Connect with us

ELEIÇÕES

TRE-MT aprova designação de juízes eleitorais auxiliares

Publicado em

Foram deliberados 69 magistrados que prestarão auxílio nas Eleições 2022

O Pleno do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE-MT) aprovou a designação de 69 magistrados para auxiliarem os juízes eleitorais no pleito deste ano. A decisão tem como objetivo garantir o bom andamento dos trabalhos nas Eleições 2022, já que algumas zonas eleitorais possuem municípios distantes das respectivas sedes, muitos deles de difícil acesso, o que prejudica a atuação dos juízes eleitorais titulares.

Nara Assis – A designação consta na Resolução nº 2724, publicada no Diário de Justiça Eletrônico (DJE) desta segunda-feira (01.08), após aprovação dos membros da Corte Eleitoral.

Confira aqui a relação completa dos magistrados que irão auxiliar os juízes eleitorais.

 

 

 

 

Comentários Facebook
Leia mais:  TRE -MT libera lista de gestores que tiveram contas rejeitadas pelo TCE e pelo TCU

ELEIÇÕES

Prazo para registro de candidatos termina na segunda

Published

on

Até agora foram registradas 10 candidaturas à Presidência da República

Termina na próxima segunda-feira (15) o prazo para que partidos, coligações e federações partidárias apresentem o registro de candidatos para qualquer dos cargos em disputa nas Eleições 2022, cujo primeiro turno está marcado para 2 de outubro.

ABr – Eventual segundo turno ocorrerá em 30 de outubro no caso das disputas para governador e presidente. Neste ano, os eleitores votam ainda para os cargos de senador, deputado federal e deputado estadual ou distrital.

O prazo para o registro das candidaturas se encerra às 8h, no caso de ser feito pela internet, ou às 19hs, se a entrega de mídias com a documentação necessária for feita diretamente no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) – se a candidatura for para presidente e vice – ou nos Tribunal Regionais Eleitorais (TREs) para os demais cargos.

Cada partido pode apresentar apenas uma candidatura a presidente, governador e senador, com os respectivos suplentes. No caso de deputado federal, estadual ou distrital, cada sigla poderá indicar candidatos no número de todas as cadeiras a serem ocupadas, mais uma.

Leia mais:  Propaganda eleitoral começa em 16 de agosto e horário gratuito no rádio e TV no dia 26

No caso das eleições proporcionais – para deputado, seja federal, estadual ou distrital – a legislação prevê que 30% das candidaturas apresentadas por cada legenda sejam obrigatoriamente de mulheres.

No ato de registro deve constar sempre o nome a ser mostrado na urna, a relação de bens do candidato, fotografia recente nas especificações dadas pelo TSE, certidões criminais e prova de alfabetização, entre outras informações e documentos.

Até o momento, foram registrados 10 candidaturas à Presidência da República, com os respectivos vices. Para governador, até o momento há 131 candidatos, espalhados por todas as unidades da federação. No caso de senador, 142 se registraram.

Para as eleições proporcionais foram registradas, até as 16h desta sexta-feira (12), 12.126 candidaturas a deputados estadual, 7.985 a deputado federal e 336 a deputado distrital. Os dados são disponibilizados em tempo real no sistema de divulgação de candidaturas e contas da Justiça Eleitoral.

Após ser apresentado, o registro ainda deve ser julgado pela Justiça Eleitoral, que pode deferi-lo ou não, conforme o atendimento aos requisitos legais. O prazo para o julgamento de todas as candidaturas é 12 de setembro, 20 dias antes do pleito.

Leia mais:  TSE recebe sete registros de candidatura à presidência da República

Edição: Maria Claudia

Comentários Facebook
Continue Reading

ELEIÇÕES

Ministro do TSE nega pedido do PL de retirar vídeo de Lula da internet

Published

on

Partido alegou propaganda antecipada em próprio favor

O ministro Raul Araújo, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), negou pedido feito pelo PL para retirar da internet um vídeo do ato público que contou com a participação do candidato à Presidência Luiz Inácio Lula da Silva, em Fortaleza, no dia 30 de julho. 

ABr – Na representação enviada ao TSE, o partido alegou que Lula fez propaganda eleitoral antecipada em próprio favor e negativa contra o candidato à reeleição Jair Bolsonaro. Segundo o PL, Lula teria adotado “discurso de ódio e ofensas à honra” de Bolsonaro ao chamá-lo de “mentiroso” e “covarde”.

Na decisão proferida na quarta-feira (10), o ministro entendeu que não houve pedido explícito de votos e que as falas contidas no discurso são considerações críticas contra o candidato adversário.

“O discurso proferido pelo representado Luiz Inácio Lula da Silva não contém pedido explícito de voto, consubstancia-se na exaltação de suas qualidades pessoais, revela opiniões críticas aos seus adversários, bem como exterioriza pensamento pessoal sobre questões de natureza política. Nesse contexto, em juízo de cognição sumária sobre a pretensão articulada na petição inicial, tudo indica que o discurso proferido pelo representado não desborda dos limites impostos pela legislação eleitoral ao exercício de liberdades públicas”, decidiu o ministro.

Leia mais:  TSE recebe sete registros de candidatura à presidência da República

Edição: Aline Leal

Comentários Facebook
Continue Reading

Segurança

MT

Brasil

Economia & Finanças

Mais Lidas da Semana