Connect with us

AGRONEGÓCIO

Tereza Cristina se solidariza com perdas e sinaliza apoio aos produtores

Published

on


A ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, esteve nesta quinta-feira (13) no Paraná para verificar como está a situação da safra 2021/22, castigada pela falta de chuvas nos últimos meses. Pela manhã, a chefe da pasta esteve no município de Lindoeste, onde foi até uma lavoura de soja afetada pela estiagem. No início da tarde, ela esteve no Sindicato Rural de Cascavel, em um evento que reuniu lideranças rurais e autoridades políticas relacionadas ao agronegócio nacional.

Tereza Cristina disse que não trouxe nenhuma solução pronta aos produtores, mas que esteve no Paraná para ouvir e sofrer junto, além de deixar uma mensagem de esperança e solidariedade. “Estamos levantando informações com muita calma e vocês vão nos ajudar para que consigamos atender com agilidade esses problemas. Temos ações imediatas, de médio e de longo prazo. Todo mundo perde quando o agro perde”, falou.

O presidente do Sistema FAEP/SENAR-PR, Ágide Meneguette, também participou tanto da visita quanto do evento no sindicato rural. “Quero deixar registrado aqui todo apoio que a ministra deu na questão do reconhecimento do Paraná como área livre de febre aftosa sem vacinação e também na questão da geração distribuída”, agradeceu. “Quando a ministra assumiu eu pedi a ela: ‘cuide do Proagro e do seguro rural’. E ela atendeu”, completou.

Leia mais:  Seminário aponta que energias renováveis são alternativas viáveis para o campo

Durante o encontro, o secretário de Agricultura e do Abastecimento do Paraná (Seab), Norberto Ortigara, aproveitou para entregar dados atualizados sobre as perdas da safra. Os dados são levantados pelo Departamento de Economia Rural (Deral) e são importantes para dar uma dimensão do tamanho dos prejuízos que o Paraná terá nesse ano. Somente na soja as perdas devem passar da casa dos R$ 20 bilhões, conforme relatório divulgado no início do mês.

Autoridades

Entre as autoridades que participaram do encontro com a ministra na Região Oeste do Paraná, nesta quinta-feira (13), estiveram ainda o deputado federal e presidente da Frente Parlamentar Agropecuária, Sérgio Souza (MDB); a deputada federal Aline Sleutjes (PSL), o líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PP) o vice-governador do Paraná e presidente da Fecomércio, Darci Piana; Dilvo Grolli, presidente da Coopavel; Marcos Brambilla, presidente da Federação dos Trabalhadores Rurais (Fetaep); o presidente do Sindicato Rural de Cascavel, Paulo Orso, entre outras autoridades.

Comitiva do Mapa tem participação da FAEP

Leia mais:  Coordenadores do FIP fazem visita técnica no Triângulo Mineiro

A visita de Tereza Cristina faz parte de uma rodada de levantamentos pelo Paraná das perdas causadas pela estiagem em todas as regiões do Estado organizada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e a Companhia Nacional do Abastecimento (Conab). O grupo está na estrada desde segunda-feira (10) e segue suas apurações até sexta-feira (14). A comitiva conta com a participação da Federação da Agricultura do Paraná (FAEP) e de outras entidades representativas do agronegócio estadual.

Confira o itinerário completo abaixo. A cobertura completa das reuniões no site do Sistema FAEP/SENAR-PR.

Roteiro da comitiva

Segunda-feira (10): Guarapuava, Pitanga e Campo Mourão
Terça-feira (11): Maringá, Umuarama e Palotina
Quarta-feira (12): Toledo, Medianeira e Missal
Quinta-feira (13): Cascavel e Pato Branco
Sexta-feira (14): Prudentópolis

Fonte: CNA Brasil

Comentários Facebook

AGRONEGÓCIO

Encontro analisa mercado da borracha natural e importância do Índice de Preço de Importação

Published

on

Brasília (17/05/2022) – A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) realizou, na terça (17), a live “Mercado de Borracha Natural: 2 anos do Índice de Preço de Importação”, na terça (17). O indicador é divulgado mensalmente pela CNA em parceria com o Instituto de Economia Agrícola (IEA).

O encontro foi moderado pela assessora técnica da CNA, Eduarda Lee, e teve como debatedores a pesquisadora da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA Regional), Elaine Piffer; a co-coordenadora do Projeto de Índice de Preço de Importação no Instituto de Economia Agrícola (IEA), Marli Oliveira, e o heveicultor (produtor de borracha) João Favero Neto.

Segundo Eduarda, o Brasil chegou a ser o maior produtor mundial de borracha natural até meados da década de 50, mas após forte declínio da produção, crescimento da atividade em outros continentes – principalmente Ásia –, e perda da competitividade, passou a responder por pouco mais de 1% da produção mundial, tornando-o dependente do mercado externo.

