conecte-se conosco


AGRONEGÓCIO

Sistema CNA/Senar participa do lançamento do Plano ABC+

Publicado


Brasília (18/10/2021) A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) participou do lançamento do Plano Nacional de Agricultura de Baixa Emissão de Carbono – 2030 (ABC+) promovido pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), na segunda (18).

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, abriu o evento e disse que a data é histórica para o setor ao lançar um novo ciclo do Plano ABC, com metas mais ambiciosas. O ABC+ é a atualização do Plano ABC, executado de 2010 a 2020, que se tornou referência mundial de política pública na promoção de tecnologias e práticas sustentáveis no setor agropecuário.

“O ABC+ vai fortalecer o Brasil rumo à sustentabilidade, estimulando a recuperação, com novas tecnologias e dando aos produtores mais opções para poderem aumentar sua resiliência, eficiência produtiva e ganhos econômicos, ambientais e sociais”, disse.

O diretor-geral do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), Daniel Carrara, representou o presidente da CNA, João Martins, no evento, e afirmou que esse é mais um passo fundamental da agricultura de baixa emissão de carbono no País.

Cerimônia de Lançamento no Ministério da Agricultura
Cerimônia de Lançamento no Ministério da Agricultura.

“Passamos por várias fases com transferência de tecnologia, aplicação no campo e valorização do produtor que implementou essas tecnologias. Com isso percebemos que é possível sim produzir e conservar com renda. Essa é a grande virada de chave para o produtor rural que é o principal parceiro dessa empreitada”, afirmou.

Leia mais:  Olimpíada Rural 2021 divulga vencedores

Carrara ressaltou que o produtor rural quer participar da iniciativa e tem no Ministério da Agricultura uma estrutura de apoio para isso. “Não só o Sistema CNA/Senar, mas o produtor rural está disposto a participar de mais esse avanço na agropecuária brasileira.”

O Plano ABC, na última década, ultrapassou a meta estabelecida à época, mitigando 170 milhões de toneladas de dióxido de carbono equivalente em uma área de 52 milhões de hectares, 46,5% superior à meta.

O ABC+ focará na adaptação e mitigação, abordagem integrada da paisagem, adoção e manutenção de práticas conservacionistas, com a meta de mitigar 1 bilhão de toneladas de CO2 equivalente em 72,2 milhões de hectares até 2030.

As tecnologias da nova fase são: Recuperação de Pastagens Degradadas, Sistema Plantio Direto, Sistemas de Integração, Florestas Plantadas, Sistemas Irrigados, Bioinsumos, Manejo de Resíduos da Produção e Terminação Intensiva de Bovinos.

“A agricultura é o desafio para essa nova economia verde com neutralidade de carbono em 2050. Provavelmente ela será a solução para os nossos desafios que são absorver carbono, erradicar a pobreza e alimentar o mundo,” afirmou o ministro do Meio Ambiente, Joaquim Leite.

Leia mais:  MANDIOCA/CEPEA: Oferta prevalece sobre demanda

A ministra Tereza Cristina ressaltou a importância do trabalho conjunto e disse que mais do que tornar o Brasil mais verde, é mostrar ao produtor que se ele produzir de maneira cada vez mais sustentável terá mais renda.

“Tenho certeza que essa nova meta do ABC + também será ultrapassada porque o produtor brasileiro acredita e sabe que conservar e produzir é o que nos interessa sempre daqui para frente.”

O Ministério da Agricultura vai apresentar o plano ao mundo no dia 06 de novembro, em um evento na Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP26) em Glasgow, na Escócia.

Para assistir ao evento de lançamento, acesse:

Assessoria de Comunicação CNA
Telefone: (61) 2109-1419
flickr.com/photos/canaldoprodutor
cnabrasil.org.br
twitter.com/SistemaCNA
facebook.com/SistemaCNA
instagram.com/SistemaCNA
facebook.com/SENARBrasil
youtube.com/agrofortebrasilforte

Fonte: CNA Brasil

Comentários Facebook

AGRONEGÓCIO

MILHO/CEPEA: Vendedor se afasta do spot, e preço segue em alta

Publicado


Cepea, 06/12/2021 – Os preços do milho continuam em alta no mercado doméstico, segundo dados do Cepea, influenciados pela retração de vendedores, que estão atentos ao clima seco em regiões produtoras da safra de verão. Boa parte dos compradores, por sua vez, indica ter estoques para o curto prazo. De 26 de novembro a 3 de dezembro, o Indicador ESALQ/BM&FBovespa (Campinas – SP) subiu 3,75%, fechando a R$ 86,86/saca de 60 kg na sexta-feira, 3. Dentre os vendedores e demandantes ativos, observa-se disputa acirrada entre os valores de negociação, o que mantém baixa a liquidez no spot nacional. Fonte: Cepea (www.cepea.esalq.usp.br)

Fonte: CEPEA

Comentários Facebook
Leia mais:  Olimpíada Rural 2021 divulga vencedores
Continue lendo

AGRONEGÓCIO

MANDIOCA/CEPEA: Oferta prevalece sobre demanda

Publicado


Cepea, 06/12/2021 – Na semana passada, mandiocultores consultados pelo Cepea apresentaram maior interesse na comercialização de mandioca, diante da necessidade de liberação de áreas ou de se capitalizar. Por outro lado, empresas já apontam redução do ritmo de esmagamento, devido à proximidade do período de recesso. Com isso, a oferta prevaleceu sobre a demanda, reduzindo a intensidade da alta dos preços. O valor médio nominal a prazo da tonelada de mandioca posta fecularia foi de R$ 690,32 na semana passada, ligeira alta de 1% frente ao período anterior. Fonte: Cepea (www.cepea.esalq.usp.br)

Fonte: CEPEA

Comentários Facebook
Leia mais:  Sistema Faepa Senar vai auxiliar na formação de arranjo produtivo local em Cabaceiras
Continue lendo

Segurança

MT

Brasil

Economia & Finanças

Mais Lidas da Semana





Copyright © 2018 - Agência InfocoWeb - 66 9.99774262