Connect with us

AGRONEGÓCIO

Senar-AR/AM realiza 'Dia de Campo' para produtores atendidos pelo ATeG em Manacapuru

Publicado em

Na última sexta (20), o Senar-AR/AM realizou o 1º Dia de Campo voltado para os produtores assistidos pelo programa de Assistência Técnica e Gerencial (ATeG), no Amazonas. O foco da atividade foi a cadeia de fruticultura, no município de Manacapuru. O evento foi realizado em duas estações. A primeira no sítio Santa Catarina (Quilômetro 59 da AM-070), da produtora Zelha Zenaide, e a segunda no sítio São Sebastião (Quilômetro 62 da AM-070 – Ramal do Laranjal), do produtor Álvaro de Almeida.

Na abertura do evento, no Sítio Santa Catarina, a superintendente do Senar-AR/AM, Jeyn’s Alves, enfatizou a importância do conhecimento para que o produtor cuide adequadamente de sua propriedade rural. “Se vocês investirem na propriedade com conhecimento, o resultado chega. Vocês vêm acompanhando isso com a ATEG através dos nossos técnicos de campo, mas também com o conhecimento que vocês vão agregando com as orientações técnicas recebidas. Esse dia de campo foi pensando com muito zelo para focar na fruticultura, um tema importante para todos”, destacou.

O coordenador do ATeG no Amazonas, Rodrigo Guimarães, agradeceu pela confiança e participação dos produtores presentes na ação e pelo apoio dado ao programa no município. “Hoje vocês têm aqui profissionais de excelência demonstrando na prática o que pode ser melhorado na propriedade de vocês. Então, aproveitem”, incentivou. Também participaram da abertura, o presidente do sindicato rural de Manacapuru, Mário Jorge Bastos e os instrutores do Senar-AR/AM, Gustavo Tavares, Bruno Roque e Daniel Menezes.

Estação 1

A primeira estação visitada foi o pomar de maracujá, no sítio Santa Bárbara, que possui aproximadamente 10 hectares de extensão. Nela, os produtores tiveram a oportunidade de obter conhecimento focado na produção de mudas, desde a coleta da semente até o plantio. “Também foi demostrada a forma correta de realização da calagem (técnica de preparo do solo e neutralização da acidez do terreno), adubação em cova e principalmente repassado ao produtor a importância da aplicação dessas técnicas na cultura”, explicou o coordenador do ATeG no Amazonas e engenheiro agrônomo, Rodrigo Guimarães. A proprietária, Zelha Zenaide, se disse feliz em receber os produtores para a atividade. “Na verdade, em momentos assim, a gente passa a nossa experiência e recebe a experiência deles. Então é uma troca”.

Estação 2

A segunda estação visitada foi no sítio São Sebastião que possui pomar de culturas diversificadas como mamão, banana, pimenta de cheiro e frutas cítricas. “Foi realizada a demonstração dos consórcios de culturas (espécies cultivadas simultaneamente) realizadas na propriedade, onde foi mostrado a importância do aproveitamento de uso do espaço e enfatizada a importância do manejo adequado das culturas que resulta em aumento de produção e redução de custos”, continuou, Rodrigo.

O produtor rural assistido pelo ATeG e presidente da cooperativa agrícola Coomapra, Altevir Oliveira, também ressaltou que o Dia de Campo foi importante para o aprendizado de cada participante. “Serve pra gente levar conhecimento pra comunidade e passar pros sócios que não puderam estar presentes, além de levar pro próprio plantio da gente. Queremos agradecer a parceria do Senar-AR/AM que é muito importante para a comunidade”.

Cuidados para a produtividade

A responsável técnica pelo programa de Formação Profissional Rural (FPR) do Senar-AR/AM, Genícia Menezes, que coordenou a atividade, enfatizou que um aspecto essencial da ação foi transmitir informação para que os produtores pudessem alcançar uma efetiva produtividade com o conhecimento adquirido. “Esse tipo de evento proporciona aos produtores uma visão prática a ser adotada em suas atividades agrícolas. Na visita ao sítio Santa Catarina, que teve como foco, a produção de mudas de maracujá, as técnicas apresentadas tiveram o objetivo de auxiliar o produtor no desenvolvimento do pomar. Já no sítio São Sebastião, cujo foco foi manejo das culturas de banana, mãmao e citrus, foram dados esclarecimentos sobre espaçamento, manejo, adubação de cobertura, cuidados fitossanitários e custos de produção”, complementou.

