conecte-se conosco


Cuiabá

Vanderlúcio comemora inclusão de trabalhadores da limpeza na vacinação: “Ato de sensibilidade e humanização”

Publicado


Luiz Alves

Clique para ampliar

O diretor-presidente da Empresa Cuiabana de Zeladoria e Serviços Urbanos (Limpurb), Vanderlúcio Rodrigues, comemorou a inclusão dos trabalhadores da coleta de resíduos, catadores de recicláveis e da zeladoria urbana no cronograma de vacinação contra a Covid-19. Segundo ele, o ato lançado oficialmente nesta segunda-feira (03) demonstra toda a sensibilidade e humanização característica da gestão do prefeito Emanuel Pinheiro.

Conforme levantamento apresentado, somando todas essas categorias, mais de 700 profissionais serão imunizados nos próximos dias. A inclusão desses grupos nesta fase da vacinação foi um pedido pessoal da primeira-dama Márcia Pinheiro, considerando que são formados por pessoas em situação de vulnerabilidade e mais expostas à contaminação pelo novo coronavírus, devido às atividades que exercem.

“São pessoas que se arriscam diariamente em prol de uma cidade limpa, bonita e para fazer aquilo que poucos têm coragem para fazer. Uma cidade sem os serviços de limpeza se transforma em um verdadeiro caos, inclusive para a saúde pública. Por isso, nada mais justo que ter essa sensibilidade e humanização com esses heróis anônimos, que estão poupam esforço para manter nossa Cuiabá sempre bem cuidada”, comenta Rodrigues. 

Leia mais:  Câmara debate rede de proteção à mulher vítima de violência

Vanderlúcio destaca ainda que por serem considerados serviços essenciais, as ações de limpeza, coleta de resíduos e coleta de materiais recicláveis não foram suspensas em nenhum momento durante toda a pandemia. Nesse sentido, além do trabalho de orientação, a Limpurb forneceu para todos que atuam na área de zeladoria os materiais necessários para garantir a proteção contra o vírus.

“Essa foi uma das primeiras preocupações do prefeito Emanuel Pinheiro. A limpeza da cidade continuou em plena atividade durante toda a pandemia. Então, foi feito inicialmente um trabalho de orientação sobre os cuidados necessários a se tomar durante o desempenho das funções, somado com a distribuição de insumos como máscara, luva e álcool 70% para higienização”, pontua o diretor-presidente.

PEDIDO À POPULAÇÃO

Vanderlúcio aproveitou a oportunidade para pedir a colaboração da população com esses profissionais. Conforme lembrado por ele, cada cidadão também deve tomar os devidos cuidados com o descarte de lixo, para evitar que essas pessoas tenham contato com materiais contaminados. A medida é uma das formas de ajudar a garantir a segurança desses trabalhadores.

Leia mais:  Maysa Leão repudia pedido de quebra de decoro contra vereadores que encontraram remédios vencidos

“O primeiro passo é evitar a todo custo o descarte de máscara e luvas de forma inadequada. Principalmente se a pessoa está infectada com a Covid-19, a recomendação é que se utilize dois sacos plásticos para armazenar e descartar seu lixo. Caso seja possível, também é importante identificar esse lixo com uma fita vermelha ou até por meio de escrita legível e visível. Essas pessoas estão trabalhando por nós. Então, não custa nada darmos nossa colaboração com eles”, pontua.

 

Comentários Facebook

Cuiabá

Jornal Nacional aponta que apenas Cuiabá e outras quatro capitais possuem doses de Coronavac para serem utilizadas

Publicado


Luiz Alves/Secom

Clique para ampliar

Um levantamento feito pelo Jornal Nacional e exibido na edição transmitida na noite desta quarta-feira (12), apontou que apenas Cuiabá e outras quatro capitais do Brasil, além do Distrito Federal ainda possuem doses da Coronavac para aplicação da segunda dose.

