

Entre as medidas de prevenção e proteção adotadas para o retorno das aulas estão o uso obrigatório de máscara por todos os alunos e profissionais da educação; aferição da temperatura de servidores, alunos e colaboradores na entrada da escola; disponibilização de álcool em gel 70% nas salas de aula; fazer o intervalo para o lanche escolar de forma escalonada e higienizar as mesas antes e após o lanche; e manter em sala de aula e refeitório o distanciamento entre as carteiras.

Quanto ao transporte escolar, deverá funcionar com 50% de sua capacidade de lotação; todos os alunos devem ter a temperatura aferida na entrada dos ônibus; todos deverão usar máscara, obrigatoriamente; disponibilizar recipiente com álcool em gel 70% para higienização das mãos durante o percurso, entre outras medidas.

O secretário Silvio Fidelis explica que o retorno das atividades escolares será de forma escalonada, com rodízio semanal, conforme o calendário escolar, com 50% dos alunos participando das aulas presenciais e os outros 50% das aulas remotas.

Leia mais:  Prefeito Kalil Baracat lamenta com pesar morte do ex-vice-prefeito Benedito Marques de Assunção e decreta Luto Oficial

“Os pais dos alunos que autorizaram o retorno dos filhos às aulas presenciais assinaram na escola um termo de compromisso e responsabilidade. Já aqueles alunos que não tiveram a autorização dos pais para o retorno, continuarão com as aulas apenas de forma remota”, ressalta. 

Para preparar as unidades de ensino para o retorno presencial e implantação do ensino híbrido, a Secretaria de Educação, Cultura, Esporte e Lazer (Smecel) encaminhou o Plano Estratégico para Retorno das Atividades Escolares. 

Durante toda esta semana, as equipes gestoras das unidades escolares trabalharam no planejamento para o retorno e, com a orientação da Smecel, elaboraram o seu plano estratégico, cada uma atendendo a sua realidade escolar. 

Após 15 meses de suspensão das aulas presenciais, alunos e profissionais da educação estão ansiosos por esse retorno. Na Emeb Honorato Pedroso de Barros, a diretora Marilene Maria da Silva ressalta que já está tudo preparado para receber os alunos e com toda a segurança. “Convidamos os pais para visitarem a escola e ver de perto que estamos tomando todas as medidas de biossegurança e que eles podem ficar tranquilos em permitir que seus filhos retornem”. 

A diretora ressalta ainda que antes de decidir pelo retorno das aulas presenciais, foi feito um levantamento com os pais para saber a opinião deles e a maioria opinou pelo retorno. “Nós percebemos que todos estão ansiosos por esse retorno”.

Leia mais:  Várzea Grande será o primeiro município a implantar o Balcão Único, que simplifica abertura de empresas

A técnica em contabilidade, Marines Aparecida Watanabe, mãe do aluno Guilherme Kenzo Batista Watanabe, 8 anos, disse que autorizou o retorno do filho porque foi até a escola e viu de perto toda a organização e se sentiu segura para deixar o filho voltar. “Estou me sentindo segura em deixá-lo voltar. Vi que em todas as salas de aula tem álcool em gel, já tem os aparelhos para aferir a temperatura e vão controlar a entrada das crianças na escola, nas salas e corredores. Além disso, ele está muito ansioso para voltar e com muita saudades dos professores e dos colegas. Acho que com a ajuda da escola e dos pais esse retorno vai dar certo”.

Aula Inaugural

Nesta segunda-feira (02.08), a partir das 9h, será realizada a aula inaugural para os diretores e coordenadores das redes públicas municipal e estadual de ensino de Várzea Grande. O evento ocorrerá na Igreja Batista Nacional (IBN), bairro Cristo Rei.

A aula inaugural contará com as palestras “Recuperação da Aprendizagem Pós-Pandemia”, proferida por Cláudia Costim, e “O acolhimento socioemocional no retorno das atividades presenciais”, de Camila Cury.

Comentários Facebook
Continue lendo

Segurança

MT

Brasil

Economia & Finanças

Mais Lidas da Semana





Copyright © 2018 - Agência InfocoWeb - 66 9.99774262