Fonte: CNA Brasil

Comentários Facebook

AGRONEGÓCIO

Pequenos produtores em dívida ativa podem quitar débito com desconto de até 95%

Published

on

O prazo para adesão ao programa de liquidação de crédito rural vai até o dia 30 de dezembro deste ano

Os pequenos produtores rurais já podem negociar suas dívidas em condições especiais, por meio do programa de liquidação de crédito rural. A negociação vai possibilitar ao agricultor familiar pagar as dívidas referentes a operações de crédito rural com desconto de até 95%.

Essa modalidade abrange apenas os débitos referentes a operações de crédito rural vencidos até 30 de junho de 2021 e encaminhadas para inscrição na dívida ativa da União até 31 de dezembro de 2021. O produtor rural que quiser negociar a dívida deve ser agricultor familiar, conforme definido no Artigo 3° da Lei n° 11.326, de 24 de julho de 2006, e ser o devedor principal ou corresponsável da dívida.

“O aderente tem que ser agricultor familiar e declara isso à administração pública. O agricultor familiar é aquele que explora a propriedade rural com sua família e tem dela sua principal fonte de renda. E não tem propriedade superior a quatro módulos fiscais”, explicou o Coordenador-geral da Dívida Ativa da União e do FGTS, Theo Lucas Borges de Lima.

A adesão ao programa de liquidação de crédito rural pode ser feita até o dia 30 de dezembro 2022. Para participar, é preciso acessar o site da Procuradoria Geral da Fazenda Nacional (PGFN) e escolher a opção Parcelamentos. Depois, em Programa de Liquidação de Crédito Rural para a Agricultura Familiar.

De acordo com a PGFN, os descontos variam conforme a natureza jurídica e a faixa de valor da dívida. Quanto maior o débito, menor será o desconto. Quem tem dívida de até R$ 15 mil, por exemplo, recebe 95% de desconto. Já em casos em que o montante passa de R$ 1 milhão, o desconto é de 60%, mais o valor de R$ 142 mil.

O pagamento deverá ser à vista. O agricultor que fizer a adesão terá que quitar a dívida até o último dia útil do mês que aderir. Assim, para quem efetuar a adesão em julho, o vencimento da fatura será em 31 do mesmo mês.

A negociação também abrange as dívidas referentes ao Fundo de Terras e da Reforma Agrária, inscritas em dívida ativa da União até 31 de março de 2021.

Comentários Facebook
Continue Reading

AGRONEGÓCIO

Lei libera R$ 1,2 bilhão para equalizar juros de operações de financiamento do Plano Safra

Published

on

Lei libera R$ 1,2 bilhão para equalizar juros de operações de financiamento do Plano Safra

AMM – O presidente Jair Bolsonaro sancionou a lei 14.413, de 2022, que abre crédito suplementar de R$ 1,2 bilhão para equalizar os juros de operações de financiamento do Plano Safra. A subvenção será usada para o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), custeio agropecuário, comercialização de produtos e investimento rural e agroindustrial. A norma foi publicada na última sexta-feira (15), em edição extra do Diário Oficial da União.

A nova lei é resultado de um projeto de lei (PLN 18/2022), aprovado pelo senadores e deputados no dia 12 de julho em sessão do Congresso Nacional. O dinheiro vai sair da reserva de contingência, uma dotação genérica do Orçamento usada pelo Poder Executivo para despesas imprevistas. Os recursos serão divididos entre as seguintes operações de financiamento do Plano Safra:

  • Pronaf: R$ 532 milhões
  • Custeio agropecuário: R$ 443,5 milhões
  • Investimento rural e agroindustrial: R$ 216,5 milhões
  • Comercialização de produtos agropecuários: R$ 8 milhões

 

Comentários Facebook
Continue Reading

Segurança

MT

Brasil

Economia & Finanças

Mais Lidas da Semana