Isso porque, a capital mato-grossense decidiu não utilizar as doses que recebeu como 1ª dose, conforme orientado inicialmente pelo Ministério da Saúde, para acelerar a vacinação da população brasileira, e reservar para aqueles que já haviam tomado a 1ª dose, como era o programado. Pela atitude, a Prefeitura de Cuiabá chegou inclusive, a ser acusada de estar “estocando” vacinas, o que logo foi desmentido pelo prefeito Emanuel Pinheiro, ao explicar da sua decisão de guardar as 2ª doses de quem já havia tomado a primeira. “Em Cuiabá, quem toma a primeira dose, não há a menor possibilidade de sua vacina estar escondida. Ela estará armazenada porque é patrimônio do cidadão que tomou”, afirmou o prefeito.

Ainda conforme o estudo do jornal, o imunizante está em falta em ao menos 20 capitais, oito já suspenderam a vacinação da segunda dose, por conta da falta de remessas, que conforme o presidente do Instituto Butantan, Dimas Covas, informou, não há previsão de entrega de novas doses da Coronavac.

Leia mais:  Cuiabá: Grupo de 45 a 49 anos com comorbidades começa a ser vacinado a partir de hoje (13)

Atualmente os grupos que ainda estão recebendo a 2ª de Coronavac são os grupos de trabalhadores da saúde, idosos de 65 a 69 anos e os integrantes das Forças Armadas, no Centro de Eventos do Pantanal, de maneira presencial e na UFMT, no modelo Drive Thru.

Nesta semana, Cuiabá atingiu ao marco de mais de 150 mil doses aplicadas. Até a noite de ontem (12), foram vacinadas 152.834, sendo 106.912 como 1ª dose e 45.922 como 2ª dose.

Comentários Facebook
Continue lendo

Cuiabá

Maysa Leão repudia pedido de quebra de decoro contra vereadores que encontraram remédios vencidos

Publicado


Carol Siqueira/Secom Câmara

A vereadora Maysa Leão (Cidadania) usou sua fala durante o grande expediente da sessão ordinária desta terça-feira (11), para repudiar o pedido de abertura de procedimento disciplinar contra os vereadores que encontraram grande quantidade de medicamentos vencidos no Centro de Distribuição de Medicamentos e Insumos de Cuiabá (Cdmic).

O pedido foi feito pela secretária de Saúde, Ozenira Félix e para a vereadora, as acusações feitas pela gestora da pasta são graves e precisam ser provadas. No documento, Ozenira afirma que os vereadores coagiram e intimidaram os servidores do local e que o único intuito da visita seria tirar fotos e filmar o local.

Maysa criticou a postura da secretária que esteve na Câmara em debate com os vereadores e em nenhum momento citou os fatos pontuados no pedido. “É muito grave essas acusações. Ela teve a oportunidade de falar comigo, frente a frente e dizer que nós agimos dessa forma. Esse tipo de configuração mostra que nós deveríamos ter medo de atuar e exercer a nossa função que é fiscalizar, mas eu não tenho esse medo”.

A vereadora ainda ressalta que toda a ação dos parlamentares, desde a chegada no local foi gravada. “Sou uma pessoa extremamente coerente e educada, agi dentro da ética, e a ética e o decoro desta Casa pedem que nós vereadores façamos nosso trabalho e que traga para a população a informação. O que encontramos ali foram medicamentos vencidos em uma quantidade exorbitante e é essa resposta que a sociedade precisa ter. Todos querem saber quem é o responsável por esse desprezo à saúde da população de Cuiabá e eu não vou aceitar ser coagida por algo que eu não fiz, se ela diz isso, ela precisa provar”, diz Maysa.

O pedido feito contra a vereadora Maysa, os vereadores Diego Guimarães e Coronel Paccola, todos do Cidadania, foi arquivado na Comissão de Ética por falta de demonstração comprobatória dos fatos afirmados pela secretária

Ascom Gabinete Vereadora Maysa Leão

Leia mais:  Cuiabanos de 50 a 54 anos são vacinados e agradecem: "esperei muito tempo por essa vacina"

Comentários Facebook
Continue lendo

Segurança

MT

Brasil

Economia & Finanças

Mais Lidas da Semana





Copyright © 2018 - Agência InfocoWeb - 66 9.99774262