Connect with us

SEGURANÇA

Quadrilha é presa por abate de gado furtado

Published

on

Na semana passada, a Polícia Civil de Mato Grosso do Sul realizou uma operação policial, que teve como objetivo prender membros de uma quadrilha experiente em furto de gado em pequenas propriedades rurais.

O abate dos animais era efetuado de forma cruel, com golpes de machado e a carne era vendida de forma clandestina.

A Polícia Civil localizou uma central de distribuição clandestina de carne em Corguinho (MS). No local, foram encontrados e detidos, dois membros da quadrilha.

Além do casal de suspeitos, foram apreendidos cerca de 700 kg de carne, um carro BMW, uma arma de fogo e uma camionete L200. Posterior a isso, também foram encontrados objetos que teriam sido furtados nas fazendas que depois serão entregues a seus respectivos donos.

Segundo Roberto Duarte, o responsável pela operação, a quadrilha abatia os animais com golpes de machado, que costumavam ser de produção leiteira ou até mesmo vacas prenhes.

Um dos casos foi efetuado no distrito do Pequi, onde os criminosos mataram duas vacas e um touro violentamente, vale ressaltar que uma das fêmeas estava prenhe.

Leia mais:  Ministério da Justiça deflagra nona fase da Operação Luz na Infância

Após efetuar o abate dos animais, os criminosos carregaram os quartos, os traseiros e as costelas, deixando os restos jogados próximo à mangueira da propriedade. O proprietário desse sítio, em que o crime ocorreu, teve um prejuízo de quase R$40 mil.

Os autores responderão pelas acusações de abigeato, posse de arma de fogo por uso indevido e por praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos, nativos ou exóticos, casos que trazem o animal à morte.

Com exceção dos dois presos, o representante pela ação solicitou a prisão preventiva de outros três integrantes da quadrilha.

Fonte: AgroPlus

Comentários Facebook

SEGURANÇA

Secretário de Segurança Pública fala sobre políticas para o setor

Published

on

Foi lançado, nesta sexta-feira (1º) o Sistema Nacional de Análise Balística (Sinab). O novo sistema foi um dos assuntos abordados pelo secretário nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), Carlos Renato Machado Paim em entrevista ao programa A Voz do Brasil. Paim disse ao programa que o novo sistema integrará os dados provenientes de análise de cartuchos a fim de melhorar a repressão a crimes. Foram investidos R$ 150 milhões na iniciativa.

O secretário também falou sobre o Sistema Único de Segurança Pública (Susp). “Pela primeira vez o governo brasileiro esta trazendo a pauta segurança pública para os municípios”, disse. O objetivo, de acordo com Paim, é transmitir conhecimento para que gestores municipais possam melhorar a interlocução com estados e governo federal.

Paim ainda tratou de temas como o banco de perfis genéticos. Segundo ele, a ferramenta é essencial para o combate de crimes como estupro e busca de pessoas desaparecidas. Ele ainda falou no programa sobre o Sistema Nacional de Informações de Segurança Pública, o Sinespe.

Assista na íntegra:

Leia mais:  Governador Mauro Mendes entrega nova sede do 24º Batalhão da PM nesta quarta-feira (29)

Edição: Aline Leal

Fonte: EBC Geral

Comentários Facebook
Continue Reading

SEGURANÇA

Brasil tinha 544 mil policiais militares, civis e bombeiros em 2020

Published

on

O Brasil contava com ao menos 480 mil policiais civis e militares na ativa, em 2020. A informação consta da Pesquisa Perfil das Instituições de Segurança Pública que o Ministério da Justiça e Segurança Pública divulgou hoje (1º).

Segundo informações fornecidas pelos estados e pelo Distrito Federal, a soma dos policiais militares na ativa em todo o país totalizava, em 2020, 385.883 pessoas – sendo 341.152 homens e 44.731 mulheres. Já o efetivo de policiais civis compreende a 94.418 agentes – 69.817 homens e 24.601 mulheres.

Contabilizados à parte, os bombeiros reúnem 63.644 militares na ativa, dos quais 55.949 são homens e 7.695, mulheres. Reunidas, as três categorias totalizam 543.945 servidores. Número pouco menor que os cerca de 555 mil policiais militares, civis e bombeiros que o Fórum Brasileiro de Segurança Pública apontou estarem na ativa em março de 2021, conforme o 15º Anuário Brasileiro de Segurança Pública.

Redução

A mesma pesquisa sobre o perfil das instituições de segurança pública divulgada em 2020 apontou que, em 2018, tanto o número de policiais militares, quanto o de civis, era superior aos divulgados hoje. Enquanto, em 2018, as pms do país reuniam 414.932 pessoas, as polícias civis contavam com um efetivo total de 112.837 indivíduos.

Consultado, o ministério informou que apenas os órgãos de segurança pública de cada uma das unidades federativas onde houve redução do efetivo poderiam explicar as causas da variação.

Leia mais:  Mortes violentas caem 6% no Brasil em 2021, aponta anuário

Parte da diferença entre os dados de 2020 e os de 2018 pode ser atribuída ao fato de que, na mais recente pesquisa, alguns estados não forneceram todas as informações solicitadas pela Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp). Espírito Santo e Rondônia, por exemplo, não informaram seus efetivos de policiais militares na ativa em 2020. Já Acre e Piauí não indicaram o número de policiais civis. Ainda assim, os dados consolidados disponíveis no painel da pesquisa de 2020 indicam variações locais efetivas.

Detentor do maior efetivo policial do país, o estado de São Paulo, por exemplo, informou à Senasp que, em 2018, contava com 83.044 policiais militares e 29.140 policiais civis, e com 81.664 pms e 22.041 agentes civis na ativa em 2020. Já os dados atribuídos ao Rio de Janeiro, estado que possui o segundo maior contingente policial do país, variam de 44.020 pms e 9.058 policiais civis em 2018 para 44.336 pms e 7.309 policiais civis, em 2020.

Frota

Uma das novidades da recente pesquisa foi desmembrar os dados relativos aos institutos oficiais de perícia de todo o país, até então agrupados junto aos das polícias judiciárias. Com base na mudança, o ministério chamou a atenção para o fato de o país contar com cerca de 14 mil servidores lotados nestes institutos.

Leia mais:  MT inicia regulamentação para pagamento de recompensas em casos de investigações criminais

Além disso, as instituições de segurança pública dos estados e do Distrito Federal também forneceram à Senasp informações sobre equipamentos, capacitações, estruturas e atividades desenvolvidas.

Enquanto a frota veicular das PMs de todo o país supera as 78 mil viaturas, a das policias civis não chega a 41 mil. Já os corpos de bombeiros militares contam com 15.373 viaturas. As três instituições contam com aeronaves, mas enquanto as polícias militares brasileiras dispõem de 83 helicópteros; os bombeiros contam com 46 e as polícias civis, com 24. A consulta ao painel da pesquisa, na internet, também permite perceber a distribuição irregular destes equipamentos pelos diferentes estados e regiões.

A pesquisa também detalha a composição das forças de segurança das unidades federativas, analisando critérios como raça/cor; idade; tempo de serviço; posição; escolaridade, entre outros aspectos. Desta forma, é possível verificar que enquanto a maioria (60%) dos integrantes das polícias militares concluíram até o ensino médio, contra 30% que cursaram o ensino superior, nas polícias civis a situação se inverte, com 62% da força com diploma universitário e 22% com ensino médio completo.

Edição: Aline Leal

Fonte: EBC Geral

Comentários Facebook
Continue Reading

Segurança

MT

Brasil

Economia & Finanças

Mais Lidas da Semana