“Esse gap entre produção e consumo tem sido encarado por muitos como uma oportunidade para uma nova alavancagem da produção brasileira, que já estima um crescimento expressivo da produção para os próximos anos. Além disso, o Brasil está a frente de outros países produtores no que se refere a índices de produtividade, boas práticas de produção e sustentabilidade”, afirmou a assessora da CNA.

Leia mais:  Senar destaca crescimento da atuação feminina no agro

Atualmente, o setor movimenta R$ 28 bilhões anualmente e gera mais de 100 mil empregos diretos, concentrados principalmente nos estados de São Paulo e Goiás.

Elaine Piffer, que também é representante da CNA na Câmara Setorial da Cadeia Produtiva da Borracha Natural do Ministério da Agricultura, abordou pontos como a política de preço da borracha natural no Brasil, gargalos para expansão e manutenção dos seringais, além do cenário da borracha natural no País e oportunidades.

Marli Oliveira falou sobre a parceria entre o IEA e a CNA, iniciada em 2020, e a metodologia utilizada para o levantamento de informações e a definição do Índice de Preço de Importação. Ela explicou as etapas do estudo, diretrizes para aprovação, levantamento dos dados e resultados, como é feito o cálculo do indicador e maiores influenciadores na formação do preço de importação.

O produtor rural João Favero Neto, da região de Aparecida do Taboado (MS), contou como vem utilizando o índice – que serve de referência para as negociações entre heveicultores e os compradores de borracha natural – e o impacto na hora de negociar os produtos. Na sua opinião, o indicador tem transparência na composição e na rapidez das atualizações do dólar e da cotação da borracha no mercado internacional, e dá credibilidade por ser elaborado por duas instituições oficiais.

Leia mais:  Brasil e Japão assinam acordo para desenvolver agricultura digital

“Contribui muito na hora da comercialização, mas ainda temos um grande trabalho pela frente para colocar o nosso produto a um preço rentável, para a que a produção se torne viável e os custos sejam compensados”, disse.

Assessoria de Comunicação CNA
Foto: Wenderson Araujo
Telefone: (61) 2109-1419
flickr.com/photos/canaldoprodutor
twitter.com/SistemaCNA
facebook.com/SistemaCNA
instagram.com/SistemaCNA
facebook.com/SENARBrasil
youtube.com/agrofortebrasilforte

Fonte: CNA Brasil

Comentários Facebook
Continue Reading

AGRONEGÓCIO

Senar/SC oferece mais de 380 cursos gratuitos para o meio rural em junho

Published

on

O Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Santa Catarina (Senar/SC), órgão vinculado à Federação da Agricultura e Pecuária do Estado (Faesc), acaba de anunciar mais uma boa notícia aos produtores e trabalhadores rurais do Estado. A lista do mês de junho com mais de 380 cursos gratuitos, promovidos em parceria com os Sindicatos Rurais do Estado, já está disponível no site http://www2.senar.com.br/Evento.

A programação tem por objetivo auxiliar no desenvolvimento da produção de alimentos de forma sustentável e promover avanços sociais no campo. As qualificações fazem parte dos programas de Formação Profissional Rural (FPR) e da Promoção Social (PS), realizadas mensalmente em todas as regiões do Estado. Serão beneficiados produtores e trabalhadores rurais que buscam aprimorar o conhecimento para aumentar a produtividade e promover inovações nas propriedades.

A programação na área de Formação Profissional Rural contempla cursos com foco para a agricultura, agroindústria, aquicultura, atividades de Apoio Agrossilvipastoril, atividades relativas à prestação de serviços, pecuária e silvicultura. Na Promoção Social são oferecidas capacitações nas áreas de alimentação e nutrição, artesanato, educação, organização comunitária e saúde.

Leia mais:  SOJA/CEPEA: Com avanço da colheita e baixa demanda externa, preços recuam

O presidente do Sistema Faesc/Senar-SC, José Zeferino Pedrozo, ressalta que os cursos têm impactado  positivamente no aumento da produtividade no dia a dia no campo, bem como na  melhoria da qualidade de vida e renda dos produtores. “As capacitações ajudam a inovar e aperfeiçoar as mais diversas atividades do campo”.

O superintendente do Senar/SC, Gilmar Antônio Zanluchi, frisa que toda a programação atende as demandas levantadas pelos Sindicatos Rurais, cooperativas e parceiros do setor de cada região. “É uma satisfação perceber o quanto contribuímos com o desenvolvimento das propriedades, das famílias e toda a cadeia produtiva com cursos que acompanham as tendências do mercado”.

Interessados devem procurar o Sindicato Rural do seu município para inscrições. Confira programação completa: http://www2.senar.com.br/Evento com especificação de carga horária, local e data.

Fonte: CNA Brasil

Comentários Facebook
Continue Reading

Segurança

MT

Brasil

Economia & Finanças

Mais Lidas da Semana

Copyright © 2018 - Agência InfocoWeb - 66 9.99774262